PUBLICIDADE
PUBLIEDITORIAL ApaixonadosPorGente

Parto normal: sempre uma opção às mulheres

Inaugurado em agosto de 2017, o Hospital e Maternidade Eugênia Pinheiro incentiva o parto adequado e conta com serviços voltados para a saúde da gestante e do bebê

24/12/2018 07:00:00
Durante a gravidez da terceira filha, Ana Gabriela, que chegou no dia 27 de abril de 2018, a executiva buscou informações acerca da forma como a pequena poderia vir ao mundo.
Durante a gravidez da terceira filha, Ana Gabriela, que chegou no dia 27 de abril de 2018, a executiva buscou informações acerca da forma como a pequena poderia vir ao mundo.

Após dois partos feitos a partir de cesariana, a diretora de vendas Alessandra Linhares conseguiu passar pela experiência do nascimento de um filho pelo processo mais natural. Durante a gravidez da terceira filha, Ana Gabriela, que chegou no dia 27 de abril de 2018, a executiva buscou informações acerca da forma como a pequena poderia vir ao mundo. “Decidi estudar um pouquinho mais, li sobre parto normal, humanizado, e decidi que iria lutar para conseguir ter um parto normal”, afirma.

O nascimento aconteceu no Hospital e Maternidade Eugênia Pinheiro, do Hapvida. “As enfermeiras e médicas me deram um suporte totalmente humano, sempre me empoderando. Em nenhum momento eu fui forçada a nada. Escolhi o local de parir, tive minha filha debaixo do chuveiro. Foi muito mais lindo do que eu imaginei”, relembra a diretora. Durante o parto, Alessandra teve a companhia de seu marido e de sua doula, profissional que auxilia mãe durante a gestação e no momento do parto, ajudando na escolha de posições mais favoráveis e utilizando técnicas para o alívio da dor, por exemplo.

Quando teve a primogênita, Ana Flávia, hoje com nove anos, Alessandra chegou a tentar o parto normal, mas não conseguiu a “evolução” necessária e teve que fazer uma cesariana. O segundo filho, Gabriel, de três anos, também nasceu por meio de parto cirúrgico.

Dividindo experiências

Horas após o nascimento da filha mais nova, Alessandra dividiu a experiência com futuros mães e pais que participavam da Roda de Gestante, iniciativa do projeto Nascer Bem — programa de assistência pré-natal da HapPrev (medicina preventiva do Hapvida) —, que acontece no Eugênia Pinheiro. No último sábado de cada mês, o debate é realizado e, nele, as gestantes e seus parceiros podem tirar dúvidas acerca da gravidez e do nascimento, além de conhecer as instalações do hospital e as salas de parto adequadas.

Incentivo à humanização

O Hospital e Maternidade Eugênia Pinheiro é um dos participantes do projeto Parto Adequado, criado pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), pelo Hospital Israelita Albert Einstein (SP) e pelo Institute for Healthcare Improvement (IHI), com o apoio do Ministério da Saúde. A iniciativa tem o objetivo de apoiar o parto normal e reduzir o percentual de cesarianas realizadas sem necessidade, tendo em vista os riscos que a cirurgia traz para a mulher e para o recém-nascido. “A meta desse projeto era atingir 40% de partos normais e o Eugênia Pinheiro conseguiu. Nós fomentamos, estimulamos que a mulher chegue aqui e oferecemos uma estrutura adequada para essa mãe que quer ter o seu bebê de parto normal”, afirma Izabela Parente, diretora médica do Eugênia Pinheiro e pediatra neonatologista.

Atualmente, cerca de 600 nascimentos acontecem por mês no Hospital, dos quais quase 50% são normais. Para facilitar o parto natural, o Eugênia Pinheiro oferece seis salas de parto adequado, quartos equipados com banheiro; cama PPP, utilizada no pré-parto, parto e pós-parto; bola de pilates; e um banco próprio para o procedimento, onde as mães podem ter o bebê em posição mais confortável. “[É um] ambiente com enfermeira obstétrica e médico dando suporte, fazendo o acompanhamento. O banheiro tem água morna, já está comprovado que medidas não farmacológicas como essa ajudam na dor”, ressalta a diretora médica. As parturientes também têm direito a um acompanhante de sua escolha, além de poderem levar sua doula, que deve ser previamente cadastrada pelo Hospital. 

  

Outra iniciativa de apoio ao atendimento humanizado é o método canguru, destinado aos bebês prematuros que já têm condição de deixar a UTI. São dez leitos no Espaço Mãe Canguru, onde mãe e filho convivem 24 horas e podem aumentar o vínculo por meio do contato pele a pele. Para a pediatra, a técnica é benéfica para ambos. “Tiramos o recém-nascido de um ambiente de UTI, que sabemos que envolve riscos, por mais que tenhamos todos os cuidados, e colocamos junto com a mãezinha dele. (...) Vou ter oportunidade de fortalecer também o emocional dela para cuidar desse recém-nascido e ele vai se desenvolver mais rápido”, defende.

Hospital e Maternidade Eugênia Pinheiro

Inaugurado em agosto de 2017, o hospital Eugênia Pinheiro foi concebido para atender ao público materno-infantil. “Somos a emergência para onde essas pacientes [grávidas] devem vir, no momento em que tiverem necessidade, porque entrou em trabalho de parto, na hora ou precocemente. Temos uma equipe de plantão com obstetras e neonatologistas, se precisar de exame, temos suporte do serviço de imagem, laboratório 24 horas e também um posto de observação”, explica Izabela.

Entre os serviços oferecidos pelo hospital, estão a maternidade, serviço de urgência voltado para gestantes, unidade de terapia intensiva (UTI) neonatal, centro obstétrico com seis salas de parto adequado, centro cirúrgico, Espaço Mãe Canguru, consultórios ginecológicos e sala de observação de alto risco. Além disso, os recém-nascidos só recebem alta após testes médicos. “O bebê que nasceu saudável, a termo [dentro do período esperado] e não teve nenhuma intercorrência fica 24 horas conosco e recebe alta após o checklist ser feito, os testes da linguinha, da audição e do coração”, afirma a neonatologista.

Serviço

Hospital e Maternidade Eugênia Pinheiro

Onde: avenida Heráclito Graça, 500 - Centro

Mais informações: (85) 3455 5728

Programa Nascer Bem

Mais informações: (85) 4020 1785

TAGS