Termo de Uso Política de Privacidade Política de Cookies Conheça O POVO Trabalhe Conosco Fale com a gente Assine Ombudsman
Participamos do

Com conta de luz mais cara, consumidores procuram formas de economizar

15:38 | Set. 05, 2021
Autor Agência Brasil
Foto do autor
Agência Brasil Jornal
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Com a conta de luz mais cara, os consumidores brasileiros têm buscado soluções para diminuir o uso de energia elétrica e economizar no final do mês. O mais recente aumento na tarifa começou a valer no último dia 1º, quando foram acrescidos R$ 14,20 a cada 100 quilowatts-hora (kWh) consumidos, com a criação da bandeira de escassez hídrica.

A cobrança extra será feita até 30 de abril de 2022 e encarecerá a conta de energia, em média, em 6,78%, segundo a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). A bandeira de escassez hídrica substitui a bandeira vermelha 2, em vigor desde junho e que sofreu reajuste de 52% em julho. Segundo o governo, a bandeira foi criada em razão da escassez de chuvas nas usinas hidrelétricas.

Diante desse cenário, a opção é buscar novos hábitos para diminuir o consumo de energia ao máximo. O site Consumo Consciente Já traz diversas dicas para ajudar o brasileiro a reduzir o valor pago na conta dos meses seguintes.

A página é uma iniciativa da Associação Brasileira de Distribuidores de Energia Elétrica (Abradee), juntamente com o Ministério de Minas e Energia (MME) e a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e faz parte de uma campanha de consumo consciente de eletricidade.

Hábitos simples como retirar da tomada os aparelhos de som e televisores já ajudam a aliviar a pressão sobre a conta de luz. É que, mesmo em stand by, eles consomem energia.

Também é importante não deixar a TV ou outro aparelho ligado sem necessidade, o que também vale para carregadores de celulares.

Outra dica importante é escolher máquinas com selo Procel ou classificação A do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro), que mostra que o aparelho é mais econômico. Essa opção vale para todos os equipamentos que utilizam energia elétrica, como geladeiras, micro-ondas, ferros de passar, secadores de cabelo; televisores, aparelhos de ar condicionado, etc.

Confira, abaixo, mais dicas de como economizar no consumo de energia elétrica:

- Substitua lâmpadas halógenas e fluorescentes por lâmpadas LED. Apesar de inicialmente apresentar um custo na aquisição mais alto, ele será compensado com a economia de energia;

- Apague as lâmpadas que não estiver utilizando, exceto aquelas que contribuem para a sua segurança;

- Mantenha as janelas abertas e aproveite ao máximo a luz natural;

- Outra alternativa para valorizar a luz natural é pintar as paredes do teto com cores claras. Além de refletirem melhor a luz natural, reduzem o consumo de iluminação artificial;

Com relação ao uso da máquina de lavar roupa, a principal dica é lavar o máximo de roupas possível de uma só vez.

- Também é indicado que se utilize a quantidade de sabão adequada para cada tipo de roupa e que se utilize sempre o ciclo mais adequado para as lavagens; Manter o filtro da máquina sempre limpo também ajuda na economia, já que o equipamento evitará repetir a operação enxaguar de maneira desnecessária;

O ferro de passar ao lado do chuveiro elétrico são apontados como os maiores vilões no consumo doméstico de energia. Por isso, é preciso usar os equipamentos de forma a evitar o desperdício.

- Além de escolher o ferro de menor potência, a dica é juntar a maior quantidade de roupas possível para passar todas de uma vez só;

- Utilizar a temperatura indicada de acordo com cada tipo de tecido também ajuda na economia;

- Desligue o ferro sempre que pausar o serviço. Assim você poupa energia e evita o risco de acidentes. Além disso, você pode aproveitar o calor do ferro desligado para passar roupas de tecidos leves;

- Sempre que possível, opte por vestir e comprar roupas de tecidos que não amassam ou avalie a real necessidade de passar certas peças de roupa;

No caso do chuveiro elétrico, a principal dica é tomar banhos mais curtos, entre 3 e 5 minutos. Além disso, hábitos como o de fechar a torneira enquanto se ensaboa são bem-vindos;

- Sempre que possível, ajuste a temperatura para a posição “verão”, pois em “inverno” o consumo é 30% maior;

- Também não é aconselhado mudar a temperatura com o chuveiro ligado, pois isso pode aumentar o consumo. Outra possibilidade é, se estiver calor, evite usar o chuveiro elétrico;

- Outro ponto importante é não reaproveitar resistências queimadas. Isso provoca o aumento de consumo e coloca em risco a sua segurança;

- Se possível, dê preferência aos sistemas solares para o aquecimento de água. Eles são mais econômicos e ainda ajudam a preservar o meio ambiente.

Em locais quentes também é preciso usar de maneira inteligente equipamentos como o ar-condicionado. Nesse caso, a primeira dica é escolher corretamente o equipamento de acordo com o tamanho do ambiente;

- Além disso, é importante manter os filtros do aparelho limpos e regular adequadamente a temperatura;

- Também mantenha as janelas e portas fechadas sempre que estiver com o aparelho ligado;

- Os aparelhos instalados nas áreas externas devem ter proteção contra o sol. Tenha cuidado para não bloquear a ventilação. Por fim, desligue o aparelho quando o ambiente estiver desocupado;

No caso de geladeiras e freezers, é importante verificar se os aparelhos apresentam boa vedação. Verifique regularmente o estado das borrachas de vedação. Isso auxilia no desperdício de energia;

- Abrir e fechar várias vezes a geladeira ou deixar por muito tempo aberta é outro ponto a ser observado;

- Também não seque roupa atrás da geladeira. Além de sobrecarregar o aparelho e aumentar o consumo de energia, você corre o risco de acidentes com choques elétricos;

- Instale sua geladeira em um local ventilado, afastada da parede, dos raios solares, fogões e estufas. Também regule o termostato adequadamente de acordo com a estação do ano.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Emirados Árabes Unidos anunciam plano econômico e novas regras para estrangeiros

INTERNACIONAL
10:02 | Set. 05, 2021
Autor Agência Estado
Foto do autor
Agência Estado Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia
O ministro da Economia dos Emirados Árabes Unidos (EAU), Abdulla bin Touq, anunciou neste domingo que serão investidos US$ 13,6 bilhões no próximo ano nas monarquias que integram o país, como parte de um grande plano para impulsionar o desenvolvimento em 10% nos próximos anos, atrair talentos e capital. A iniciativa inclui também investimentos da ordem de US$ 150 bilhões até 2030 e flexibilização de leis de residência para expatriados.
"Estamos confiantes de que esses projetos de apoio ao investimento farão dos Emirados Árabes Unidos uma das economias mais competentes do mundo", declarou bin Touq na primeira grande coletiva de imprensa presencial do governo desde o início da pandemia. Os ministros também disseram que pretendem dobrar a economia dos Emirados Árabes Unidos na próxima década por meio de grandes acordos comerciais com países como Israel, Turquia, Reino Unido e Índia. Os sete Emirados que integram a confederação dos Emirados Árabes Unidos são Abu Dhabi, Dubai, Xarja, Ajmã, Umm al-Quwain, Ras al-Khaimah e Fujeira.
O anúncio marca o 50º aniversário dos EAU, que buscam acelerar reformas econômicas e sociais para um futuro pós pandemia. "Estamos construindo uma nova economia de 50 anos", disse bin Touq na coletiva. "Qualquer um que esteja tentando ser mais conservador e fechar seus mercados, (obterá) valor apenas no curto prazo. No longo prazo, estará prejudicando suas economias", afirmou o ministro da Economia.
O plano de atrair estrangeiros contrasta com a política adotada por outras economias ricas em petróleo do Golfo Pérsico, cada vez mais protecionistas. Embora muitas das reformas prometidas pelos ministros dos EAU tenham permanecido vagas durante a coletiva, ficou clara a intenção de aumentar gastos diante dos prejuízos trazidos pela pandemia e de afrouxar leis para atrair mais residentes ao país - que recebe trabalhadores da África e Oriente Médio, entre outras regiões.
"Queremos reconstruir todo o sistema, para que o sistema de residência atraia pessoas e faça com que sintam que os Emirados Árabes Unidos são seu lar. Abertura é algo de que temos orgulho", disse bin Touq.
Desde sua independência, em 1971, os Emirados Árabes Unidos vincularam os empregos ao status de residência, o que forçava trabalhadores a deixarem o país imediatamente após perderem seus empregos. O novo plano dá a residentes mais três meses para procurar outro emprego após demissão, permite que pais patrocinem os vistos dos filhos até os 25 anos e flexibiliza vistos para autônomos, viúvas e divorciados, entre outros pontos.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Ceará deve ampliar em 11,5% área de cultivo de algodão até o fim do ano, diz Camilo

