PUBLICIDADE
PUBLIEDITORIAL dicas

Consumo excessivo de energéticos pode causar riscos à saúde

Com a chegada do carnaval, é hora de alertar sobre os perigos da mistura da bebida, que é comumente ingerida com álcool

16/02/2017 13:15:00
NULL
NULL

[FOTO1]

Correndo atrás de uma troça, sambando ao som das potentes e alegres baterias, dançando nos shows. O Carnaval exige disposição. E há quem recorra a combinações estimulantes que prometem garantir muito vigor para encarar os dias de Momo. As bebidas energéticas, por exemplo, são as principais escolhas de uma grande maioria que, com o intuito de se manter ‘ligado’, exagera no consumo e coloca em risco a própria saúde. O alto teor de cafeína é um dos principais fatores que podem trazer prejuízo a quem ingere a bebida sem moderação, causando entre outras coisas, crises de ansiedade, insônia e problemas cardíacos.

 

 

“A concentração elevada de cafeína pode trazer males à saúde, como a arritmia cardíaca e labirintopatia. Some-se a isso o estresse e o cansaço de uma noite inteira em claro, que também se configura como fator predisponente”, comenta o clínico do Hapvida, Maurício Cavalcante.

 

 

Estudos da Agência Europeia de Segurança Alimentar (EFSA), feitos em 2013, deixaram em alerta a Organização Mundial de Saúde (OMS) sobre o aumento no consumo de bebidas energéticas, o que poderia torná-lo um problema de saúde pública, principalmente se ingeridas com álcool, algo bem comum entre os consumidores da bebida. “A mistura potencializa os efeitos e pode ser um sério risco quando o paciente já é portador de alguma cardiopatia prévia, e nem tem conhecimento disso”, pondera o clínico do Hapvida.

 

 

Para quem está fazendo dietas, o exagero no consumo de energéticos e a combinação com álcool também não são recomendados. “Em média, uma lata de 250ml de bebida energética tem 110 kcal, esse valor dentro de uma dieta equilibrada não engorda. Mas quando consumida com bebida alcoólica, por exemplo, é preciso somar as calorias do álcool e dos alimentos que, porventura, acompanhem a bebida”, avalia Gabriela Ramos, nutricionista do Hapvida.

 

 

TAGS