Participamos do
Imagem destaque

Covid-19: ciclistas devem manter cuidados no dia a dia

Hábitos como uso de máscaras, evitar tocar olhos, boca e nariz, além da limpeza do guidão com álcool, garantem a segurança do ciclista
07:00 | Set. 28, 2020
Autor O Povo
Foto do autor
O Povo Autor
Ver perfil do autor
Tipo Publieditorial

A bicicleta foi a solução que muita gente encontrou para evitar carros de aplicativo e ônibus e dessa forma diminuir o contato com outras pessoas. No entanto, o uso de bicicletas também exige cuidados diante da pandemia. O principal deles, que vale para qualquer situação fora de casa, é o uso de máscara. Para pedalar pelas ruas da Cidade com segurança, o uso de máscara é fundamental.

Pedalar com máscara pode soar desafiador, no entanto, a escolha do tecido da máscara garante conforto. “Dependendo do tecido, ela pode dificultar a respiração. Então, tenho preferido usar máscaras descartáveis ou de tecido mais fino para pedalar e deixo as de tecido mais grosso para outras ocasiões. Dessa forma, fico confortável e consigo usar máscara em percursos mais longos. Mesmo usando óculos, como estou ao ar livre, as lentes não embaçam, o que torna o caminho mais seguro”, explica o fotógrafo Thiago Maia, 30, que utiliza a bicicleta como meio de transporte há três anos.

Outros cuidados importantes para todo ciclista são: não tocar os olhos, boca e nariz. Além de também sempre higienizar o equipamento. O ciclista deve sempre limpar o guidão com álcool. Thiago, por exemplo, tem adotado hábitos mais frequentes de limpeza da própria bicicleta para se proteger da Covid-19. “Sempre higienizo a cela da bicicleta, as maçanetas e a buzina, que são as partes que mais toco quando vou pedalar ou movê-la de lugar. Também costumo limpar o capacete e as fivelas com um paninho e álcool gel”, conta.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine


PREVENÇÃO


COVID-19: CUIDADOS AO ANDAR DE BIKE



A UCB – União de Ciclistas do Brasil apresentou recomendações de cuidados ao utilizar a bicicleta como meio de transporte. Confira as dicas de prevenção:

- Respeitar o distanciamento físico

- Faça uso de máscara, luva e álcool em gel;

- Ciclo-entregadores devem evitar contatos desnecessário com clientes e fornecedores;

- Em caso de bicicletas compartilhadas, ou após estacionar a sua bike particular, higienize o selim e o guidão da bicicleta com produtos recomendados pela Organização Mundial da Saúde.

- Evite pedalar próximo a outros ciclistas, preservando a distância de 20 metros de outro ciclista.

Conteúdo de responsabilidade do anunciante
Imagem destaque
Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Imagem destaque

Confira os cuidados necessários ao usar transporte coletivo na pandemia

PUBLIEDITORIAL
07:00 | Set. 30, 2020 Tipo Publieditorial

Para quem voltou ao trabalho presencial e não tem meio de transporte particular, o ônibus pode ser a única alternativa. Ainda que possam ter aglomeração de pessoas, é possível reduzir os riscos de contaminação por coronavírus dentro dos ônibus. As medidas essenciais são higienizar as mãos com álcool 70%, não tocar olhos, boca e nariz. Além disso, uma boa sugestão é evitar os horários de pico e sempre esperar um veículo mais vago.

Essas são algumas das medidas adotadas também pela fotógrafa Sarah Sousa, 29. Após quatro meses de home office, ela retornou às atividades presenciais na segunda metade de julho. "Por um tempo eu usava Uber para ir e voltar do trabalho, mas depois de um tempo ficou inviável financeiramente, e aí voltei a usar o transporte público. Tento sempre sentar na janela e não coçar o rosto ou tocar na máscara. Uso álcool sempre que desço de um ônibus", explica.

Sarah diz que manter o distanciamento dos demais usuários dentro dos ônibus é um desafio, mas espera por veículos menos lotados. "Eu evito pegar o horário de pico, então geralmente saio mais cedo e vou embora mais tarde. E, às vezes, a volta para casa demora mais porque espero até que o horário de pico diminua para poder pegar ônibus."

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Os veículos em operação passam por higienização diária, conforme a Empresa de Transporte Urbano de Fortaleza (Etufor). Pias e dispenser com álcool em gel foram instalados em todos os terminais de integração.

Já para monitorar os ônibus e tentar evitar multidões, a utilização do app Meu Ônibus é fundamental.

