PUBLICIDADE
PUBLIEDITORIAL ApaixonadosPorGente

Asma e Covid-19: como diferenciar os sintomas?

Apesar de não ter cura, a asma pode ser controlada com medidas domésticas simples

10/08/2020 07:00:18
Pacientes asmáticos devidamente medicados não estão sujeitos a um risco maior de Covid-19 (Foto: Freepik)
Pacientes asmáticos devidamente medicados não estão sujeitos a um risco maior de Covid-19 (Foto: Freepik)

Asma é um fator de risco para rinite e sinusite. E muitos dos sintomas dessas doenças respiratórias são semelhantes aos provocados pela Covid-19, causada novo coronavírus. Entenda como diferenciar:

Quais os sintomas da asma?

 Os principais sintomas são tosse seca, chiado no peito, dificuldade para respirar, respiração rápida e curta, desconforto torácico e ansiedade. "Os sintomas pioram à noite e nas primeiras horas da manhã ou em resposta à prática de exercícios físicos, à exposição a alérgenos, à poluição ambiental e a mudanças climáticas”, acrescenta a oncologista pediátrica do Sistema Hapvida, Paula Carvalho.

O que causa a asma?

 Alergias provocadas por poeira, ácaro, mofo ou pelos de animais; infecções e viroses, como gripes e resfriados, ou ainda as sinusites; mudanças climáticas; poluição; cheiros fortes; esforço físico; aspectos emocionais. Além disso, Paula explica que até alguns tipos de medicamentos podem gerar asma, bem como alimentos, refluxo gastroesofágico “Também tem causas hormonais, fatores relacionados ao trabalho ou a escola, asma provocada por outras doenças”, explica a médica.

Asma é uma doença comum?

É uma das doenças mais respiratórias crônicas mais comuns, juntamente com a rinite alérgica e a doença pulmonar obstrutiva crônica. Atinge cerca de 235 milhões de pessoas em todo o mundo, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS). No País, cerca de 20 milhões de pessoas são diagnosticados com asma.

Pacientes com asma são grupo de risco para Covid-19?

Pacientes devidamente medicados não estão sujeitos a um risco maior de Covid-19. É o que explica a oncologista pediátrica Paula Carvalho. Asmáticos não podem suspender a medicação por conta própria, e os cuidados são os mesmos indicados para todos: uso de máscaras, higienização frequente das mãos, evitar tocar no rosto, distanciamento social.

Como tratar a asma?

A asma não tem cura, mas os pacientes podem recorrer a tratamentos sintomáticos ou de resgate, quando são utilizados os broncodilatadores. Também existem tratamentos de controle ou anti-inflamatório, com medicações como corticóides inalados isolados ou associados a broncodilatadores de longa duração. O tratamento correto deve ser prescrito por um médico após a avaliação do caso, informa Paula Carvalho. “A prática regular de exercícios físicos é fundamental para pacientes com asma sob controle, já que amplia a capacidade respiratória”, garante Paula Carvalho.

Como diminuir os sintomas da asma?

Diminuir o contato com os ácaros e com o pó doméstico é fundamental. Para isso, areje os ambientes; limpe diariamente a casa com aspirador e pano úmido, sem produtos com cheiro forte (não use vassouras, pois espalham a poeira fina); retire tapetes, carpetes, cortinas, almofadas, estantes com livros, bichos de pelúcia e tudo que facilite o acúmulo de pó; use capas em colchões e travesseiros com tecido específico, para criar uma barreira física contra o ácaro; evite animais dentro de casa.