Termo de Uso Política de Privacidade Política de Cookies Conheça O POVO Trabalhe Conosco Fale com a gente Assine Ombudsman
Participamos do

Trabalho remoto gerou economia de R$ 1,4 bi no Executivo federal

Autor - Agência Brasil
Foto do autor
- Agência Brasil Autor
Tipo Notícia

O trabalho remoto dos servidores públicos federais durante a pandemia da covid-19 gerou economia de R$ 1,419 bilhão, divulgou hoje (3) a Secretaria Especial de Desburocratização, Gestão e Governo Digital do Ministério da Economia. O levantamento considerou a redução de gastos de custeio (manutenção da máquina pública) de março de 2020 a junho de 2021.

Ao todo, foram analisados cinco tipos de despesas: diárias; passagens e locomoção; energia elétrica; água e esgoto; e cópias e reprodução de documentos. De acordo com o Ministério da Economia, cerca de 190 mil servidores públicos federais continuam trabalhando de forma remota, o equivalente a 32% do total.

A digitalização dos serviços públicos contribuiu para a manutenção do trabalho remoto. Atualmente, o Portal Gov.br oferece 4.648 serviços, dos quais 3.284 (70,7%) são completamente digitalizados, dispensando a necessidade de o cidadão sair de casa. Outros 647 serviços (13,9%) são parcialmente digitalizados, requerendo o envio de documentos físicos ou a ida a alguma unidade de atendimento em alguma etapa, e 717 (15,4%) não são digitais, apenas iniciados pelo portal e executados fisicamente.

Segundo o levantamento, o maior volume de economia foi registrado com passagens e despesas com locomoção, com R$ 512,6 milhões que deixaram de ser gastos desde o início da pandemia. Em seguida vêm os gastos com diárias em viagens (R$ 450,2 milhões); energia elétrica (R$ 392,9 milhões); cópias e reproduções de documentos (R$ 57,7 milhões); e serviços de água e esgoto (R$ 5,9 milhões). Todos os valores foram atualizados pela inflação do período considerando o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

Programa permanente

Por meio do Programa de Gestão (PG), o Ministério da Economia pretende transformar o teletrabalho permanente em alguns órgãos, incentivando os órgãos federais a adotar o trabalho remoto em atividades em que a presença física dos servidores não seja essencial. Até o momento, nove órgãos federais completaram o processo de adesão.

Entre os ministérios, as pastas da Economia, da Cidadania, do Desenvolvimento Regional aderiram ao teletrabalho permanente. Completam a lista a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel); a Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq); a Controladoria-Geral da União (CGU); a Advocacia-Geral da União (AGU); o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) e a Escola Nacional de Administração Pública (Enap).

Segundo o Ministério da Economia, o Programa de Gestão representa uma mudança de cultura, ao substituir controle de frequência por controle de produtividade, com metas, prazos e tarefas definidas, o que contribui para aprimorar a qualidade do serviço público. As regras para o teletrabalho no Poder Executivo estão regulamentadas pela Instrução Normativa 65, de julho de 2020.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Rio: organizações concentram esforços para retomar turismo de negócios

Economia
16:46 | Ago. 03, 2021
Autor Agência Brasil
Foto do autor
Agência Brasil Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Após mais de um ano de pandemia, organizações que atuam na cidade do Rio de Janeiro concentram esforços para atrair grandes eventos de diferentes áreas e, com isso, movimentar a economia local. A intenção é que, com o avanço da vacinação contra a covid-19, o calendário da cidade volte a ser preenchido com congressos presenciais e eventos nacionais e internacionais.

A iniciativa é do Rio Convention & Visitors Bureau (Rio CVB), fundação privada, sem fins lucrativos, voltada para estimular o turismo e eventos na capital fluminense. As parcerias foram firmadas com a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel), o Sindicato de Bares e Restaurantes do Rio de Janeiro (Sindrio), o Comitê Olímpico Brasileiro (COB), o Comitê Paralímpico Brasileiro e a agência de promoção e atração de investimentos da prefeitura do Rio, a Invest.Rio.

