Participamos do

Guedes: Brasil tem de retomar caminho da prosperidade

13:38 | Dez. 11, 2021
Autor Agência Estado
Foto do autor
Agência Estado Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O Brasil precisa avançar na agenda de reformas para escapar de uma armadilha de baixo crescimento, disse o ministro da Economia, Paulo Guedes, em entrevista à RedeTV. Para Guedes, as ações do governo estão em sintonia com o que é necessário para impulsionar a atividade no País.

"Nós mudamos vários marcos regulatórios, fizemos a reforma da Previdência, estamos privatizando Correios, Eletrobras. Estamos fazendo mudanças que tragam os investimentos privados para o Brasil, para que o Brasil volte a crescer", disse o ministro.

Guedes argumentou que o governo do presidente Jair Bolsonaro (PL) está conduzindo uma transição de modelo econômico, após o que considera um fracasso do modelo anterior. Segundo o ministro, a esquerda governou o Brasil pelos 30 anos anteriores à eleição de Bolsonaro, com um modelo que prendeu o País no crescimento zero.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

"Se você pegar os últimos dez anos, o Brasil cresceu zero. Nós podemos pelo menos explicar que caímos o nosso PIB Produto Interno Bruto porque teve a covid, uma pandemia que veio de fora. Mas e quem não teve covid nenhuma antes e conseguiu criar duas recessões de 3,5%?", disse o ministro.

O PIB brasileiro caiu 3,9% em 2020, atingido pela pandemia da covid-19. Segundo Guedes, a economia do País já voltou a pulsar em 2021, com um crescimento do PIB em torno de 5% que já mostra um alívio para a atividade.

"O Brasil voltou a pulsar. Existem, naturalmente, oposicionistas fazendo narrativas muito negativas a respeito do futuro do Brasil, porque os juros vão subir, nós estamos combatendo a inflação. Isso realmente é um fator de contenção econômica. Mas, do outro lado, tem R$ 700 bilhões de investimento vindo aí com toda a força para botar o Brasil para crescer", afirmou.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags