Participamos do
Imagem destaque

Hospital São Camilo Fortaleza inaugura Centro de Especialidade Médicas

Unidade nova dentro do Hospital São Camilo Fortaleza atende demanda dos clientes para 12 especialidades 
07:00 | Set. 30, 2020
Autor O Povo
Foto do autor
O Povo Autor
Ver perfil do autor
Tipo Publieditorial

Em setembro, começou a funcionar no Hospital São Camilo Fortaleza o novo Centro de Especialidades Médicas São Camilo. Ao todo, o público passar a ter atendimento para 12 especialidades, com entrada diferenciada e separada da emergência. As consultas e os exames podem ser agendados por telefone ou whatsapp.

A nova unidade é baseada na experiência positiva do Centro Cardiológico do hospital, segundo o diretor Médico do Hospital São Camilo Fortaleza, Madison Mont'Alverne. "O hospital tem essa área que funcionou muito bem, O Centro Cardiológico foi um setor do Hospital que criou um diferencial importante para a instituição. Lá os clientes são atendidos dentro de todas as sub áreas da cardiologia bem como tem um local para realizar os exames da especialidade como ECG, Teste Ergométrico, M.A.P.A., Holter Ecocardiograma e a Avaliação Cardiopulmonar. O Centro de Especialidades é uma maneira de concentrar todos os atendimentos, de cirurgias, mastologia etc.

O cliente tem a facilidade de sair já com os exames de laboratório, imagem, endoscópicos e Cardiológicos realizados ou agendados, aponta o doutor Madison. Dentre as especialidades, estão Cirurgia de Cabeça e Pescoço, Cirurgia Geral, Cirurgia Oncológica, Cirurgia Torácica, Cirurgia Digestiva, Clínica Médica, Mastologia, Otorrinolaringologia, Neurologia, Neurocirurgia, Vascular e Urologia.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

No âmbito da Cirurgia Digestiva, a principal demanda são os tratamentos de obesidade e cirurgia bariátrica. Tratamento porque, por exemplo, não há apenas cirurgiões, mas nutricionistas, psicólogos, fonoaudiólogos. Isso vale para as demais especialidades, pois há múltiplos profissionais para as demandas específicas dos pacientes.

Em apenas algumas semanas de funcionamento, houve procura de vários clientes. "O São Camilo já um hospital diferenciado, e um local onde a pessoa possa ser atendida ambulatorialmente, faça consultas eletivas e exames, preenche a lacuna", acrescenta o diretor.

Por ser em uma área separada do hospital, os clientes também podem ficar ainda mais seguros em relação ao risco de contaminação por coronavírus: "Muitas pessoas ainda têm medo, esse Centro fica em uma área separada do hospital, os pacientes ficam menos temerosos, além de todos os cuidados e todas as recomendações de distanciamento social, uso de máscara, álcool em gel".

Especialidades

Cirurgia de Cabeça e Pescoço

Cirurgia Geral

Cirurgia Oncológica

Cirurgia Torácica

Cirurgia Digestiva

Clínica Médica

Mastologia

Otorrinolaringologia

Neurologia

Neurocirurgia

Vascular

Urologia


Serviço

Centro de Especialidades Médicas São Camilo

Onde: 4º andar da Unidade Costa Barros (Rua Costa Barros, 833 - Centro)

WhatsApp: (85) 99810.0316

Telefone: (85) 3464.7022/7161

Site: www.saocamilofortaleza.org.br

Conteúdo de responsabilidade do anunciante
Imagem destaque
Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Imagem destaque

Número de pacientes com coronavírus diminui, e São Camilo Fortaleza volta a realizar cirurgias não emergenciais

Publi editorial
07:00 | Jun. 22, 2020 Tipo Publieditorial

O Hospital São Camilo Fortaleza decidiu voltar a oferecer as cirurgias eletivas, sem caráter de urgência, desde o dia 15 deste mês, na Unidade Nogueira Acioly. Elas haviam sido adiadas com o objetivo de diminuir o fluxo de pessoas no Hospital em um momento em que o crescimento da pandemia da Covid-19 era constante.