Confira os cuidados básicos da Organização Mundial de Saúde (OMS):

1. Use máscara e leve consigo álcool 70;

2. Utilize álcool 70 para limpar as mãos sempre que pegar em superfícies;

3. Evite tocar nos olhos, no nariz ou na boca;

4. Tossir ou espirrar na parte interna do cotovelo (se estiver com nariz escorrendo, utilizar lenço descartável);

5. Evitar contato físico com as demais pessoas. Ao retirar a máscara, não encoste na parte da frente.

Conteúdo de responsabilidade do anunciante
Imagem destaque
Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Imagem destaque

Covid-19: quais os cuidados ao andar de ônibus?

PUBLIEDITORIAL
07:00 | Set. 29, 2020 Tipo Publieditorial

Para quem voltou ao trabalho presencial e não tem meio de transporte particular, o ônibus pode ser a única alternativa. Ainda que possam ter aglomeração de pessoas, é possível reduzir os riscos de contaminação por coronavírus dentro dos ônibus. As medidas essenciais são higienizar as mãos com álcool 70%, não tocar olhos, boca e nariz. Além disso, uma boa sugestão é evitar os horários de pico e sempre esperar um veículo mais vago.

Essas são algumas das medidas adotadas também pela fotógrafa Sarah Sousa, 29. Após quatro meses de home office, ela retornou às atividades presenciais na segunda metade de julho. "Por um tempo eu usava Uber para ir e voltar do trabalho, mas depois de um tempo ficou inviável financeiramente, e aí voltei a usar o transporte público. Tento sempre sentar na janela e não coçar o rosto ou tocar na máscara. Passo álcool nas mõas sempre que desço de um ônibus", explica.

Sarah diz que manter o distanciamento dos demais usuários dentro dos ônibus é um desafio, mas espera por veículos menos lotados. "Eu evito pegar o horário de pico, então geralmente saio mais cedo e vou embora mais tarde. E, às vezes, a volta para casa demora mais porque espero até que o horário de pico diminua para poder pegar ônibus."

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Os veículos em operação passam por higienização diária, conforme a Empresa de Transporte Urbano de Fortaleza (Etufor). Pias e dispenser com álcool em gel foram instalados em todos os terminais de integração.

Já para monitorar os ônibus e tentar evitar multidões, a utilização do app Meu Ônibus é fundamental.

Confira os cuidados básicos da Organização Mundial de Saúde (OMS):

1. Use máscara e leve consigo álcool 70;

2. Utilize álcool 70 para limpar as mãos sempre que pegar em superfícies;

3. Evite tocar nos olhos, no nariz ou na boca;

4. Tossir ou espirrar na parte interna do cotovelo (se estiver com nariz escorrendo, utilizar lenço descartável);

5. Evitar contato físico com as demais pessoas. Ao retirar a máscara, não encoste na parte da frente.

Conteúdo de responsabilidade do anunciante
Imagem destaque
Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Imagem destaque

Ciclistas: cuidados necessários na pandemia

PUBLIEDITORIAL
07:00 | Set. 27, 2020 Tipo Publieditorial

O fotógrafo Thiago Maia, 30, utiliza a bicicleta como meio de transporte há três anos. Durante a pandemia, o veículo tornou-se também um modo de evitar maior exposição ao coronavírus no transporte público e aplicativos de transporte na hora de sair de casa para ir ao trabalho ou fazer a feira, ajudando a manter o distanciamento social na hora de se locomover pela cidade.

A bicicleta foi a solução que muita gente encontrou para evitar carros de aplicativo e ônibus e dessa forma diminuir o contato com outras pessoas. No entanto, o uso de bicicletas também exige cuidados diante da pandemia. O principal deles, que vale para qualquer situação fora de casa, é o uso de máscara. Para pedalar pelas ruas da Cidade com segurança, o uso de máscara é fundamental.

Pedalar com máscara pode soar desafiador, no entanto, a escolha do tecido da máscara garante conforto. “Dependendo do tecido, ela pode dificultar a respiração. Então, tenho preferido usar máscaras descartáveis ou de tecido mais fino para pedalar e deixo as de tecido mais grosso para outras ocasiões. Dessa forma, fico confortável e consigo usar máscara em percursos mais longos. Mesmo usando óculos, como estou ao ar livre, as lentes não embaçam, o que torna o caminho mais seguro”, explica Thiago.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Outros cuidados importantes para todo ciclista são: não tocar os olhos, boca e nariz. Além de também sempre higienizar o equipamento. O ciclista deve sempre limpar o guidão com álcool. Thiago, por exemplo, tem adotado hábitos mais frequentes de limpeza da própria bicicleta para se proteger da Covid-19. “Sempre higienizo a cela da bicicleta, as maçanetas e a buzina, que são as partes que mais toco quando vou pedalar ou movê-la de lugar. Também costumo limpar o capacete e as fivelas com um paninho e álcool gel”, conta.


PREVENÇÃO


COVID-19: CUIDADOS AO ANDAR DE BIKE 



A UCB – União de Ciclistas do Brasil apresentou recomendações de cuidados ao utilizar a bicicleta como meio de transporte. Confira as dicas de prevenção:

- Respeitar o distanciamento físico

- Faça uso de máscara, luva e álcool em gel;

- Ciclo-entregadores devem evitar contatos desnecessário com clientes e fornecedores;

- Em caso de bicicletas compartilhadas, ou após estacionar a sua bike particular, higienize o selim e o guidão da bicicleta com produtos recomendados pela Organização Mundial da Saúde.

- Evite pedalar próximo a outros ciclistas, preservando a distância de 20 metros de outro ciclista.

Conteúdo de responsabilidade do anunciante
Imagem destaque
Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Imagem destaque

AMC amplia trabalho educativo sobre alcoolemia

Publieditorial
07:00 | Ago. 10, 2020 Tipo Publieditorial

No trânsito, há motivos para se comemorar: o número de acidentes com vítimas caiu 51%, entre abril e junho deste ano, quando comparado ao mesmo período de 2019. A quantidade de acidentes com mortes também diminuiu 20%. Os números podem ser explicados pela diminuição do fluxo durante a pandemia. Porém, a reabertura dos serviços, com consequente aumento de veículos na rua, acende o alerta: beber e dirigir não combinam! Para sensibilizar a população, a Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC) intensifica o trabalho de conscientização e fiscalização.

O tema não é novo e, ainda assim, precisa ser constantemente retomado. Porque há quem ainda ponha a própria vida e a dos demais em risco. E não precisa nem ser feriado, fim de semana. “A gente acha que esse tipo de infração acontece mais no período noturno, aos fins de semana, mas a gente constantemente também está encontrando pessoas alcoolizadas durante o turno diurno, manhã, tarde, condutores alcoolizados inclusive na segunda de manhã”, diz o superintendente da AMC, Arcelino Lima.

Além de ser uma das principais causas de acidentes de trânsito, dirigir alcoolizado agrava sobremaneira os sinistros. Motoristas sob o efeito de álcool têm três vezes mais chance de se envolverem em um acidente fatal. “Basta um motorista alcoolizado para causar um grande acidente”, frisa Arcelino.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

O álcool compromete a coordenação motora das pessoas, a concentração, a visão e a audição, dentre outros fatores que favorecem acidentes. Não bastassem todos os efeitos negativos durante o ato de dirigir, um condutor alcoolizado tem menos chances de sobreviver em caso de acidente. Quanto maior o consumo de bebida alcoólica, mais chances de ferimentos graves e de óbito, de acordo com estudo da Associação Brasileira de Medicina de Tráfego (Abramet).

Um dos mecanismos adotados ao longo dos anos para coibir essa prática é a operação Lei Seca. Rigidez na fiscalização e mais testes de alcoolemia. “Toda vez que a gente intensifica fiscalização de alcoolemia e promove campanha de conscientização, a gente percebe uma redução de acidentes com mortes”, explica Arcelino.

Com João*, foi exatamente assim: cair numa blitz foi o “start” para nunca mais misturar direção e álcool. “Tinha bebido umas quatro cervejas. Até então, quando bebia pouco, me arriscava a dirigir. Nesse dia, nem beber eu ia, mas acabei me animando. Quando fui voltar para casa, fui parado na avenida Dom Manuel, perto do Dragão do Mar.”

Ele teve a CNH apreendida, precisou chamar um familiar para buscá-lo e pagou multa. Apesar do final sem danos, uma vez que não se envolveu em um acidente, a vergonha durou mais tempo. “Lembro que fiquei muito arrependido, me senti a pior pessoa na época. Passei uns dias para contar aos meus pais o que tinha acontecido”, lembra.

R$ 2.934,70 é o valor da multa por dirigir sob efeito de álcool;

106.366 condutores foram submetidos ao teste da alcoolemia, de janeiro a
dezembro de 2019, em comandos de Lei Seca coordenados pela AMC, com apoio da Polícia
Rodoviária Estadual (PRE) e Guarda Municipal;

46% é o aumento de testes de alcoolemia realizados pela AMC nos últimos dois anos.

