PUBLICIDADE
PUBLIEDITORIAL servis

Cuidados para evitar a violência no trânsito

A posição do carro, a distância entre veículos, atenção no uso de ferramentas como GPS, entre outros cuidados, merecem atenção do motorista para evitar a violência no trânsito

14/08/2017 08:00:00
Foto com um ângulo de cima de uma grande avenida, com vários carros parados em um semáforo.
Foto com um ângulo de cima de uma grande avenida, com vários carros parados em um semáforo.

[FOTO1]

Uma coisa com a qual temos que lidar diariamente: trânsito. Outra com a qual muito provavelmente você precisar lidar se mora em uma grande cidade brasileira: a violência no trânsito. Se, por um lado, o que podemos fazer na luta para a diminuição dessa violência é cobrar mudanças por parte do Governo na educação, na economia, na saúde e em outros setores da sociedade; por outro, algumas atitudes pessoais podem prevenir ocorrências que coloquem nosso bem-estar em risco.

“Podemos adotar uma série de comportamentos que podem diminuir o risco de você ser o alvo. Segurança é adoção de comportamentos. A gente instrui o cliente sobre melhor local para estacionar ou para parar no semáforo, comportamento ao dirigir, evitar desatenção, quais são os crimes mais propensos na região”, explica Eugênio Ribeiro, diretor comercial da Servis Segurança.

Segundo o diretor, entretanto, não há um “receita de bolo” para avaliar quais atitudes mais adequadas para cada pessoa, motivo pelo qual a empresa sempre tenta entender a rotina do cliente que busca o serviço e a orientação de uma companhia de segurança particular. “Precisamos saber qual a rotina do cliente, os hábitos, quais locais frequenta, para garantir que ele continue com a mesma rotina, mas com mais segurança”, destaca. A tecnologia, como em outras situações, entra nesse contexto como uma aliada desses cuidados preventivos.

Tecnologia: ter e saber usar

Rastreamento de veículos por satélite, vidro fumê, dispositivo GPS (Global Positioning System, Sistema de Posicionamento Global, em tradução livre) e serviços de blindagem são alguns dos recursos que os avanços na tecnologia tornaram possíveis hoje para usuários de automóveis. Seja a passeio ou para o transporte de cargas, se o usuário deseja usufruir adequadamente da segurança que essas opções podem oferecer, é necessário ter cuidado quanto ao uso de algumas delas.

O GPS, por exemplo, tende a indicar o caminho mais curto e com menos trânsito. Cabe ao motorista avaliar toda a rota traçada pelo equipamento, para verificar se não foram indicados caminhos que passem por zonas de risco. Outros cuidados importantes devem ser tomados quanto à blindagem do carro. “Quando você tem um veículo blindado, você precisa ter uma aula de direção defensiva, porque o carro não blindado é bem mais leve que um blindado. As curvas, as manobras são diferentes”, explica David Silva, diretor de Gerenciamento de Risco Nacional da Servis Segurança.

A manutenção desses recursos é outro ponto de atenção. A blindagem, por exemplo, exige uma manutenção anual em empresa especializada. Descuidos quanto a esse ponto específico podem pôr em risco a efetividade da proteção. Mas a avaliação de todos esses detalhes técnicos precisa andar junto a cuidados diários. “A partir do momento em que é feito o check list dos veículos, o motorista, tanto da carga quanto do veículo particular, precisa prestar muita atenção em por onde ele está andando”, alerta Silva.

Cuidados diários para o trânsito

Além da direção defensiva para evitar possíveis acidentes, alguns cuidados durante o trânsito podem aumentar a segurança dos motoristas. Conforme Silva ressalta, é importante verificar, a partir do momento em que entramos no carro, se o veículo está travado. Outra dica é ter sempre, no celular, um contato que seja feito de imediato em casos de emergência. “Fora isso, ele tem que prestar muita atenção no trânsito. Tem gente que deixa a janela aberta, o vidro tem que estar sempre fechado. Um assaltante, quando passa ao lado de um veículo, principalmente o de passeio, vai verificar quem está mais vulnerável, ele faz essa análise de risco.”

Sobre essa atenção com o tráfego, Ribeiro faz observações também quanto à distância do carro em relação ao semáforo e a outros veículos. “Dentro do trânsito, nunca parar na primeira fila do semáforo. Nós sabemos que a primeira fila geralmente é alvo dos assaltos, porque o bandido quer fazer o roubo e sair”, dá a dica. De acordo com o diretor comercial, evitar parar muito próximo ao carro da frente também é importante, para que o motorista tenha espaço de manobra para dar ré ou fazer um retorno. “São comportamentos que a gente adota no trânsito que podem diminuir a ação criminosa.”

Para Silva, é fundamental também instituir na população a importância de não ser conivente com a violência contra o outro. “Não feche os olhos com uma ocorrência a sua frente, compartilhe para que possa haver êxito da segurança pública para evitar esse tipo de situação. É importante ter a participação de outras pessoas, ao redor, ligando para órgãos públicos, pegando a placa do veículo”, destaca.

Ribeiro aponta, ainda, que esses cuidados não devem se tornar motivo de pânico para as pessoas, mas uma forma de garantir uma rotina mais segura. “A segurança não entra para mudar seus hábitos, entra para que você continue com sua rotina, com uma mudança de comportamento e mais segurança”, afirma.

TAGS