PUBLICIDADE
Notícias

409 pessoas foram assassinadas em janeiro deste ano no Ceará

Número é maior que o registrado no mesmo período em 2013

16:00 | 13/02/2014

Atualizada às 18h30min

A Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) divulgou nesta quinta-feira, 13, o relatório de ocorrências do mês de janeiro de 2014. O Ceará registrou 409 mortes referentes a crimes violentos letais intencionais (homicídio doloso, latrocínio e lesão corporal seguida de morte).

O número de pessoas mortas por ações criminosas, em janeiro deste ano, aumentou em comparação ao mesmo mês, em 2013. No ano passado, a Polícia registrou 366 mortes.

Em 2013, os meses com mais mortes foram março (447), setembro (450) e outubro (437).

Apreensão de drogas e armas


No mês de janeiro, deste ano, a Polícia apreendeu 24,99 kg de entorpecentes. No mesmo período, em 2013, o número foi inferior com 7,56 kg de drogas apreendidas.

A Polícia apreendeu 506 armas no primeiro mês de 2014, enquanto em janeiro de 2013 o número foi de 549.

Queda no número de crimes violentos contra o patrimônio e furtos

A maior queda de ocorrências foi referente aos crimes violentos contra o patrimônio. Foram registrados 2.789 em janeiro de 2014, enquanto no mesmo mês, em 2013, o número foi de 5.005.

Houve queda também no número de furtos no Estado. Em janeiro de 2014, 4.911 furtos foram registrados pela Polícia. Em comparação com o mesmo período, em 2013, o número foi de 5.393.

 

Comandante geral da PM comenta aumento no número de homicídios

O POVO Online conversou com o comandante geral da Polícia Militar (PM), coronel Lauro Prado. Segundo o coronel, o número aumentou devido à maneira como os homicídios passaram a ser contabilizados, já que lesão corporal seguida de morte não entrava na contagem. "Tivemos índices maiores que no ano passado. Talvez, a forma de contabilizar os dados esteja causando o aumento. Antes, uma lesão seguida de morte era contabilizada como lesão, e agora estão calculando como homicídio", diz o coronel.

O comandante ressalta que o número de 409 homicídios é elevado, mas a Polícia vai trabalhar para diminuir e metas serão estipuladas para alcançar a redução. "Nós estamos trabalhando de forma integrada com as forças policiais para tentar reduzir, atingindo metas nas 18 Áreas Integradas de Segurança (AIS), que serão atribuídas pela Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS)". Atualmente, o Estado conta com um efetivo policial de 15.852 profissionais.

De acordo com o coronel, as metas serão divulgadas em breve pelo secretário da SSPDS, Servilho Paiva. Cada AIS terá sua própria meta, segundo o comandante da PM.

"Essa meta estabelece uma redução com base nos anos anteriores. A preocupação é dar segurança para comunidade, não só com diminuição de homicídio, mas também em relação a roubo de pessoa e crimes contra o patrimônio", explica o coronel Prado.

O número de apreensão também aumentou em relação ao mês de janeiro do ano passado. "Na verdade esse número é pequeno, mas tivemos uma elevação porque houve melhora na confiança da comunidade na Polícia. Queremos aumentar as apreensões para reduzir a insegurança nas comunidades. Aumentando o número de apreensão, evitamos que ocorram crimes, pois o crime está associado ao consumo de drogas, cujo está elevado".

O coronel Prado explica ainda que o trabalho integrado será feito junto a órgãos públicos. "Tivemos várias operações, nas quais prendemos desde pequenos traficantes a grandes traficantes, em operação conjunta com a Polícia Civil. O trabalho integrado está sendo feito, que envolve Ministério Público, Polícia Civil, PM e o próprio poder judiciário”.

Redação O POVO Online

TAGS