PUBLICIDADE
Notícias

Após denúncia e condução, PF isenta mesário de crime eleitoral

O mesário de colégio eleitoral da Praia de Iracema foi denunciado por votar no lugar de eleitores que não compareceram ao pleito e chegou a ser conduzido à sede da PF. Mas, conforme a PF, não há indícios de crime eleitoral

18:15 | 30/10/2016

Polícia Federal (PF) afirma que não há indícios de conduta criminosa de mesário que havia sido denunciado por suspeita de votar por eleitores que faltaram ao pleito. A ocorrência foi denunciada em colégio eleitoral da Praia de Iracema e o mesário chegou a ser conduzido pelo Exército Brasileiro à sede da PF.

O superintendente da PF, Delano Cerqueira, chegou a informar que se tratava de um crime mais grave que os que foram registrados em Fortaleza neste domingo, 30, por se tratar de "violação da confiança que um agente publico tem de eticamente de zelar pela lisura do pleito". O mesário poderia, caso se confirmasse, ser autuado em flagrante e enquadradado em dois crimes eleitorais previstos no Código Eleitoral: tentar votar por outrem e inserção de falsos dados nos sistemas, com penas de reclusão de até três e quatro anos, respectivamente.

A informação repassada pelo superintendente é de que a avaliação da PF concluiu que não há "qualquer indício da prática de crime e não haverá procedimento aberto contra o mesário, porque não houve conduta irregular".

Redação O POVO Online com informações da repórter Irna Cavalcante 

TAGS