Após observação de que o número de casos de coronavírus na instituição começaram a diminuir, foi possível diminuir a ocupação dos leitos de UTI (Unidade de Tratamento Intensivo) e começar o planejamento para que algumas atividades retornassem ao normal.

Para garantir um ambiente livre de infecção pelo novo vírus, o diretor técnico do Hospital, Dr. Madison Mont'Alverne, explica que pacientes com Covid-19 e pacientes sem a doença são atendidos em espaços totalmente separados. Os profissionais da saúde utilizam equipamentos de proteção individuais (EPI) e não transitam entre as áreas no decorrer do dia.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Além disso, o distanciamento social está sendo mantido, o uso de máscara no hospital é obrigatório para todos e a estrutura apresenta unidades de álcool espalhadas pelo espaço. “Cumprimos todos os protocolos de segurança e as recomendações da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), tudo o que podemos fazer para colocar o risco de infecção o mais próximo possível do zero”, esclarece Madison.

No entanto, não são todas as cirurgias que estão liberadas. O diretor alerta que procedimentos estéticos ou cirurgias bariátricas ainda não estão sendo realizadas pela instituição. “São cirurgias que não causam prejuízo maior ao indivíduo caso adiadas mais ainda, e, no caso da bariátrica, a pessoa no estado de obesidade mórbida configura como grupo de risco da doença COVID-19”, aponta o médico.

Assim, as cirurgias que devem ocorrer nos próximos dias no hospital se enquadram como ortopédicas, oncológicas e abdominais, por exemplo. Madison frisa que as cirurgias emergenciais nunca foram suspensas no São Camilo Fortaleza.

O procedimento deve ser marcado com a orientação do médico que acompanha o caso, profissional responsável por julgar a necessidade da operação e o momento adequado para ir adiante. Mesmo necessitando verdadeiramente, Madison informa que é comum que os pacientes tenham receio de ir ao hospital neste momento de pandemia. Por isso, reitera que todos da instituição estão trabalhando para a maior segurança do paciente.

“Esperamos que uma segunda onda de casos não venha e que, devagarinho, nós voltemos”, indica Madison. A expectativa é de que, em julho, mês tradicionalmente já de alta demanda, a movimentação de pacientes para essas cirurgias aumente.

Hospital São Camilo Fortaleza

Unidade Nogueira Acioly: Rua Nogueira Acioly, 453 - Centro - Fortaleza / CE
Unidade Costa Barros: Rua Costa Barros, 833 - Centro - Fortaleza / CE
Fone: (85) 3464.7000
E-mail: comunicacao@saocamilofortaleza.org.br

Conteúdo de responsabilidade do anunciante
Imagem destaque
Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Imagem destaque

Hospital São Camilo Fortaleza completa 48 anos e recebe certificação de boas práticas e assistência segura

Saúde
06:00 | Fev. 27, 2020 Tipo Publieditorial

No dia 27 de fevereiro, o Hospital São Camilo Fortaleza completa 48 anos. Destacando-se inicialmente na área obstétrica, outras atividades de atuação e especialidades como neurologia, pediatria, ortopedia e traumatologia e cardiologia foram acrescentadas no decorrer do tempo, além de ter um centro cirúrgico e Unidade de Terapia Intensiva (UTI) com equipamentos modernos.

Inaugurado em 1972 como Hospital Cura d’Ars, à época a maternidade referência do Estado nos anos de 1970 e início dos anos 1980. Nos anos 2000, a gestão do hospital passou a ser feita pela Sociedade Beneficente São Camilo, iniciando seu processo de modernização e começo da atuação em outras atividades, além do atendimento de outras especialidades. Hoje, o hospital tem cerca de 1500 funcionários diretos, entre médicos e parceiros, além de empresas terceirizadas.