17:25 | Set. 04, 2021
Autor Redação O POVO
Foto do autor
Redação O POVO Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O governador Camilo Santana (PT) anunciou em suas redes sociais, neste sábado, 4, que a produção algodoeira no Ceará deve ser ampliada de 2.900 para uma área de 3.234 hectares em 2021. Isso representa uma expansão de 11,5% na comparação com 2020.

De acordo com o governador do Ceará, a colheita do algodão no Estado deve bater recorde de produtividade neste ano. Camilo não fez, contudo, uma projeção de quanto isso deve representar, no total. “Aos poucos, o estado, que já foi um dos principais produtores do país, vem retomando sua cultura de produzir o algodão”, disse o governador ao exaltar o Programa de Modernização do Algodão, executado pela Secretaria do Desenvolvimento Econômico e Trabalho (Sedet).

Camilo Santana visitou, ao longo da última semana, empreendimentos diversos na região do Vale do Jaguaribe, incluindo uma fazenda de algodão em processo de início de colheita, no município de Tabuleiro do Norte. Ele destacou, por fim, que “retomar a cultura do algodão significa aquecer a economia e gerar mais empregos aos cearenses”.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Ministério confirma casos de vaca louca em Mato Grosso e Minas Gerais

Economia
15:47 | Set. 04, 2021
Autor Agência Brasil
Foto do autor
Agência Brasil Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

A Secretaria de Defesa Agropecuária do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) confirmou hoje (4) a ocorrência de dois casos atípicos de encefalopatia espongiforme bovina, conhecida como o mal da vaca louca, em frigoríficos de Nova Canaã do Norte (MT) e de Belo Horizonte (MG). A confirmação foi feita nessa sexta-feira (3) pelo laboratório de referência da Organização Mundial de Saúde Animal (OIE), em Alberta, no Canadá.

De acordo com a pasta, todas as ações sanitárias de mitigação de risco foram concluídas antes mesmo da emissão do resultado final pelo laboratório. “Portanto, não há risco para a saúde humana e animal”, destacou, em nota.

Os dois casos atípicos, um em cada estabelecimento, foram detectados durante a inspeção realizada antes do abate dos animais. “Trata-se de vacas de descarte que apresentavam idade avançada e que estavam em decúbito [deitadas] nos currais”, explicou.

Exportações suspensas

Conforme preveem as normas internacionais, o Brasil também notificou oficialmente a OIE da ocorrência. No caso da China, em cumprimento ao protocolo sanitário firmado entre o país e o Brasil, as exportações de carne bovina ficam suspensas temporariamente. A medida, que passa a valer a partir de hoje (4), ficará em vigor até que as autoridades chinesas concluam a avaliação das informações já repassadas sobre os casos.

O país asiático é o principal destino da carne brasileira, segundo a Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carnes (Abiec). No mês de julho foram exportados 91.144 toneladas do produto, crescimento de 11,2% em relação ao mesmo mês de 2020, com alta de 19,1% nas receitas, somando US$ 525,5 milhões. No acumulado, de janeiro a julho de 2021, os embarques para a China já somam 490 mil toneladas e receitas de US$ 2,493 bilhões, crescimento de 8,6% e 13,8%, respectivamente, no comparativo com o mesmo período de 2020.

Classificação de risco

O Mapa esclareceu ainda que a OIE exclui a ocorrência de casos atípicos da vaca louca para efeitos do reconhecimento do status oficial de risco do país. “Desta forma, o Brasil mantém sua classificação como país de risco insignificante para a doença, não justificando qualquer impacto no comércio de animais e seus produtos e subprodutos”, completou.

