PUBLICIDADE
PUBLIEDITORIAL etalks

O que diz a lei sobre home office? Confira hoje, 19h, no O POVO

Debate sobre Trabalho em Home Office: Desafios e Oportunidades estreia projeto E-Talks. Exibição é gratuita pelo YouTube e Facebook do O POVO

23/10/2020 07:00:08
FORTALEZA, CE, BRASIL, 21.10.2020:  Gravação do programa E-TALKS com Leda Maria no estúdio da TV O POVO - da esquerda Jaime Bellicanta, Carlos Alberto Rebonatto, Plauto Carneiro Porto, Lêda Maira, Franzé Gomes, Cibele Girão e Luiz José de Menezes (Fotos: Fco Fontenele/O POVO)
FORTALEZA, CE, BRASIL, 21.10.2020: Gravação do programa E-TALKS com Leda Maria no estúdio da TV O POVO - da esquerda Jaime Bellicanta, Carlos Alberto Rebonatto, Plauto Carneiro Porto, Lêda Maira, Franzé Gomes, Cibele Girão e Luiz José de Menezes (Fotos: Fco Fontenele/O POVO)

O home office não é uma criação dos tempos atuais em que atravessamos uma pandemia, mas sua popularização pelo mundo é sim uma reinvenção. A Covid-19 pegou a todos de surpresa e a estratégia de separar os times do mesmo espaço físico, manter as pessoas seguras em casa, e encontrar mecanismos e tecnologias para manter empresas conectadas e equipes engajadas elevou o home-office a uma solução eficiente para driblar a crise.

O assunto é tema de estreia do E-talks, que vai ao ar hoje, 19 horas, com transmissão via Facebook e YouTube do O POVO. O E-talks promove debates sobre as principais questões da atualidade. Nesta edição, o assunto é Trabalho em Home Office: Desafios e Oportunidades.

O formato da conversa é instigante. Conduzida pela jornalista Lêda Maria, de um lado o presidente do Conselho Temático de Relações Trabalhistas e Sindicais (Cosin), da Fiec, Jaime Bellicanta, o diretor da Fecomércio Ceará, Luiz José de Menezes e a analista do Sebrae Ceará, Cibele Girão fazem perguntas para o desembargador do Tribunal Regional do Trabalho da 7ª Região (TRT-7), Franzé Gomes, e o juiz do trabalho, Carlos Alberto Rebonatto. Há também a participação do presidente do Tribunal Regional do Trabalho, Plauto Carneiro Porto.

As questões passeiam pela diferença entre tele-trabalho e home office. Quais cuidados em relação ao home office. Quais as formalidades para o trabalhador em home office. Quem trabalha em home office tem os mesmos direitos? Se patrão e empregado não definirem sobre custos como energia e água, é possível o empregado pedir o ressarcimento desses custos?

As respostas ampliam o entendimento sobre dúvidas que são comuns a praticamente todo mundo que está ou esteve sob esse modelo de trabalho. E foi muita gente. O desembargador Franzé, afirma que o home office é uma estrada que não tem retorno. 49% empresas brasileiras usam home office e 70% dos empregados hoje preferem o regime de home office. O juiz do trabalho, Carlos Alberto Rebonatto reforça a necessidade de contrato formal para estabelecer os limites do home office. E lembra: os mesmos critérios utilizados nas empresas, vale para o home office.

Para saber as respostas para as demais questões e outras abordagens, assista hoje, 19 horas, o E-talks, edição Trabalho em Home Office: Desafios e Oportunidades.

Acesse: Facebook O POVO

YouTube O POVO

TAGS