PUBLICIDADE
PUBLIEDITORIAL servis

Segurança e tecnologia: múltiplas possibilidades à palma da mão

Seja na criação de novos serviços ou na inovação de sistemas tradicionais, a tecnologia pode ajudar a reduzir custos e otimizar procedimentos, inclusive na área de segurança

06/11/2017 08:00:00
Mão segurando smartphone com aplicativo Smart Home, da Servis, e ao fundo o showroom para demonstração do uso do aplicativo
Mão segurando smartphone com aplicativo Smart Home, da Servis, e ao fundo o showroom para demonstração do uso do aplicativo

[FOTO1]

Monitorar o carro estacionado na rua ao lado, supervisionar as movimentações em casa mesmo estando longe do imóvel, acionar o alarme de casa ou controlar a entrada e a saída de condôminos: muitas são as possibilidades oferecidas pela tecnologia. Assim como em diversas outras áreas, as inovações em segurança têm convergido para o smartphone, trazendo inúmeros recursos para a palma das mãos. De acordo com Gilberto Dias, diretor de expansão e novos negócios do grupo Servis, essas iniciativas trazem, ainda, redução de custo às operações.  A empresa, que está no mercado desde 1974, incorpora a tecnologia a diferentes produtos e oferece serviços como monitoramento por imagem, portaria inteligente, rastreamento veicular e o novo sistema de smart home. Confira o que proporciona cada um deles.

Smart Home
Tendo como base a Internet das Coisas (IoT), a Smart Home possibilita que o usuário tenha controle de diversos equipamentos, mesmo fora de casa. Lançada no último mês de outubro, a tecnologia permite que, por meio do aplicativo alarme.com, seja possível abrir ou fechar uma cortina e acender ou apagar a luz, por exemplo. “De onde eu estiver, posso ligar o ar condicionado e deixar na temperatura (desejada) ou programar para que ele (o aparelho) desligue automaticamente caso eu saia da sala. Isso traz economia de energia e funcionalidade para o sistema”, acrescenta Igor Batista, consultor líder do grupo Servis.

Além disso, é possível monitorar o movimento dentro de casa, ouvir o que as pessoas estão conversando e, ainda, falar com elas mesmo estando fora do cômodo. Para isso, é utilizada uma câmera digital que, inclusive, faz fotografias caso haja alguma invasão ao domicílio. Tudo isso sem fio. Após captadas, as imagens são compartilhadas por meio da nuvem (espaço virtual onde são armazenadas informações) e, para isso, o cômodo deve ter acesso à internet. “Nada fica armazenado no local, sempre fica interligado a uma central que tem um chip de dados que se comunica via internet”, afirma Batista. Entre os equipamentos para instalar a Smart Home estão câmeras interna e externa, fechadura eletrônica, blaster de ar-condicionado, interruptor inteligente e Central 2 GIG.

Portaria inteligente
A tecnologia também pode estar presente no controle de entrada e saída de pessoas em condomínios. Com a portaria inteligente, o serviço que antes era prestado in loco é transferido para uma central que monitora acessos e liberações remotamente. O primeiro benefício do serviço, de acordo com Aureliano Araujo, consultor comercial do grupo Servis, é a garantia de maior segurança. “É o trabalho sendo executado de maneira correta, mais eficaz e mais segura”, comenta. Além disso, segundo Araújo, o condomínio passa a ter economia de até 50% em relação ao modelo tradicional.

Ao se adotar o sistema, a liberação para visitantes e serviços de entrega é feita pela central da Servis. Conforme explica o consultor, a comunicação acontece por fibra óptica, com um link dedicado que vai do condomínio à empresa, garantindo agilidade ao atendimento. “Por exemplo, quando um visitante chega ao condomínio e aperta o interfone, em 3,5 segundos nossa portaria se identifica, depois entra em contato com o morador e (se ele autorizar) libera o acesso ao condomínio.”

Já os moradores recebem um controle de pedestres - o tag - e um controle de veículos configurados, além da opção de um QR Code disponibilizado via aplicativo para smartphone. Araújo acrescenta que, nos casos em que o condômino realiza uma festa, por exemplo, códigos de acesso “descartáveis” são distribuídos aos convidados. Para a entrada de pedestres, o portão – que abre e fecha automaticamente – é configurado de acordo com o perfil do usuário. “Se um idoso vai passar, o equipamento é programado e entende que, para aquela pessoa, o portão deve abrir e fechar em uma quantidade de segundos bem maior”, exemplifica.

Monitoramento por imagem
Ao sistema de alarme tradicional, pode-se aliar a tecnologia para aumentar a eficácia da estratégia de segurança. No sistema convencional, após o cliente acionar o sistema, qualquer tentativa de invasão ao condomínio aciona a central de monitoramento. Com câmeras em Full HD integradas, a empresa pode, ainda, acompanhar em tempo real as movimentações na zona em que o alarme foi disparado. Segundo Camilo Neto, consultor líder do grupo Servis, após receber o sinal e confirmar que há alguém no local, as viaturas da empresa são acionadas.

“A tecnologia também ajuda (na prestação desse serviço), pois conseguimos visualizar tudo por meio de equipamento eletrônico. Não precisamos de uma segurança efetiva dentro do local e, dessa forma, é mais efetivo ainda”, afirma. Porém, não é só nesses que as câmeras podem ajudar. Contando com ferramentas analíticas, elas permitem saber quantas pessoas passaram pelo local. Em casos de supermercados, como exemplifica Camilo Neto, elas podem ser úteis para documentar o número de clientes do empreendimento. “Vai além da questão da segurança, podemos falar também do lado logístico”, aponta.

Rastreamento veicular
Por meio de um chip de telefone com sinal GPRS, é possível fazer monitoramento de carros, motos e caminhões em todo o território brasileiro, por meio de um mapa. O rastreamento veicular é voltado tanto para particulares quanto frotas de empresas e facilita a recuperação de um automóvel roubado. Camilo Neto explica que, após o ocorrido, o cliente aciona a Servis que, em seguida, bloqueia o automóvel e envia as viaturas da empresa até o local. De acordo com o consultor líder, a taxa de recuperação é de 90%.

A busca pelo serviço, segundo Camilo Neto, tem três motivações: a quantidade de veículos nas ruas, o alto custo de seguros para carros e o índice de assaltos. Por meio de um aplicativo para smartphones, é possível que o cliente também monitore o veículo. Além disso, o proprietário pode configurar o dispositivo para receber alertas caso alguém tente ligar o carro ou caso o automóvel ultrapasse uma zona determinada pelo proprietário. Assim como o monitoramento por imagem, o serviço pode trazer benefícios que vão além da segurança, permitindo, por exemplo, que empresas acompanhem a velocidade com que sua frota está se locomovendo ou a trajetória realizada.

TAGS