Logo O POVO+

Jornalismo, cultura e histórias em um só multistreaming.

Participamos do

Justiça suspende instalação de térmicas emergenciais no litoral do Rio

A juíza Flávia Tavares da 2ª Vara da Fazenda Pública do Rio de Janeiro mandou a empresa turca Karpowership (KPS) suspender a instalação de quatro usinas termelétricas flutuantes na Baía de Sepetiba, área de relevante interesse ecológico e um dos últimos refúgios do boto cinza, espécie ameaçada de extinção, segundo o Instituto Internacional Arayara.

"Essa intimação é referente à ação proposta pelo Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ), que corroborou ação proposta inicialmente pelo Instituto Internacional Arayara", informou o instituto.

A suspensão é válida até que a empresa apresente os estudos de Eia-Rima - que foram dispensados pelo governo do estado do Rio de Janeiro -, para avaliar os impactos ambientais do complexo termelétrico.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

As usinas têm sido alvo de várias ações judiciais, que se estenderam também ao governo estadual, depois que o Instituto Estadual do Ambiente (Inea) dispensou a apresentação dos documentos referentes aos impactos ambientais (Eia-Rima).

Em uma nova ação impetrada pelo Instituto, a principal alegação apresentada é o descumprimento da Instrução Normativa n.º 16/2013, do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), que regulamenta os procedimentos técnicos e administrativos para a emissão da autorização ambiental para a realização de operações ship-to-ship (STS), de transferência de carga de petróleo e seus derivados, em águas jurisdicionais brasileiras.

A norma estabelece que essas operações não podem acontecer a menos de 50 quilômetros de unidades de conservação marinhas (federais, estaduais ou municipais), enquanto as referidas termelétricas da Karpowership estão a 3 quilômetros da costa.

O Arayara solicitou ainda à Comissão de Minas e Energia (CME) da Câmara dos Deputados, que notifique a diretoria da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), requerendo a imediata rescisão do contrato com a KPS, tendo em vista o descumprimento dos prazos estipulados para início da operação das térmicas.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Os cookies nos ajudam a administrar este site. Ao usar nosso site, você concorda com nosso uso de cookies. Política de privacidade

Aceitar