PUBLICIDADE
PUBLIEDITORIAL dicas

Férias é tempo de rever hábitos alimentares e praticar atividades físicas em família

Ressignifique suas férias. O período de descanso não pode ser relapso com sua saúde. Ao contrário, é tempo de conviver em família e iniciar hábitos mais saudáveis. Especialistas do Hapvida Saúde dão dicas para aproveitar melhor o tempo

06/01/2017 18:23:00
NULL
NULL

[FOTO1] 

Longe da rotina, o período de férias é tempo de lançar-se no novo, provar sabores, exercitar a descoberta, ir além do que o cotidiano nos permite. Para especialistas, um bom período para elaborar em família hábitos mais saudáveis de alimentação e praticar atividades físicas. Porque os cuidados com o corpo não podem pedir licença.

Para Danielle Cardoso, nutricionista do Hapvida, o período de recesso deve ser utilizado para promover a educação alimentar, já que muitos pais têm mais tempo livre com seus filhos nesta época. Segundo ela, alimentando-se de forma correta os pequenos mantêm a energia e imunidade em dia para curtir as férias com saúde. “A família e a criança podem elaborar um cardápio bem diversificado com frutas, sucos, saladas de frutas, sanduíches naturais, vitaminas, bolo simples e tapiocas”, indica.

Danielle sugere que as crianças participem do preparo dos alimentos, transformando este, um momento prazeroso em família. E já que o tempo não corre contra, evite os fast food, cheios de frituras e doces que comprometem diretamente a saúde por possuírem um alto valor calórico e pouca ou nenhuma proteína necessária para o desenvolvimento da meninada.

Geysiane Carvalho Mendes, também nutricionista do Hapvida Saúde, alerta para a importância de manter, pelo menos, as três principais refeições do dia. Mesmo que a criança acorde mais tarde, ela explica que o horário não pode "engolir" o café da manhã. À mesa, é interessante que haja opções de carboidrato, presente em pães e bolos, por exemplo, para dar energia; proteína, encontrada em queijos, iogurtes e leite, para melhorar o sistema imunológico e garantir força muscular; além de fibras, que estão nas frutas e  melhoram o funcionamento de órgãos do sistema digestivo. Acrescente a tudo isso um bom café, que é termogênico e ajuda a despertar os sentidos.

O almoço precisa ter nutrientes semelhantes, só que de fontes mais diversas, como as leguminosas e as carnes – de preferência, brancas, que são menos gordurosas e calóricas. À noite, no jantar, nada de comidas pesadas. O objetivo dessa refeição, segundo a especialista, é garantir que o corpo repouse durante as horas de sono com energia suficiente para funcionar bem enquanto dorme.

E ao longo do dia ainda cabem lanchinhos. Nesse caso, o ideal, explica Geysiane, é que os pais prefiram pães, bolos ou integrais, em vez de pães brancos, biscoitos recheados e salgadinhos. Os sucos naturais devem ser escolhidos no lugar dos de caixinha, refrigerantes e achocolatados - produtos industrializados que têm altos níveis de açúcares, gorduras e conservantes, além de baixo valor nutricional.

Danielle Cardoso também destaca a importância de associar a atividade física à boa alimentação. “Estimular essa prática é fundamental em qualquer fase da vida e muitas dessas atividades podem se tornar brincadeiras. Assim, quando associamos com uma alimentação saudável, diversos fatores positivos andam em conjunto como, por exemplo, a redução de desenvolvimento de doenças crônicas não transmissíveis - hipertensão arterial, diabetes mellitus, dislipidemias - e controle do peso corporal”, enfatiza.

 

[FOTO2] 

Augusto Borges, pediatra do Hapvida, diz que ir à praça, praia ou parquinho, andar de bicicleta, skate ou simplesmente brincar de correr são importantes atividades para o desenvolvimento da criança, tanto físico, quanto social. “Vivemos em um tempo em que a chupeta foi substituída pelo tablet, transformando-se em um elemento de alívio para os pais. E, apesar de sabermos que a tecnologia veio para contribuir, essa não é o melhor das opções na hora de educar”, acredita.
 
O médico afirma que os pequenos nunca devem passar mais de 20% do seu tempo total de atividades no dia em frente à TV, videogame ou computador. “Afinal, a criança não pode crescer em uma vida apenas cibernética”, argumenta.

Ele explica que o excesso de tempo dedicado aos equipamentos eletrônicos em detrimento ao exercícios físicos pode trazer problemas de várias ordens: funcional, digestiva e até mesmo perda de sentidos. “Os pais devem incentivar seus filhos a explorar tudo que as circundam. Precisamos estar em constante movimento para que nosso organismo se adapte ao mundo”, ressalta. O pediatra sugere ainda outras atividades que instiguem a educação auditiva e visual como cinema, teatro e leitura de livros. As férias são um convite.

TAGS