Segundo o ministério, estes são o quarto e quinto casos atípicos da doença registrados em mais de 23 anos de vigilância do país. Eles ocorrem de maneira espontânea e esporádica e não estão relacionados à ingestão de alimentos contaminados. A pasta destacou que o Brasil nunca registrou a ocorrência de caso clássico do mal da vaca louca.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Marca identifica baixa presença de máquinas de lavar roupa em lares do Ceará

Economia
14:19 | Set. 04, 2021
Autor Adailma Mendes
Foto do autor
Adailma Mendes Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Com o mote “Com você, a gente cuida”, a Consul lança campanha para conectar a marca com os consumidores nordestinos. A iniciativa está de olho em dados da Kantar (2019) que sinalizam um potencial de 19 milhões de lares a serem alcançados no segmento, quatro vezes o mercado anual da categoria, sendo metade desse volume nas regiões Norte e Nordeste. A penetração da categoria de lavadoras automáticas é de 66% no Brasil, sendo que nas regiões Norte e Nordeste esse percentual cai para 34%. No Ceará, a categoria apresenta um baixo índice de penetração de lavadoras automáticas, sendo apenas 40% de penetração da categoria.

"Ou seja, mais da metade da população dessas regiões ainda lavam à mão ou no tanquinho. Por isso, a marca tem um grande público para dialogar nestes mercados, principalmente nas praças de Pernambuco, Bahia, Maranhão e Ceará, oferecendo praticidade para o dia a dia e liberando o tempo das pessoas para outras atividades", conclui a marca em nota.

No Nordeste, a Consul realizou estudo independente no fim do ano passado para obter leitura ainda mais aprofundada sobre o público nordestino, buscando entender suas rotinas, motivações e os hábitos culturais. “Durante essa imersão com o consumidor da categoria na região, entendemos que os fatores culturais interferem de maneira significativa nas escolhas e que as tradições nas formas de lavar, passadas por gerações, também possuem uma importância relevante na sua rotina", comenta Allyne Magnoli, diretora de Marketing da Whirlpool, dona da marca Consul.

Pontos que a pesquisa encomendada pela Whirlpool para a região Nordeste identificou:

  • Lavar roupa é sinônimo de cuidado. Rotina associada à presença humana (insubstituível);
  • Pressa é inimiga da perfeição. Tem que ser prático e bem lavado;
  • Principais fatores que influenciam na relação do consumidor nordestino com o segmento de máquina de lavar roupa;
  • Mulher fica com a maior parte da rotina do cuidado com a lavagem da roupa, sendo uma sobrecarga no dia a dia;
  • Nordeste é plural. Sotaques, linguagens, jeitinhos de lavar suas roupas, tradições etc. São vários “nordestes” na mesma região;
  • Mesmo que a máquina de lavar roupa seja um item com um valor maior, o consumidor da região está disponível a adquirir, contanto que: as condições/formas de pagamento se enquadrem no seu orçamento; seja um produto de durabilidade, sem necessidade de constantes manutenções; e que tenha vasta rede de assistência técnica.

Sobre a campanha da Consul

A campanha “Com você, a gente cuida. Consul.” aposta em uma linguagem de identificação cultural com o consumidor e consumidora. Traz identidade visual com inspiração no cobogó, elemento arquitetônico característico do Nordeste. Todo o discurso é baseado na rotina nordestina. A ação é assinada pelo grupo B&Partners.co. As ativações da marca englobam também mecânicas de experimentação e conteúdo educacional sobre o uso das lavadoras de roupas com engajadoras digitais do Nordeste.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Secretaria do Desenvolvimento Econômico e Trabalho do Ceará passa a funcionar no Centro de Eventos

Economia
11:55 | Set. 04, 2021
Autor Redação O POVO
Foto do autor
Redação O POVO Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

A Secretaria do Desenvolvimento Econômico e Trabalho (Sedet) está em novo endereço. Agora a pasta funciona no Centro de Eventos do Ceará, ao lado da Secretaria do Turismo.

Com a mudança, a vinculada da Sedet, a Agência de Desenvolvimento do Estado do Ceará (Adece) também foi transferida para o Centro de Eventos, assim como escritórios do Complexo do Pecém e Zona de Processamento de Exportação (ZPE).

Em breve, também ficarão no novo espaço físico da Sedet a Agência de Defesa Agropecuária do Estado do Ceará (Adagri) e a Junta Comercial (Jucec-CE).

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags