Participamos do

Indústria automotiva com 5G: projeto piloto é montado em Pernambuco

Stellantis, TIM e Accenture desenvolvem a experiência aplicada à linha de montagem do polo de Goiana
23:05 | Out. 29, 2021
Autor Armando de Oliveira Lima
Foto do autor
Armando de Oliveira Lima Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

A linha de montagem da Stellantis em Goiana, Pernambuco, foi a primeira do País a contar com uma rede 5G aplicada na linha de montagem - instalada na última semana. A iniciativa contou com a parceria da TIM e da Accenture e usa uma rede particular para verificar a velocidade de produção das unidades.

Na prática, são fixadas etiquetas de identificação na traseira dos veículos colocados no processo de montagem. A partir daí, "uma câmera captura imagens durante o trânsito do veículo ao longo da linha de produção e, utilizando a arquitetura baseada na tecnologia 5G, transmite estes dados em tempo real para a plataforma em operação na nuvem, aproveitando-se da baixa latência e da alta capacidade de transmissão de dados."

As empresas explicam que "um software de inteligência artificial verifica a conformidade da sigla e informa aos operadores de inspeção de qualidade seu resultado em tempo real para a liberação ou não do veículo." O objetivo, segundo reforçam, é verificar a qualidade do processo de montagem.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

"Na planta, são produzidos quatro modelos que se multiplicam em mais de 100 versões, cada qual com suas especificações de itens, componentes e acessórios. Este controle é fundamental em uma linha flexível, como a de Goiana, onde são fabricados quatro modelos distintos de duas marcas. É um case focado no cliente final, com ganho imediato de qualidade e conformidade”, enfatiza André Souza, CIO da Stellantis para a América do Sul.

 

O 5G usado na fábrica é o standalone, ou seja, o 5G cuja implantação não depende do 4G e corresponde ao que será licitado pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) no próximo dia 4 de novembro. Ele se difere do 5G DSS, em uso por algumas operadoras no Brasil desde o ano passado justamente por essa independência da rede da geração anterior de telefonia móvel, que permite um uso melhor da rede.

A frequência usada e mais detalhes técnicos da operação em Goiana não foi informado pelas empresas.

Projeções

Antonio Filosa, presidente da Stellantis para a América Latina, diz que "este é o primeiro passo para tornar o Polo Automotivo Stellantis de Goiana a primeira planta industrial do setor integrada com base na tecnologia 5G."

Na unidade de Goiana, a Stellantis fabrica unidades como o Jeep Commander, Compass, Renegade e a picape Fiat Toro. Ao todo, a Stellantis reúne as marcas Fiat, Jeep, Abarth, Alfa Romeo, Chrysler, Citroën, Dodge, DS, Lancia, Maserati, Opel, Peugeot, Ram e Vauxhall.

"Estamos às vésperas do leilão 5G e acreditamos que a nova tecnologia vai revolucionar o setor e impulsionar ainda mais o desenvolvimento da Indústria 4.0. Somos líderes e pioneiros em projetos relacionados à Internet das Coisas e estamos investindo fortemente para que o 5G traga a transformação digital que almejamos para vários setores da economia brasileira", reforçou Pietro Labriola, CEO da TIM Brasil.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags