Participamos do

Ata: conflito na Ucrânia levou a aperto significativo das condições financeiras

09:51 | Mar. 22, 2022
Autor Agência Estado
Foto do autor
Agência Estado Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

A ata do Comitê de Política Monetária (Copom), divulgada nesta terça-feira, 22, apresentou um parágrafo a mais, além do usual, para detalhar os impactos da guerra no Leste Europeu sobre as cadeias produtivas e a inflação. Usualmente, o cenário externo é o primeiro assunto tratado no documento em apenas um parágrafo. Na edição de hoje, dada a importância do tema para a política monetária, o assunto foi desmembrado em dois.

Na ata anterior, o Copom já tinha avaliado que o ambiente seguia "menos favorável", mas citava a pressão inflacionária nos Estados Unidos, a nova onda de covid-19 e a variação dos preços das commodities. No documento de hoje, o BC aprofundou sua preocupação com o cenário externo, acrescentando que "o ambiente se deteriorou substancialmente". "O conflito entre Rússia e Ucrânia levou a um aperto significativo das condições financeiras e aumento da incerteza em torno do cenário econômico mundial", enfatizou a autoridade monetária.

O primeiro parágrafo prossegue analisando que o choque de oferta decorrente do conflito tem o potencial de exacerbar as pressões inflacionárias que já vinham se acumulando tanto em economias emergentes quanto avançadas. Também comentou que, desde a reunião anterior, a maioria das commodities teve avanços relevantes em seus preços, em particular as energéticas.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

O assunto extrapolou para um segundo parágrafo, que o conflito na Europa e as sanções aplicadas à Rússia gerou reflexos na reorganização das cadeias de produção globais, com a criação de redundâncias na produção e no suprimento de insumos e mudança no tratamento dos estoques de bens (no sentido de se deter maiores estoques). "Na visão do Comitê, esses desenvolvimentos podem ter consequências de longo prazo e se traduzir em pressões inflacionárias mais prolongadas na produção global de bens."

Além de dedicar os dois primeiros parágrafos ao cenário internacional, com ênfase nas consequências da guerra no Leste Europeu, a ata voltou a tratar do tema no parágrafo 14 do documento, considerando que o conflito adiciona ainda mais incerteza e volatilidade ao cenário prospectivo. Além disso, enfatizou que a guerra impõe um choque de oferta importante em diversas commodities.

"O Comitê considerou que a boa prática recomenda que a política monetária reaja aos impactos secundários desse tipo de choque, prática que leva em consideração as usuais defasagens dos efeitos da política monetária", destacaram os diretores do Banco Central.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags