Lula diz que Campos Neto não tem 'capacidade de autonomia' e o compara a Sérgio Moro

Presidente da República disse que a economia do País vai fechar o ano com bons resultados, a despeito do "comportamento do Banco Central".

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) voltou a criticar o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, alegando que o dirigente da autoridade monetária "trabalhava mais para prejudicar o Brasil do que para ajudar.” Lula chegou a comparar a atuação de Campos Neto com a do ex-juiz e atual senador Sérgio Moro (União Brasil-PR), em relação a um suposto envolvimento do líder do BC com o meio político paulista, no Governo de Tarcísio de Freitas (Republicanos).

Em entrevista à Rádio CBN, nesta terça-feira, 18, o presidente da República disse que a economia do País está indo muito bem e vai fechar o ano com bons resultados, a despeito, no entanto, do “comportamento do Banco Central”.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

“Só tem uma coisa desajustada, que é o comportamento do BC. Um presidente que não tem capacidade de autonomia, que tem lado político e que, na minha opinião, trabalha muito mais para prejudicar o Brasil do que para ajudar”, disse Lula.

Lula critica relação de Campos Neto com Tarcísio e o compara a Sérgio Moro

Lula citou o ex-presidente do Banco Central e ex-presidenciável, Henrique Meirelles, afirmando que “duvida que ‘esse Roberto Campos’ tenha mais autonomia do que ele”. O presidente questionou então, um suposto envolvimento de Campos Neto com a gestão paulista, insinuando uma possível “candidatura” do gestor do Banco para São Paulo.

“Eu duvido que esse Roberto Campos tem mais autonomia do que tem o Meirelles, duvido. O que a gente tem que se questionar é: A quem esse rapaz é submetido? Como é que ele vai em uma festa em São Paulo, quase assumindo a candidatura em São Paulo? Cadê a autonomia?”, disse Lula.

E seguiu, afirmando que escolheria “um presidente que tenha compromisso com o desenvolvimento do país, mas que tbm não tenha na cabeça que é só o controle da inflação, temos meta de crescimento.”

Questionado, em específico, sobre esse envolvimento de Campos Neto e Tarcísio, Lula disse que, ao menos em comparação com ele, o governador de São Paulo tinha muito mais “influência” no Banco Central, citando uma festa oferecida por Tarcísio, na qual Campos Neto estava presente.

O presidente, então, comparou o presidente do BC com a figura do ex-ministro Sérgio Moro. “Foi uma homenagem que o Governo de São Paulo tem pra ele. Devem estar achando maravilhoso a taxa de 5%. Quando ele se auto lança para um cargo, eu fico pensando, vamos repetir o Moro? O presidente do BC está disposto a fazer o mesmo papel que o Moro fez? O paladino da Justiça? Com rabo preso a compromissos políticos?”, questionou Lula.

Taxa de Juros não tem explicação, diz Lula

Na avaliação de Lula, não há explicação para a taxa de juros estar no nível que está. E nesta terça-feira, quando o Comitê de Política Monetária (Copom) inicia a primeira etapa da reunião que pode colocar um ponto final no ciclo de cortes da taxa básica de juros, a Selic, com perspectiva de mantê-la a 10,50%, Lula criticou.

"Eu acho muito triste porque o Brasil não precisa disso, há um grau de confiança grande no País. Temos uma situação que não necessita dessa taxa de juros, é proibitiva para investimentos no setor produtivo. É preciso uma taxa de juros compatível com a inflação, que está totalmente controlada."

Na entrevista, Lula disse que os defensores dessa taxa Selic ficam "inventando discursos de inflação no futuro", enquanto é preciso trabalhar em cima do real. "Temos um bom momento, com inflação controlada, País e emprego crescendo, queremos atrair mais investimento e que o BC se comporte para ajudar este País e não para atrapalhar."

Com Agência Estado

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Governo Lula Lula PT

Os cookies nos ajudam a administrar este site. Ao usar nosso site, você concorda com nosso uso de cookies. Política de privacidade

Aceitar