Nas respectivas áreas, as organizações comprometeram-se a mapear os principais eventos e verificar a viabilidade de o Rio sediá-los. O COB e o Comitê Paralímpico Brasileiro, por exemplo, vão selecionar as principais competições esportivas nacionais e internacionais para submeter a candidatura da cidade, aproveitando a infraestrutura e os principais atrativos da cidade. Já a Invest.Rio é responsável pela interlocução com a prefeitura e pela busca de patrocinadores que permitam a realização dos eventos.

Antes da pandemia, em 2019, mais de 300 eventos foram realizados no Rio de Janeiro, atraindo, ao todo, mais de 1 milhão de visitantes à cidade e resultando em uma receita de R$ 1 bilhão. Os eventos confirmados para 2022 ainda estão longe dessa marca. De acordo com o Rio CVB, tais eventos devem gerar faturamento de cerca de R$ 300 milhões.

Somente em 2020, o número de congressos e feiras realizados no Rio caiu mais de 80%. Ao todo, foram 54 eventos realizados de forma presencial, enquanto, em 2019, foram 334.

Retomada

A prefeitura do Rio de Janeiro espera que, até setembro, 77% da população já tenham tomado a primeira dose da vacina contra a covid-19 e 45%, recebido a segunda ou a dose única. Se isso se confirmar, no dia 2 do próximo mês, começa um plano de reabertura que tem mais duas etapas, uma  prevista para 17 de outubro e a outra, para15 de novembro.

A vacina, segundo a prefeitura, é fundamental para a retomada e servirá de passaporte para ter acesso a certos espaços. Em 2 de setembro, na primeira fase, deverão ser liberados os eventos em locais abertos, e estádios e danceterias poderão receber 50% do público, desde que os frequentadores tenham tomado as duas doses. O uso de máscaras continuará sendo obrigatório.

O plano de liberação vai até 15 de novembro, na terceira fase, quando 75% dos moradores da capital, de todas as idades, poderão ter recebido a segunda dose. A previsão é, então, liberar a população do distanciamento social e do uso de máscaras, que serão obrigatórias apenas no transporte público e nas unidades de saúde.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Ceará, Fortaleza e FCF finalizam protocolo e querem liberação de 40% de público nos estádios

Volta aos estádios
16:38 | Ago. 03, 2021
Autor Afonso Ribeiro
Foto do autor
Afonso Ribeiro Autor
Ver perfil do autor
Tipo Noticia

Em reunião na tarde desta terça-feira, 3, Ceará, Fortaleza e Federação Cearense de Futebol (FCF) ajustaram os últimos detalhes do protocolo para o retorno dos torcedores aos estádios. O Esportes O POVO apurou que o documento, que será enviado ao Governo do Estado na próxima quarta-feira, 4, solicita liberação de 40% da capacidade dos estádios e prevê acesso para torcedores com imunização completa pela vacina ou testagem prévia para Covid-19.

O protocolo estabelece dois critérios principais para o acesso dos torcedores: as duas doses da vacina tomadas - ou dose única, no caso da Janssen - ou realização de teste PCR até 48 horas antes da partida. No caso da Arena Castelão, utilizada pelos dois clubes, a liberação de 40% de público seria equivalente a 24 mil torcedores - a capacidade total atual é de 60 mil pessoas.

O pedido oficial será encaminhado ao Governo na quarta-feira, 4, e deverá entrar em pauta na reunião semanal do Comitê estadual de combate à pandemia, na próxima sexta-feira, 6.

Diante da intenção da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) de permitir a presença de público a partir das quartas de final da Copa do Brasil - e, possivelmente, ampliar para outras competições -, os dois clubes cearenses da Série A e a Federação decidiram se antecipar para tentar avançar.

As três partes mantinham conversas há alguns meses e já se movimentavam nos bastidores para dar esse passo. Uma reunião chegou a ser marcada com a Secretaria de Saúde, mas sem sucesso pela ausência do titular da pasta, Carlos Roberto Martins Rodrigues Sobrinho, o Dr. Cabeto.

Alvinegros e tricolores, inclusive, chegaram a firmar parceria com uma empresa de tecnologia que disponibilizaria um aplicativo para controlar a entrada dos torcedores de acordo com os requisitos.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

EUA vão continuar a doar doses de vacinas contra a covid a outros países

INTERNACIONAL
16:31 | Ago. 03, 2021
Autor Agência Estado
Foto do autor
Agência Estado Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Os Estados Unidos vão continuar a doar doses de vacinas contra a covid-19 a outros países e se manter como um agente de combate à pandemia, segundo disse nesta terça-feira, 3, a secretária de imprensa da Casa Branca, Jen Psaki, durante coletiva, ao dar uma prévia do discurso do presidente Joe Biden, previsto para começar às 16h45 (de Brasília) de hoje.
De acordo com a secretária, Biden destacará a marca de 110 milhões de doses distribuídas globalmente pelos EUA, e dirá que este "é apenas o começo". Psaki ainda afirmou que o total de imunizantes doados pelo país é maior do que China e Rússia, somadas, cederam a outras nações.
Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

EUA: Delta segue avançando; 50% de novas hospitalizações vêm de apenas 4 Estados

INTERNACIONAL
16:26 | Ago. 03, 2021
Autor Agência Estado
Foto do autor
Agência Estado Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

A porta-voz da Casa Branca, Jen Psaki, afirmou nesta terça-feira, 3, que a administração apoia decisões locais e de entidades privadas para incentivar a vacinação contra covid-19 no país. Na coletiva de imprensa diária, em resposta a uma pergunta sobre as restrições determinadas por Nova York para pessoas que não se imunizaram, Psaki indicou que o governo entende que cada comunidade terá de tomar suas posições para buscar incentivar a vacinação.
Segundo a porta-voz, o governo dos Estados Unidos ofereceu assistência federal a todos os Estados do país. Psaki lembrou que a variante Delta do coronavírus segue avançando, e destacou que 50% das novas hospitalizações vêm apenas de quatro Estados, número liderado pela Flórida.
Sobre a moratória que impede despejos no país, a "administração está observando o que é possível fazer", afirmou. Segundo a porta-voz, o foco é ajudar os estados com verbas e a determinação feita durante a pandemia nunca teve como objetivo ser permanente.
Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Secretaria da Saúde confirma mais dois casos da variante Delta no Ceará e recomenda autoquarentena

MAIS CASOS CONFIRMADOS
16:21 | Ago. 03, 2021
Autor Marília Serpa
Foto do autor
Marília Serpa Autor
Ver perfil do autor
Tipo Noticia

O Centro de Testagem de Viajantes, montado pela Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa) no Aeroporto Internacional de Fortaleza – Pinto Martins para reforçar a barreira sanitária do Estado, detectou a variante Delta em mais dois cearenses que desembarcaram recentemente vindos do Rio de Janeiro. Os dois passageiros vieram da capital fluminense em diferentes voos do dia 23 de julho, um deles com escala em Guarulhos. Dessa forma, contabilizam-se seis casos (todos oriundos do Rio de Janeiro) da cepa que tem gerado maior preocupação neste momento de pandemia. 

A Rede Genômica da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) Ceará, em parceria com o Centro de Hematologia e Hemoterapia do Ceará (Hemoce) e o Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen), divulgaram nesta segunda-feira, 2, que os novos casos foram detectados em uma viajante de 22 anos, moradora de Jaguaretama, e em um residente de Ipueiras, de 20 anos. Eles tiveram amostras positivas para Covid-19 após teste rápido realizado no desembarque na Capital cearense, pelo Centro de Testagem do Aeroporto, onde foram recomendados a cumprir isolamento de 10 a 14 dias.

 


Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags