PUBLICIDADE
PUBLIEDITORIAL ApaixonadosPorGente

Informação como base principal para uma gravidez tranquila

Programa Nascer Bem, iniciativa da HapPrev, realiza ações que incentivam gestação equilibrada e encorajam as gestantes a escolherem o parto mais adequado para mãe e o bebê

10/12/2018 11:19:00
Para a secretária Denise Melo, a chegada do filho Miguel foi uma sensação incrível.
Para a secretária Denise Melo, a chegada do filho Miguel foi uma sensação incrível.

Em meio a um exame de rotina, veio a descoberta: o que parecia ser apenas um enjoo rotineiro se revelou como uma gravidez inesperada. Para a secretária Denise Melo, a chegada do filho Miguel foi uma sensação incrível. Após o primeiro ultrassom, Denise diz que, de imediato, “começou a vida de mãe”. Desde então, mesmo após noites difíceis, a relação com o bebê só melhora.

Com o auxílio do Programa Nascer Bem, iniciativa da HapPrev [medicina preventiva do Hapvida], o acompanhamento foi constante até depois do período do parto. Entre as atividades realizadas no Programa, Denise afirma que houve momentos importantes para algumas de suas escolhas. “Fiz um curso para gestante e foi ótimo. Falava desde o inicio do pré-natal até os cuidados com o recém-nascido. Também fiz uma visita no hospital maternidade acompanhada com as enfermeiras do projeto. Essa visita fortaleceu ainda mais minha decisão de realizar um parto normal”, pontua.

Além disso, a visita ao hospital fez com que Denise ficasse ainda mais ansiosa pelo momento do nascimento. “Adorei conhecer o quarto PPP [pré-parto, parto e pós-parto], eu já me imaginava naquele quarto bonito e com um espaço reservado totalmente pra mim”, conta.

O Nascer Bem foi desenvolvido com o intuito de aumentar a qualidade da assistência às gestantes, além de criar vínculo entre a equipe e a paciente. “A assistência [pré-natal] adequada é boa tanto para a mãe quanto para o bebê e vai evitar doenças impróprias da gravidez”, afirma Marcia Celestre Cosmo, coordenadora do programa. A iniciativa já existe em Fortaleza, Recife, Salvador e Belém e, ao todo, mais de 14 mil gestantes fazem parte do projeto. Entre os partos já realizados pelo programa, cerca de 35% foram normais. Na Capital cearense, a iniciativa foi implantada em janeiro de 2016.

De acordo com a coordenadora, o programa Nascer Bem foi concebido com o objetivo de incentivar o parto adequado para a mãe e o filho. Porém, o tipo de procedimento será escolhido pela paciente. “Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), sabemos que a melhor via de parto ainda é o normal, então, se ela [a gestante] tem probabilidade de ter parto normal e não tem o conhecimento, vamos informar e deixá-la segura para saber quais vias de parto ela tem e poder escolher a opção correta”, afirma.

Como funciona

Com equipe multiprofissional — incluindo médicos, enfermeiros, psicólogos e nutricionistas —, o programa conta com atividades como visitas guiadas à maternidade e com acolhimento coletivo. “A gestante descobre que está grávida e vem para um acolhimento com enfermeiras obstétricas que a acolhem, passando todas as orientações [à paciente] antes mesmo de ela entrar no pré-natal, explicando o que é o programa e tirando todas as dúvidas”, explica Marcia.

Também são realizadas as rodas de gestantes, cursos voltados para elas e os parceiros sobre o primeiro, o segundo e o terceiro trimestres da gravidez, abordando temas relacionados a cada período. Inicialmente, por exemplo, são esclarecidas dúvidas sobre o início da gravidez, enquanto no de segundo trimestre trata-se das dificuldades enfrentadas durante a gestação.

“Na terceira roda de gestantes, discutimos sobre cuidados com recém-nascido, sobre puerpério, falamos do momento do parto, da analgesia do parto, das condições que ela vai encontrar, do corpo dela no momento das contrações e de como ela deve reagir”, complementa a coordenadora. Os encontros contam com a presença de convidados, como médicos e nutricionistas.

Para captar gestantes para o programa, a iniciativa conta com uma central de atendimento que reúne as pacientes com resultado positivo no exame sanguíneo. Ao entrarem em contato para marcar consulta, elas são cadastradas e o acolhimento é marcado. “A primeira consulta é com uma enfermeira, que solicita os primeiros exames e a carteirinha do pré-natal. Dez dias depois, a gestante é encaminhada para o médico”, explica. Em casos com complicações, a mulher passa a ser acompanhada por médicos especializados. O programa conta com uma central de gerenciamento composta por enfermeiras, que auditam o pré-natal, para acompanhar a adesão ao protocolo.

Serviço:

Programa Nascer Bem

Central de atendimento: 4020 1785

TAGS