PUBLICIDADE
PUBLIEDITORIAL empreender

Gestão de Indicadores: como analisar o sucesso da sua empresa

O sistema se baseia no monitoramento dos processos com o objetivo de potencializar a tomada de decisão dos gestores

02/03/2021 00:00:05
O indicador funciona como uma auto-avaliação onde o empreendedor é quem define o que ele quer ser e onde quer chegar
O indicador funciona como uma auto-avaliação onde o empreendedor é quem define o que ele quer ser e onde quer chegar

Você sabe calcular o desempenho de sua empresa? Qual o seu critério de sucesso? Perguntinhas simples como estas, nem sempre tem a resposta na ponta da língua, mas deveriam. Mensurar o desempenho do seu negócio é imprescindível para saber se ele está indo no rumo certo. Quando não se tem indicadores precisos, o feeling ou somente seu desejo de que o negócio dê certo, não serão suficientes para alavancar sua empresa.

A pergunta que vem na sequência é: mas como medir este sucesso? O articulador de Gestão Estratégica do Sebrae/ Ce, Felipe Cruz, explica que “ a forma mais prática e objetiva de realizar essa análise é através da definição, acompanhamento e revisão de indicadores. São eles que nos ajudam a entendermos se estamos indo bem para alcançarmos os nossos objetivos ou se precisamos de uma correção na nossa rota empresarial”, define. De posse desses dados, é possível corrigir e melhorar diversos pontos de forma mais assertiva. Portanto, a gestão de indicadores é fundamental para que se possa rodar os ciclos de revisão e aprendizagem periódicos numa empresa.

Felipe explica que, de forma geral, esses indicadores podem ser categorizados em estratégicos, táticos e operacionais:
 - Indicadores Estratégicos: são aqueles voltados para o longo prazo, derivam do propósito e daquilo que a empresa entende como sendo sua missão na sociedade; Por exemplo, atingir 15% da cobertura dos meus potenciais clientes, me tornar o número 1 de vendas.

 - Indicadores Táticos: são aqueles gerenciais, voltados para o médio prazo, derivam das articulações e objetivos periódicos que a empresa precisa atender ou atingir;

 - Indicadores Operacionais: são aqueles de curto e curtíssimo prazo, que dizem respeito às ações cotidianas da empresa.


A escolha vai depender daquilo que o empreendedor considere como critério de sucesso estratégico para o curto, médio e longo prazo: “Dessa forma, o empresário precisa se perguntar, para definir seus indicadores estratégicos, 'como eu desejo impactar a sociedade?' ou ainda 'como eu desejo que a empresa esteja daqui a 2-3 anos?', por exemplo, para a partir daí criar indicadores que sejam compatíveis com seus planos e desejos empresariais”, pontua o articulador. O mesmo pode ser aplicado para os outros tipos de indicadores, sempre diminuindo o horizonte e o escopo da pergunta para os níveis táticos e operacionais, respectivamente.

Para as pequenas empresas, Felipe sugere a criação de 1 indicador para cada uma das três categorias listadas acima: Na medida em que o empreendedo comece a se familiarizar com a gestão por indicadores, ele pode expandir o número de indicadores a fim de mensurar melhor e de forma mais eficiente os seus resultados”. Depois que um indicador estiver definido ele pode ser acompanhado através de um programa específico, uma planilha de Excel ou um caderno de anotações. Tudo vai depender da prática e disposição com cada uma dessas tecnologias e também da forma de mensuração de cada um, por exemplo: “um indicador tático de 'Nível de satisfação do cliente' necessita de uma pesquisa com os clientes, enquanto um indicador operacional como 'Redução dos custos de produção' precisa somente que você tenha todos os registros do que gastou”, exemplifica.

A lista desses indicadores vai dependender do objetivo do empreendedor, é uma auto-avaliação na qual é você quem diz o que seu negócio vai ser e onde quer chegar: “Todo indicador precisa de uma meta, então é o atingimento (ou não) da meta que me diz se eu estou indo bem com meus objetivos ou não”. Ele explica ainda qual é a melhor forma de definir esse indicador: “Eu arriscaria dizer que a melhor forma seria mesclar um pouco de Benchmarking (qual a meta que meus concorrentes estabelecem?), Histórico (Como esse indicador se comportou da última vez que eu o medi?) e Desejos (Qual o desafio que eu desejo impor para a minha própria superação?)”.


Gostou este conteúdo? Então participe do curso GRATUITO 'Gestão e Liderança: Empreender em tempos de crise' e aprenda muitas outras estratégias para alavancar seu negócio


O curso, realizado pela Fundação Demócrito Rocha, é uma grande oportunidade para ampliar seus horizontes e ajudar você a tirar sua ideia de negócio do papel. Assim como também ajudar micro e pequenos empreendedores a superar a crise e alavancar seus negócios. Inscreva-se GRATUITAMENTE aqui

TAGS