Novos protocolos de segurança

O motorista pode ficar tranquilo em relação aos testes de alcoolemia, pois novos protocolos de segurança foram adotados para evitar contaminação pelo coronavírus. Um etilômetro por aproximação, sem contato físico, faz uma pré-análise; somente se for detectado algum indício de embriaguez, o motorista será convidado a usar um bafômetro esterilizado, com peça bucal descartável. “O agente de trânsito está devidamente protegido com máscara, face shield, luvas e vai oferecer produto de limpeza para o condutor higienizar as mãos. O agente faz a esterilização na frente do condutor para oferecer segurança. Vamos ter um tempo maior nas abordagens, mas esse esclarecimento deixará as pessoas mais seguras”, destaca Arcelino Lima, superintendente da AMC. 

Sem "desculpas", mesmo na pandemia

Os motivos para as pessoas ainda dirigirem sob efeito de álcool são variados. Acham que um drink, uma cerveja não vai fazer diferença. Bruno*, por exemplo, lembra de quando justificava voltar para casa alcoolizado pelo fato de morar longe e o valor do táxi ser caro. “Não tinha ônibus para voltar para casa, mas aí minhas condições financeiras melhoraram, meus amigos caíram em blitz, foram indiciados, e eu percebi que não fazia sentido eu me arriscar, bater ou machucar alguém. Eu sei que é errado, por mais que eu tenha controle, sei que o reflexo diminui”, relata.

Durante a pandemia de coronavírus, algumas bebidas como vinhos e espumantes tiveram
aumento de 12% nas vendas, entre janeiro a maio, na comparação com o mesmo período de 2019. O maior consumo preocupa autoridades, que alertam para que o novo hábito não seja levado para fora de casa. “Embora as pessoas estejam atravessando um período de maior ansiedade, de maior estresse, a principal mensagem é: fiquem atentas ao consumir bebida alcoólica, não é porque estão na pandemia que podem sair dirigindo sob efeito de álcool”, completa Arcelino.

*Nomes alterados para preservar identidade das fontes

ATENÇÃO!

As fiscalizações da operação Lei Seca podem ocorrer em qualquer
dia ou horário. Além disso, a blitz da AMC é móvel, em locais onde há maior risco de acidentes graves. A medida serve justamente para evitar que motoristas “furem” fiscalização ou informem em apps a localização dos agentes de trânsito.

 

Conteúdo de responsabilidade do anunciante
Imagem destaque
Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Imagem destaque

Aplicativo AMC Móvel facilita cotidiano de motoristas durante a pandemia

PUBLIEDITORIAL
07:00 | Jul. 31, 2020 Tipo Publieditorial

Durante o período de isolamento social, motoristas da Capital que precisaram resolver pendências em relação a acidentes ou multas tiveram auxílio da tecnologia móvel. É que a Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC) ampliou os serviços disponíveis no aplicativo AMC Móvel, tornando a resolução de problemas relacionados ao trânsito mais fácil e segura.

Através do app, idealizado em 2018, motoristas podem realizar processos que, anteriormente, precisariam ser feitos pessoalmente, como registrar acidentes sem vítima, indicar condutores e recorrer em caso de multas. Recentemente, a plataforma também disponibilizou as funções de consulta de veículo removido e soli- citação de credencial para idosos e pessoas com deficiência, para evitar atendimento presencial e agilizar a execução dos serviços.

“Esse aplicativo representa uma proximidade ainda maior entre a AMC e o usuário, e foi de extrema importância para efetuar serviços essenciais durante a pandemia. Com ele, é possível ter acesso a recursos administrativos e também obter provas e agilizar processos em caso de acidente sem vítima”, explica o gerente de Operação e Fiscalização da AMC, André Luís Barcelos.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Boletim eletrônico diminui burocracia

Em termos de demanda, o carro-chefe do aplicativo, segundo Barcelos, é o Boletim de Acidente de Trânsito Eletrônico Unificado de Fortaleza (Bateu), que permite que condutores registrem acidentes sem vítima de maneira segura e rápida.

Caso tenha seu veículo envolvido em algum acidente do tipo, o condutor deve baixar o aplicativo, cadastrar os dados pessoais e fazer um breve relato sobre a ocorrência, anexando imagens que ilustrem o acidente. Depois disso, a via já pode ser desobstruída, sem necessidade de acionar e aguardar autoridades de trânsito de forma presencial.

Os dados registrados no app serão analisados por técnicos da AMC, que farão a liberação do registro em até cinco dias úteis. O documento possui o mesmo valor probatório do boletim lavrado por agentes de trânsito e pode ser utilizado como prova em ações judiciais.
O serviço serve para acidentes registrados em locais públicos e permite a liberação mais rápida das vias, evitando congestionamentos e novos acidentes, além de tornar o processo menos estressante, mais ágil e seguro para os motoristas envolvidos.

Todo o procedimento pode ser realizado, inclusive, de forma offline – desse modo, quando o condutor estiver conectado à internet, as informações registradas serão enviadas para a Autarquia.

Ainda em relação à segurança viária, também é possível denunciar online casos de veículos abandonados, colaborando com o trabalho de investigação da polícia e evitando que estes se tornem focos de doenças como a dengue.

VOCÊ SABIA?
De acordo com o Artigo
178 do Código de Trânsito Brasileiro, condutores que se envolverem em acidentes sem vítima devem remover seus veículos imediatamente das vias, para evitar novos acidentes e congestionamento. Caso contrário, pode haver aplicação de multa pela autoridade local de trânsito.

POR QUE BAIXAR O APP?
Além do acesso rápido a processos públicos relacionados a acidentes e multas, o aplicativo da AMC também permite que o motorista consulte a existência de dívida ativa e acompanhe o trânsito da Capital, evitando vias congestionadas e tornando o trajeto veicular mais rápido.

“Por meio de notificações push-up, emitimos pequenos boletins informativos periodicamente para comunicar aos motoristas a atual situação das vias, como obras e outros obstáculos que podem prejudicar o tráfego”, explica André.

Até agora, o aplicativo já foi baixado por mais de 50 mil pessoas – especialmente durante a pandemia, onde os benefícios ofertados pela plataforma se tornaram ainda mais úteis.

“Ainda que os prazos dos processos estejam suspensos por uma determinação do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), muitas pessoas têm utilizado o app para consultar recursos e realizar outros procedimentos que antigamente eram feitos apenas presencialmente. Todos esses serviços permanecerão após a pandemia, para facilitar o cotidiano dos motoristas e melhorar o trânsito da cidade”, completa o gerente.

Para baixar o AMC Móvel, basta entrar nas app stores (Google Play e Apple Store) e fazer o download gratuito do aplicativo. Após o download, é necessário preencher um formulário com dados pessoais para prosseguir com o uso. Depois do preenchimento, já é possível uti- lizar os serviços e receber notificações sobre o trânsito da Capital.

TRANSPARÊNCIA
Cidadãos que queiram acompanhar gastos públicos também podem realizar consultas no Sistema Eletrônico de Serviço de Informação ao Cidadão (e-Sic) através do AMC Móvel. A aba “AMC Transparente” possui dados referentes a receitas, despesas e investimentos no segmento de trânsito, além da possibilidade de solicitação de dados via Lei de Acesso à Informação (LAI).

O QUE ENCONTRO NO APP?
> BATEU

Boletim eletrônico para registro de acidentes de trânsito sem vítima

> CONSULTA DE VEÍCULOS REMOVIDOS

Espaço de busca de veículos apreendidos pelo órgão

> DEFESA DE AUTUAÇÃO
Através do app, é possível solicitar defesa em processos relacionados ao trânsito

> INDICAÇÃO DE CONDUTOR
Em caso de penalidade para condutores que não forem proprietários dos carros notificados, é possível indicar o motorista para transferência dos pontos da carteira

> CREDENCIAIS PARA VAGAS ESPECIAIS (IDOSO/PCD)

Os arquivos estão disponíveis para download e podem ser impressos para uso pelos condutores de acordo com as orientações da AMC

> RECURSO À JARI

Espaço sobre como recorrer em caso de notificações
de penalidade

> CONSULTA DE DÍVIDA ATIVA
Além da simples conferência, é possível emitir a 2a via
do boleto para quitação de débitos de autos de infração inscritos em dívida ativa

> ENDEREÇOS E 
TELEFONES ÚTEIS

Lista de contatos e endereços de órgãos públicos com serviços relacionados ao trânsito e à cidadania

> CÓDIGO DE TRÂNSITO BRASILEIRO

O documento encontra-se disponível em versão digital para eventual consulta
dos condutores

 

 

Conteúdo de responsabilidade do anunciante
Imagem destaque
Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags