PUBLICIDADE
PUBLIEDITORIAL cref5

Atuação do CREF5 durante a pandemia protege o profissional de educação física e regulariza profissão

Conselho lutou pelo reconhecimento da área como atividade essencial

21/07/2021 06:00:26
CREF5-CE trabalhou em convencer as autoridades responsáveis da necessidade da prática das atividades físicas e da possibilidade de se ter uma retomada gradual com segurança
CREF5-CE trabalhou em convencer as autoridades responsáveis da necessidade da prática das atividades físicas e da possibilidade de se ter uma retomada gradual com segurança

A prática de atividades físicas em academias foi considerada atividade essencial em decisão sancionada pelo Prefeito de Fortaleza, José Sarto Nogueira (PDT), em março deste ano. Além disso, o Governador do Ceará Camilo Santana (PT) anunciou, em abril, a liberação de atividades físicas em espaços públicos e abertos. São conquistas como essas que têm guiado os objetivos do Conselho Regional de Educação Física da 5ª Região (CREF5-CE) neste momento de pandemia.

Para que essas decisões pudessem ser tomadas, a presidente do CREF5-CE, Andrea Benevides, explica que a principal dificuldade foi convencer as autoridades responsáveis da necessidade da prática e da possibilidade de se ter uma retomada gradual com segurança. Para combater essa resistência, foram apresentados estudos com dados científicos e epidemiológicos que mostram as consequências do confinamento e da ausência das atividades físicas adequadas para a saúde da população.

“O profissional de Educação Física é o maior aliado do Estado na prevenção, promoção e tratamento de saúde da população. As pessoas entenderam a importância de um estilo de vida ativo para resguardar o sistema imunológico”, aponta Andrea. O conselho atuou, ainda, para garantir a vacinação dos profissionais de educação física e outras dificuldades que o setor possa estar enfrentando.

De acordo com a profissional de Educação Física e empreendedora Taiana Lohmann, a atuação do Conselho abarca, também, a preocupação com a formação dos profissionais, com a promoção de cursos e palestras online. “O Conselho fez o que pôde, não mediu esforços para que tivéssemos condições de voltar a atuar. A postura do profissional de educação física frente ao CREF5 deve ser se aproximar para ajudar”, sugere.

A fiscalização é outra atividade atribuída ao Conselho, já que, como informa Andrea, algumas restrições que permanecem, como em relação à prática de esportes coletivos e à estruturação de equipamentos em público para atendimento, ainda se mostram necessárias para evitar aglomerações. Além disso, foi fundamental reforçar a regularização da atividade, visto que muitos educadores tiveram que migrar para plataformas online, um ambiente mais suscetível a falsos profissionais. Em 2020, foram protocoladas 31 notícias-crimes após análise de perfis em redes sociais, além de terem sido recebidas 45 denúncias de exercício ilegal online e 31 de academias funcionando descumprindo o decreto vigente na época.

Para o sócio das academias Greenlife, Victor Erbereli, o trabalho do Conselho pela categoria auxilia na expectativa otimista para a atividade. “A busca por um estilo de vida mais saudável tem aumentado muito e estão chegando às academias pessoas que nunca haviam treinado. Vejo esse mercado crescendo muito nos próximos anos”, indica.

Fiscalização do CREF5 CE durante a pandemia (março 2020 - maio 2021) no Ceará

Foram fiscalizados:

- 1.472 profissionais registrados

- 413 pessoas físicas não -profissionais (estudantes, graduados sem registro ou pessoa sem formação)

- 137 estabelecimentos

- 1.161 certificados pelo Cref5

- 599 sem registro no Cref5

Foram encaminhados:

- 326 pessoas por exercício ilegal da profissão, sendo 40 pelo exercício ilegal online

- 253 pessoas por exercício irregular da profissão (profissionais fora da categoria de habilitação)
Foram atendidas 183 denúncias, sendo 128 só na região metropolitana de Fortaleza.