“O São Camilo Fortaleza tem hoje 250 leitos. Na sua formatação original, era em torno de 150. Nós quase dobramos esse número nos últimos anos”, afirma Aldenis Machado, diretor administrativo do Hospital São Camilo Fortaleza. Em 2016, a unidade Nogueira Acioly foi inaugurada com o total de 24.000m².

Os diferenciais do Hospital São Camilo Fortaleza

Um dos principais diferenciais do Hospital, segundo Aldenis, é o número de especialidades na emergência. “Hoje são poucos os hospitais em Fortaleza que atendem obstetrícia, pediatria, ortopedia, cardiologia, clínica médica e anestesiologia 24 horas.” Ele acrescenta que o São Camilo ainda conta com atendimento de urologia, cirurgia geral, cirurgia pediátrica, e um pronto atendimento neurológico no serviço de emergência.

Outro ponto citado pelo diretor do Hospital São Camilo Fortaleza são as UTIs com isolamento. Para ele, nesse espaço, o paciente consegue ter mais privacidade, além diminuir o contato com outras pessoas internadas e diminuir o risco de infecção. “Alguns leitos têm pressão negativa, onde o ar é drenado para fora do quarto sem sair do ambiente, diminuindo o risco de infecção dentro da UTI.” Aldenis cita que no São Camilo as UTIs têm visita estendida, então os acompanhantes ficam mais tempo junto ao paciente. “Nosso plano é que isso se estenda para que os familiares possam ficar por mais tempo ou até 24 horas.”

Para que isso seja realizado, o Diretor Administrativo fala da importância de se montar equipes que funcionem de maneira sinérgica. “É essencial organizar pessoas para trabalhem de maneira integrada, onde não haja falhas na passagem do bastão de uma equipe para a outra.” Aldenis pontua que a assistência médico-hospitalar é uma assistência integrada e integral e, em alguns casos, é ininterrupta. “Essa integração entre as equipes é fundamental para que o resultado final do cliente, que é a saída curada ou melhorada, seja o melhor possível.”

Segurança do paciente e certificação de qualidade
De acordo com Aldenis, outro ponto de diferencial do São Camilo é o investimento na segurança do paciente. Em 2019, o Hospital São Camilo conquistou o nível três da Organização Nacional de Acreditação (ONA), órgão brasileiro que faz certificação de qualidade. “Nós atingimos o nível de excelência e isso garante que o hospital tem boas práticas, uma assistência segura. Não somos à prova de falhas, mas temos barreiras para que isso não aconteça. O selo garante que temos boas práticas de redução de desperdício, preocupação com a satisfação dos clientes e profissionais.”

Sobre a perspectiva para 2020 e os próximos anos, o diretor administrativo destaca a ampliação de novos leitos de UTI, que já estão em fase final de acabamento e devem ser colocados em operação em março deste ano, além da expansão dos leitos maiores que, de acordo com Aldenis, propiciarão uma participação maior da família dentro da UTI. “Para 2020, queremos criar um serviço de emergência pediátrica separado do adulto. A separação dá maior privacidade para a criança. Também estamos em expansão de um serviço de imagem com novos equipamentos de diagnóstico, como ressonância e deve entrar em operação até o final do ano.”

Para o futuro, Aldenis aponta a continuação de investimentos em qualidade e segurança, além da busca por uma certificação internacional. “Queremos melhorar o serviço e a satisfação dos clientes e, sobretudo a segurança da assistência, que é algo fundamental para quem presta serviço de saúde”, finaliza.

Serviço
Hospital São Camilo Fortaleza

Onde: Rua Costa Barros, 833 - Centro
Telefone: (85) 3464.7000
Aberto 24 horas

Pronto Atendimento São Camilo Fortaleza
Onde: Rua Nogueira Acioli, 453 - Centro
Telefone: (85) 3464.7000
Aberto 24 horas

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine
Conteúdo de responsabilidade do anunciante
Imagem destaque
Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Imagem destaque

Saiba como a assistência pode melhorar a experiência do paciente

PUBLIEDITORIAL
00:00 | Ago. 16, 2019 Tipo Publieditorial

O assunto experiência do paciente, algo novo no Brasil, já vem sendo desenvolvido em outros países como Estados Unidos e na Europa. Oferecer uma assistência com excelência engloba desde o cuidado clínico até a criação de uma cultura que favoreça a experiência completa do paciente. Em pesquisa realizada em 2014 pela Cleveland Clinic, centro médico acadêmico em Ohio, para saber quais fatores influenciam na escolha de um hospital, 41% dos entrevistados responderam que a experiência do paciente era o principal fator.

Na área da saúde, sobretudo na hospitalar, o paciente tem pouca voz e pouca vez, segundo afirma Aldenis Machado, diretor administrativo do Hospital São Camilo Fortaleza. “Pacientes são tratados como números, têm pouca participação no tratamento e quem decide tudo é o médico. A equipe multidisciplinar também tem suas normas e ele acaba sendo coadjuvante no tratamento”, afirma.

Aldenis pontua que a experiência do paciente visa fazer mudanças e colocar o paciente no centro, para que ele tenha mais liberdade de participar do tratamento, além de ter acesso às informações. “Ele poderá discutir junto à equipe médica o melhor tratamento e não ficar como um objeto a ser tratado, mas como uma pessoa que pode e deve participar das decisões importantes.”

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

A relação positiva entre a experiência do paciente e diversos aspectos do processo assistencial, como a melhora clínica, assistência segura e de qualidade, e, em consequência, o estabelecimento de uma relação de confiança entre paciente, familiares e hospital, é um dos pontos citados por Sílvia Mendonça, enfermeira e diretora assistencial do Hospital São Camilo Fortaleza.

Qualidade da assistência

Sílvia pontua que para garantir a qualidade e melhorar a experiência do paciente, o Hospital São Camilo conta com um parque tecnológico atuando em diversas áreas da saúde, incluindo cirurgias de alta complexidade e Pronto Atendimento perfilizado, com atendimento pediátrico e adulto. Além disso, a criação de linhas de cuidados específicos para cada tipo de patologia aliadas às estratégias da instituição fortalece a cultura de segurança já implantada.

Sílvia Mendonça, enfermeira e diretora assistencial do Hospital São Camilo Fortaleza
Sílvia Mendonça, enfermeira e diretora assistencial do Hospital São Camilo Fortaleza (Foto: Priscila Smiths/ Especial para O POVO)

“À medida que o paciente interage com a instituição durante sua jornada assistencial, ele percebe que o cuidado centrado nele vai além dos procedimentos técnicos; está relacionado à humanização, continuidade do cuidado e valorização das pessoas, quesitos presentes no nosso propósito institucional”, aponta a diretora assistencial. Ela acrescenta que o Hospital São Camilo Fortaleza possui processos apoiados pela Gestão da Qualidade e conquistou o certificado da Organização Nacional de Acreditação – ONA NÍVEL II, que atende ao princípio de segurança do paciente e dispõe de planejamento e organização focado na gestão integrada.

Aldenis Machado ressalta que alguns paradigmas devem ser quebrados. “No hospital não se pode comer isso e aquilo, não se pode levar criança. Então, são várias coisas que você pode proporcionar de diferente do tratamento.” Ele cita casos como de um paciente que gosta de ir à missa, encontra-se internado há muito tempo e deseja participar de uma celebração. Ele pode ir a uma capela que o hospital tem.

“São as coisas fora do trivial, que é ficar deitado numa cama tomando um medicamento, que a gente chama de experiência do paciente, que ele tenha uma boa experiência e não seja apenas um objeto”, pontua o diretor administrativo. Machado acrescenta que o hospital também disponibiliza um time de psicólogos que realiza visitas aos pacientes e dá assistência psicológica.

Assistências disponibilizadas pelo São Camilo

- Placa na cabeceira da cama com o nome do paciente (e alguns outros dados de segurança) para que seja sempre chamado pelo nome e não pelo seu leito;

- Os pacientes que recebem implantes são acompanhados via telefone por um ano, para saber se houve algum problema com o implante;

- Equipe multidisciplinar que se reúne para discutir os casos críticos e debater o melhor tratamento com família e o paciente;

- Apoio espiritual, entendê-lo como um todo;

- Ao receber qualquer medicação ou se submeter a qualquer coleta de material, o profissional deve explicar a ele o que será feito ou o que será administrado;

- Em parceria com alguns médicos, é proporcionada uma experiência diferente no parto:

1. Um quarto amplo com ante-sala para a família, que aguarda do lado de fora;

2. Banheira com água quente, que ela leva pra casa de recordação;

3. Luzes especiais no quarto;

4. A paciente pode montar a sua trilha sonora do trabalho de parto;

5. Escolher a música que será tocada quando o bebê nascer;

6. Fotógrafo dentro do quarto para registro completo.

Conteúdo de responsabilidade do anunciante
Imagem destaque
Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Imagem destaque

Dor de cabeça: a hora certa de procurar tratamento

PUBLIEDITORIAL
07:00 | Jul. 12, 2019 Tipo

Com diferentes causas e centenas de tipos, a cefaleia, ou dor de cabeça, é uma condição habitual na população e que requer cuidados especiais caso tome proporções mais graves.

Para explicar como se configura a dor de cabeça, Lucas Silvestre, coordenador médico da neurologia do Hospital São Camilo compara o surgimento da cefaleia com um alarme. No caso, a dor vem como um alerta do corpo de que algo pode estar errado. Em situações mais graves, como uma meningite, Acidente Vascular Cerebral (AVC) ou tumor no cérebro, a cefaleia intensa atua como um sintoma que mostra ao paciente que é preciso buscar ajuda.

Lucas Silvestre, coordenador médico da neurologia do Hospital São Camilo
Lucas Silvestre, coordenador médico da neurologia do Hospital São Camilo (Foto: Divulgação)

"Aproximadamente, 95% da população mundial sofrerá algum dia de episódio de dor de cabeça. É uma estatística bem relevante. As causas dessas dores de cabeça podem ser diversas, sendo na sua maioria condições benignas, porém, às vezes, condições mais sérias podem ser descobertas", comenta.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Um dos contextos pode ser a chamada cefaleia progressiva, na qual a dor piora constantemente, no decorrer de horas ou dias. "Outro cenário é quando se tem dor de cabeça após os 50 anos de idade, se antes nunca teve dor de cabeça. Outra situação em que é preciso procurar hospital é durante um esforço físico ou atividade sexual, por exemplo", ressalta o neurologista.

O neurologista ressalta que é importante procurar atendimento médico, principalmente em situações como: cefaleia progressiva, na qual a dor piora constantemente ao longo dos dias; dor de cabeça que se iniciou após os 50 anos de idade; surgimento da dor durante esforço físico ou atividade sexual; a pior cefaleia da vida; a dor não está passando com os comprimidos.

Por conta dos mais de 100 tipos existentes de cefaleia, cabe ao médico neurologista buscar reconhecer a causa do problema de forma eficiente. “Determinamos os tipos por meio de um diagnóstico clínico, em que o neurologista reconhece o padrão específico da dor, os sintomas associados e, em alguns casos, precisa de exames complementares adicionais, como tomografia computadorizada ou ressonância magnética."

Atenção aos cuidados

O tratamento da cefaleia será realizado de acordo com a necessidade de cada paciente. "No hospital, orientamos o diagnóstico, os cuidados e tratamos a crise. Porém, o tratamento continua na casa do paciente, ou seja, o acompanhamento médico é essencial." Lucas Silvestre reforça a importância de se evitar a automedicação, pois pode acarretar prejuízos para a saúde do paciente.

Acerca do número de atendimentos, o médico relata que as ocorrências de crises de enxaqueca correspondem a cerca de metade dos casos no pronto atendimento neurológico do hospital São Camilo. O corpo clínico dá cobertura 24h ao hospital e é composto por 12 neurologistas, seis neurocirurgiões e sete médicos neurointervencionistas.

Pronto Atendimento Neurológico São Camilo

Quando: presencial, de segunda a sexta-feira, das 8h às 20h.

Sobreaviso após as 20h e nos fins de semana.

Contato: (85) 3464 7000

Conteúdo de responsabilidade do anunciante
Imagem destaque
Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Imagem destaque

Parto adequado: o que for melhor para a mãe e o bebê

PUBLIEDITORIAL
07:00 | Mai. 10, 2019 Tipo

A gravidez pode ser um dos momentos mais felizes na vida de uma mulher que tem o desejo de ser mãe. Entretanto, toda essa excitação vem acompanhada de incertezas sobre o tipo de parto que se deseja ter, natural ou cesariana. O Brasil é o segundo país com maior percentual de cesáreas no mundo, com uma taxa de 55,6% em relação a todos os partos realizados, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS). Em 2017, foram realizados 2,7 milhões de partos.

De acordo com a coordenadora médica da Obstetrícia do Hospital São Camilo Fortaleza, Laura Helena, muitas mulheres optam pela cesariana por terem medo da dor que podem sentir no trabalho de parto ou de o bebê sofrer, e não por indicação médica. "Falta as gestantes entenderem o parto como um processo fisiológico e inicialmente encararem a dor não como sofrimento, mas como uma fase de transição para dar à luz, para fazer o filho nascer", afirma.

Laura Helena, coordenadora médica da Obstetrícia do Hospital São Camilo Fortaleza.
Laura Helena, coordenadora médica da Obstetrícia do Hospital São Camilo Fortaleza. (Foto: Divulgação)

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Para estimular o melhor tipo de parto para cada mulher — seja ele cesariana ou natural — a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), o Hospital Israelita Albert Einstein (HIAE) e o Institute for Healthcare Improvement (IHI) desenvolveram o projeto Parto Adequado. O objetivo do programa é dar atenção ao parto e ao nascimento, adequando a infraestrutura das maternidades e enfatizando a capacitação de profissionais para a segurança da assistência ao parto.

Levando em consideração a particularidade de cada mulher e o seu bem-estar, o Hospital São Camilo Fortaleza adotou a iniciativa e redesenhou modelos de cuidado que valorizam o parto natural. "Não defendemos um parto normal a qualquer custo, mas um parto individualizado para cada gestante. O que não deve acontecer é a opção por parto cesariano sem indicação precisa ou sem avaliar os riscos e benefícios", afirma Laura Helena.

As cesarianas são necessárias nos casos em que um parto vaginal colocaria a mãe ou o bebê em risco — como acontece em casos de parto distócico, gravidez múltipla, pressão arterial elevada da mulher ou problemas com a placenta ou com o cordão umbilical. Entretanto, algumas cesarianas são realizadas sem uma justificação médica, mas a pedido de alguém, geralmente da gestante.

De acordo com a médica, outra forma de orientar a gestante para um parto adequado é a construção do plano de parto, que são ações que acontecerão durante o trabalho de parto e o pós-parto, deixando claro para os profissionais os desejos da paciente durante um momento único na vida da família.

No Brasil, segundo a OMS, o percentual de partos normais no Sistema Único de Saúde (SUS) ainda é maior do que o de cesariana — sendo 59,8% frente a 40,2% de cesáreas. Ainda segundo a Organização, essa contagem é considerada grande para o número de cesáreas que ocorrem, e tem levado a nascimentos prematuros. Com isso o projeto Parto Adequado tem o objetivo de reduzir o percentual de cesarianas sem indicação clínica, entre elas o fim das cesáreas agendadas antes das 39 semanas de gestação, o que reduz os internamentos na UTI neonatal.

"Atualmente, as informações são acessíveis. Cursos de preparação para o parto, conversas e questionamentos com profissionais de saúde e com pessoas que já passaram pela experiência do parto contribuem para que, durante a gravidez, a gestante possa entender e decidir sobre o nascimento do bebê", acrescenta Laura Helena.

Conteúdo de responsabilidade do anunciante
Imagem destaque
Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags