Participamos do

Comércio varejista do Ceará recua em março, mas tem maior alta do País ante 2021

A comercialização de tecidos, vestuário e calçados ficou à frente no Estado, com alta de 340,3%, seguinda de livros, jornais, revistas e papelaria (276,3%)

Frente a março de 2021, na série com ajuste sazonal, o Ceará (20,4%) teve o maior crescimento do Brasil nas vendas do comércio varejista. O resultado do País foi de 4%, permanecendo positividade em 24 das 27 Unidades da Federação. 

Já na passagem de fevereiro para março o comércio varejista do Ceará recuou 0,6% segundo indicador do volume de vendas. Mas a taxa média nacional mostrou avanço de 1% com resultados positivos em 19
das 27 Unidades da Federação, com destaque para: Goiás (3,0%), Roraima (2,8%) e Pernambuco
(2,5%).

Por outro lado, pressionando negativamente, figuram sete das 27 Unidades da Federação, com
destaque para Amazonas (-3,2%), Distrito Federal (-1,5%) e Bahia (-1,2%). O Pará apresentou
estabilidade (0,0%) na passagem de fevereiro para março de 2022.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Para a mesma comparação, no comércio varejista ampliado, a variação entre fevereiro e março de 2022 foi positiva em 0,7%, com resultados positivos em 14 das 27 Unidades da Federação, com destaque para: Espírito Santo (11,9%), Goiás (7,4%) e Piauí (4,0%).

Mas os resultados não foram bons para 13 das 27 unidades da federação, com destaque para Ceará (-3,1%), Rio Grande do Sul (-2,1%) e Acre (-2,0%).

Ante março de 2021, a venda de tecidos, vestuário e calçados ficou à frente no Estado, com alta de 340,3%, seguinda de livros, jornais, revistas e papelaria (276,3%). No varejo ampliado, destaque para material de construção (63,8%).

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Os cookies nos ajudam a administrar este site. Ao usar nosso site, você concorda com nosso uso de cookies. Política de privacidade

Aceitar