PUBLICIDADE
PUBLIEDITORIAL

Conheça três cirurgias plásticas mais procuradas pelos brasileiros

Mamoplastia, abdominoplastia e lipoaspiração estão no ranking de cirurgias plásticas mais buscadas no Brasil. País é o segundo no mundo em número de procedimentos

08:00 | 20/11/2018
Procedimentos estéticos devem ser realizados por profissionais habilitados e registrados na Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), indica especialista. Foto: Camila de Almeida
 O compartilhamento de imagens pessoais vem transformando a relação dos indivíduos com sua imagem pessoal. Estabelecendo um paralelo, a tendência comportamental impacta diversos setores, a exemplo da medicina, por meio de cirurgias plásticas. O culto ao corpo pode inclusive ser comprovado em números: o Brasil chegou a ocupar o topo do ranking mundial em número de cirurgias plásticas em 2013. Atualmente, o país está na posição de vice-líder - perde apenas para os Estados Unidos, que possui quase o dobro da população brasileira. Entre os procedimentos mais buscados estão a mamoplastia de aumento, abdominoplastia e lipoaspiração.  
 
O cirurgião plástico Harley Cavalcante (CRM-CE 6229 / RQE 2904), membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), explica que, logo no início de uma consulta com a finalidade de realização de mamoplastia de aumento, conhecida também como colocação de próteses mamárias, alguns fatores precisam ser esclarecidos junto a pacientes. Um dos aspectos é a compatibilidade entre o volume de prótese desejada e o suportado pela anatomia corporal. "Tenho que saber se ela quer uma mama muito projetada ou mais natural. Mas, no final, o que vai definir o volume a ser adicionado é a anatomia corporal como a circunferência do tronco e a altura da paciente."
 
Outra questão é a segurança do procedimento. As próteses atuais, em sua quinta geração tecnológica, não necessitam ser obrigatoriamente trocadas a cada dez anos como no passado; elas serão trocadas quando eventuais sinais de desgastes das mesmas surgirem nos exames de imagem rotineiros efetuados pelas mulheres. O médico esclarece que o implante de silicone é um material utilizado em cirurgias plásticas há décadas, biocompatível e seguro. "Não é uma cirurgia longa, nem de recuperação dolorosa, e geralmente a paciente leva de duas a três semanas para voltar à vida normal."
 
O cirurgião, contudo, alerta para a necessidade de dissociar aumento de volume e levantamento da mama. "Um procedimento não substitui o outro, são duas coisas diferentes. Se as mamas estão caídas, somente o silicone não vai resolver. Nesse caso, além de colocar a prótese, temos que levantar essa mama, uma cirurgia chamada de mastopexia."
 
Abdominoplastia e Lipoaspiração
Procedimento estético procurado em sua maioria por mulheres, a abdominoplastia reposiciona a musculatura abdominal, e retira o excesso de pele e gordura do abdômen. A cirurgia é geralmente realizada em pacientes que perderam muito peso ou mulheres que passaram por múltiplas gestações que resultaram em um abdome flácido. Cavalcante frisa que esse tipo de cirurgia deve ser percebida como start para se iniciar um novo estilo de vida. O médico argumenta que, se o paciente voltar a se alimentar de forma desregrada e permanecer em uma vida sedentária, pode recuperar o abdômen que tinha antes da cirurgia. 
 
O médico fala que confundir as cirurgias como procedimento para emagrecimento está entre os principais erros que costumam acontecer. "Aparecem muitos pacientes no consultório querendo fazer o abdômen, mas estão bem acima do peso e a cirurgia de abdominoplastia não tem a finalidade de emagrecer, e sim de definir um contorno corporal mais agradável." O pós-operatório leva uma média de três a quatro semanas.
 
Assim como a abdominoplastia, a lipoaspiração é um procedimento de definição de contorno corporal. Seu objetivo é retirar gordura localizada. Se o paciente possui gordura disseminada, deve antes emagrecer, uma vez que estar próximo do peso ideal é condição para realizar o procedimento. A cirurgia é realizada com a introdução de uma cânula conectada a uma mangueira, que leva um aparelho responsável por realizar a sucção controlada. "Há um limite de segurança para a lipoaspiração. O limite máximo é de 7% do peso corporal, ou 40% da área corporal do paciente."
 
Cavalcante defende que, apesar do senso comum relacionar alto risco ao procedimento, a lipoaspiração é uma das cirurgias mais realizadas no mundo e de segurança considerável. Alguns cuidados, no entanto, são exigidos. "Eu sempre digo aos pacientes que lipoaspiração não deve ser feita exageradamente além do permitido e em ambientes fora de hospital. Um dos maiores problemas que vivenciamos hoje são pessoas que não são cirurgiões plásticos fazendo o procedimento irresponsavelmente." 
 
 
Serviço
Clínica Juvenesse
Onde: Avenida Santos Dummont, 2456 - 10º Andar (sala 1008) - Meireles
Mais informações: (85) 3067.9510 | harleycavalcante.com.br/