Participamos do
Imagem destaque

Superliga de Vôlei tem início e estrela da competição projeta 1º título do seu time

18:05 | Out. 29, 2021
Autor O Povo
Foto do autor
O Povo Autor
Ver perfil do autor
Tipo Publieditorial

Um dos principais jogadores do time de vôlei do Campinas chegou ao elenco com status de estrela e tem feito jus ao título. Lucão não decepcionou a expectativa dos torcedores, e logo na partida contra o Guarulhos marcou o ponto da vitória, que garantiu à sua equipe o título do Campeonato Paulista. E embalado pelo triunfo, o dono de nada mais na menos que duas medalhas olímpicas aponta que a equipe oriunda do interior de São Paulo é uma força a ser respeitada, e figura entre as três favoritas a levar o caneco da Superliga, que teve seu início no último sábado (23).

O jogador foi convidado do podcast “Na rede com Nalbert”, que contou também com a participação do comentarista Marco Freitas. Sem papas na língua, o central afirmou que o Campinas tem grandes possibilidades de conquistar o título da Superliga pela primeira vez em sua história na atual temporada.“A gente tem essa responsabilidade, o time chega como uma segunda ou terceira força entre os favoritos, depois de Cruzeiro e Minas. Não tem muito o que negar, as equipes de maior orçamento e estrutura acabam sendo consideradas as favoritas. Ainda temos muitas coisas para corrigir e rever, mas nessa final do Paulista conseguimos crescer jogando em casa”, afirma Lucão. Toda essa confiança do central anima os torcedores e até mesmo os palpiteiros, que podem utilizar os bônus sem depósito presentes em algumas plataformas de apostas para realizarem seus pitacos nas partidas da Superliga. Isso porque a promoção permite que o usuário tenha acesso a um bom saldo inicial sem gastar um centavo.

Lucão, que atualmente é tido como o líder do Campinas, ainda falou a respeito da sua saída do Taubaté, equipe que integrava anteriormente, e sua relação com os gestores do atual time, que tem como uma das principais figuras o ex-levantador Maurício, bicampeão olímpico. “Tudo começou com a crise no Taubaté, falaram que seria uma prioridade eu ficar, mas depois que o mercado já estava quase fechado e eu não consegui pensar em sair do Brasil, as duas possibilidades que estavam em aberto foram o Cruzeiro e Campinas. O Maurício me mandou uma mensagem chamando para jogar lá e acabou dando certo, ainda mais que prezo sempre por estar perto da minha família, cuidando da educação dos meus filhos”, explica o central.

E a seleção?

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Dentre os assuntos que estavam em pauta no podcast, a seleção brasileira não poderia ficar de fora.

Principalmente após a decepção que foi a participação do Brasil nas Olimpíadas, já que a equipe era tida como uma das favoritas a conquistar o ouro olímpico, mas terminou a competição sem nenhuma medalha. Ao ser questionado sobre o assunto, Lucão afirmou que a seleção teve um ciclo vitorioso, e nos últimos anos a equipe sempre esteve brigando por títulos. Os Jogos Olímpicos acabaram sendo um reflexo do que é visto no vôlei mundial: um equilíbrio e uma competitividade enorme entre os participantes, onde todo mundo tem jogado muito bem.

O central ainda explicou a derrota para Argentina nas semifinais da competição, apontando que a decisão acabou pesando muito para o elenco, já que eles estavam jogando muito bem durante a competição, mas que os brasileiros não estão acostumados a disputar a terceira e quarta colocação. No entanto, ele aponta que os jogadores que compunham o elenco do Brasil nas Olimpíadas fizeram tudo que podiam em quadra para garantir a vitória, que infelizmente não veio.

Sul-Americano de Vôlei Feminino

Enquanto a Superliga masculina teve seu início recentemente, o Sul-Americano de Vôlei Feminino tem o seu campeão. O Dentil Praia Clube acabou batendo o Minas, encerrando uma sequência de três títulos seguidos da equipe mineira na competição.

A partida começou equilibrada, e todos os pontos foram conquistados a muito custo. Mas o clube de Uberlândia conseguiu o triunfo por 3 sets a 2, e levou o troféu até então inédito para casa.

Conteúdo de responsabilidade do anunciante
Imagem destaque
Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Imagem destaque

A luta que foi colocar Messi no futebol de elite

PUBLIEDITORIAL
17:51 | Ago. 16, 2021 Tipo Publieditorial

Após meses de indecisão, o Barcelona finalmente anunciou que não renovaria o contrato com o maior jogador da história do clube, Lionel Messi. Dessa forma, um dos jornais mais importantes da Catalunha, o Sport, solicitou em um dos seus artigos a verdade por trás da saída do argentino do clube azul e grená. E o próprio camisa 10 veio a público para esclarecer o motivo pelo qual estava indo embora da Espanha. Messi explicou que tanto ele quanto a sua família estavam arrasados, mas que infelizmente ele precisaria ir embora por conta da crise financeira que o Barcelona está sofrendo.

Há um ano, quando o Barcelona e Messi estavam em uma espécie de guerra declarada, não seria nenhuma surpresa caso o craque tivesse decidido ir embora. Em janeiro deste ano, faltando apenas seis meses para o final do seu contrato com o Barça, o argentino poderia assinar com praticamente com qualquer clube (tirando o Real Madrid) e não seria muito questionado. E logo no início de agosto, os principais veículos de imprensa espanhóis já davam conta de que o atleta estava arrasado (e foi isso que se viu na coletiva), que ele já tinha decidido continuar a defender o seu time de coração, aceitando até mesmo uma redução salarial superior a 50% - o que, sem sombras de dúvidas, ainda seria muita grana -, mas ainda assim não foi possível mantê-lo na Catalunha.

Por que não renovou?

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

O que impediu essa possível renovação contratual com o camisa 10, pelo menos oficialmente, é a regra de fair play financeiro implementada na La Liga (Campeonato Espanhol). A La Liga copiou o modelo adotado na Alemanha, que, para muitos, tem o torneio de futebol mais responsável e saudável do globo, onde os clubes não podem gastar mais de 70% do seu orçamento total com o salário de jogadores. Com isso, a competição fica mais acirrada, o que atrai espectadores de todo o mundo, assim como palpiteiros que aproveitam as plataformas de apostas com sites seguros para arriscar seus palpites, tendo direito ainda a bônus e promoções que ajudam a melhorar seu desempenho.

A regra do fair play financeiro é tida como básica e para alguns especialistas deveria ser implementada em todas as ligas de clubes do planeta. Mas, voltando ao Barça, a equipe catalã já havia passado e muito do limite orçamentário reservado para os salários. Ainda assim, a verdade é que praticamente qualquer clube teria que rebolar bastante para conseguir pagar os vencimentos de Messi e ainda se ajustar à regra do fair play - menos o PSG (Paris Saint-Germain), aparentemente.

No entanto, algo que deve ser levado em consideração é qual será o rombo para La Liga ao perder o seu principal garoto-propaganda, já que o argentino não era uma peça fundamental somente para o Barcelona, mas também para todo o Campeonato Espanhol. Alguns acreditavam que a medida tinha sido um truque do time catalão, e ao final da novela o camisa 10 voltaria a assinar um novo contrato com o Barça. De acordo com essa teoria, a equipe queria causar apenas um escândalo e tentar fazer alguma mudança, como obter uma exceção à regra por conta dos tempos difíceis que estamos atravessando, que acabaram com a economia de vários clubes de futebol. Porém, não foi isso que vimos na declaração de Messi no dia 8 de agosto, quando confirmou que realmente estaria de saída do Barcelona.

Paris é a nova casa

Com isso, poucos eram os times que conseguiam pagar o salário de Messi no futebol europeu, e o único lugar que “restou” para o craque ir jogar foi o PSG, que assim que soube da saída do craque do Barça já teria apresentado uma proposta de contrato com a duração de dois anos para o argentino, oferecendo R$ 214 milhões por temporada. Mas mesmo antes de sabermos que o negócio estava fechado, o PSG já dava alguns indícios, sendo o mais forte deles o aluguel da Torre Eiffel para o dia 10 de agosto. Isso porque eles fizeram algo semelhante para a chegada de Neymar ao clube francês.

Dessa forma, o argentino realmente foi parar em Paris, e agora é o dono da camisa 30 do Paris Saint-Germain. Atualmente, a expectativa é pela a estreia do craque, que está prevista para daqui a um mês. E agora quem sabe ele não consegue repetir a parceria fenomenal que já provou ter com Neymar dentro de campo e garante a tão sonhada Liga dos Campeões para o PSG?

Conteúdo de responsabilidade do anunciante
Imagem destaque
Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Imagem destaque

Britânico joga fora HD com R$ 1 bilhão em bitcoin e cria plano de busca com uso de Inteligência Artificial

PUBLIEDITORIAL
16:57 | Jul. 19, 2021 Tipo Publieditorial

Todos nós estamos sujeitos a alguns momentos de azar durante a nossa vida, mas imaginem só você perder um objeto avaliado em aproximadamente R$ 1 bilhão. Esse fato curioso ocorreu com James Howells, um engenheiro de 35 anos do País de Gales. O homem virou notícia ao jogar no lixo por engano um HD (disco rígido que armazena os mais diversos dados digitais de um computador) que continha sua carteira de bitcoins com o valor estimado em cerca de R$ 1 bilhão.

E para piorar o azar do britânico, o local onde o seu equipamento foi descartado logo se tornou um enorme aterro sanitário público. Com isso, seu hardware está sob toneladas de lixo. Dessa forma, Howells tem tentado recuperar o HD, mas até o momento suas tentativas foram em vão. Segundo uma reportagem da Exame, o engenheiro colocará uma nova estratégia em prática. Investirá cerca de R$ 4 milhões que pegou emprestado, e criará uma operação enorme para achar seu disco rígido.

De acordo com a reportagem, o britânico irá contratar uma companhia de tecnologia especializada em buscas, que possui experts nesse tipo de desafio, e contam com equipamento de ponta. como esteiras de separação de material, máquinas de raio-x e até um software de inteligência artificial, que ajuda a separar o “joio do trigo” - na verdade, o HD que vale uma fortuna do lixo.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Segundo Howells, ele acumulou dinheiro ao realizar a chamada “mineração” de criptomoedas. Nesse processo, a pessoa utiliza seu computador, na verdade vários deles, para solucionar um número enorme de equações matemáticas que originam as unidades bitcoin, que ao longo dos últimos anos teve uma valorização astronômica. Essa grande valorização se deve à popularização das criptomoedas e o apreço que foi criado por elas, e atualmente é cada vez mais comum elas serem utilizadas na compra de bens e serviços, assim como para a realização de investimentos. Hoje, no Brasil, é possível até mesmo realizar apostas com bitcoin, sendo que algumas plataformas online inclusive oferecem odds superiores e bônus para quem utiliza a criptomoeda.

A reportagem também perguntou sobre como o engenheiro perdeu o objeto, e o britânico afirmou que acabou se desprendendo do HD ao fazer uma faxina em seu escritório, e acabou descartando o disco rígido errado.

Azar semelhante

Apesar de ser impressionante, essa não é primeira vez que alguém “perde” uma quantia bilionária envolvendo criptomoedas por um descuido. No início deste ano, o programador Stefan Thomas afirmou ao The New York Times que perdeu o acesso aos seus 7002 bitcoins. Thomas, disse que recebeu essa quantia em 2011, como uma recompensa pela grande divulgação de um vídeo desenvolvido por ele. O vídeo em questão, chama-se “What is Bitcoin” e ajudava as pessoas a entenderem os princípios das criptomoedas.

Em 2011, quando recebeu a quantia, ela valia pouco mais que US$ 7 mil, mas após 10 anos e com a atual cotação do ativo digital, seus 7002 bitcoins valiam aproximadamente US$ 221 milhões (cerca de R$ 1.13 bilhão na cotação atual). Essa quantia estava guardada em uma carteira digital, e as senhas para se ter acesso a ela estavam em uma IronKey, que é um dispositivo portátil USB criptografado, feito pela Kingston Digital.

O problema começou quando Thomas perdeu a senha para entrar no IronKey, e consequentemente perdeu o acesso à sua carteira de criptomoedas. Com isso seus bitcoins ficaram presos, sem a possibilidade de serem utilizados pelo programador. A situação fica ainda mais complicada, porque o IronKey dá apenas 10 chances de acesso ao dispositivo, sendo que Thomas já gastou 8 delas. Agora ele tem apenas mais duas chances de recuperar suas senhas, e ao que se sabe ele não fez mais nenhuma tentativa.

Conteúdo de responsabilidade do anunciante
Imagem destaque
Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags