PUBLICIDADE
Economia
NOTÍCIA

Cesta básica em Fortaleza tem a maior alta do Brasil e sobe mais 1,77% em junho

Valor do conjunto de 12 produtos alimentícios básicos já chega a custar R$ 541,61 e corrói 53,23% do salário mínimo. A alta acumulada em 2021 já é de 1,24%

Samuel Pimentel
12:29 | 06/07/2021
Cesta básica no Ceará é a mais cara do Nordeste e a décima mais cara do Brasil no primeiro semestre de 2021. (Foto: Divulgação / MPCE)
Cesta básica no Ceará é a mais cara do Nordeste e a décima mais cara do Brasil no primeiro semestre de 2021. (Foto: Divulgação / MPCE)

O valor da cesta básica de Fortaleza chegou aos R$ 541,61 em junho. Esse é o maior valor do Nordeste e a variação mensal, de 1,77%, foi a maior do Brasil no mês passado. De acordo com a Pesquisa Nacional da Cesta Básica, promovida pelo Dieese, o consumidor cearense precisa gastar 53,23% do salário mínimo para comprar os itens básicos para sobrevivência.

LEIA MAIS | Bolsonaro pede a supermercadistas que segurem preços de produtos da cesta básica

+ Mais 4,6 mil profissionais recebem Auxílio Cesta Básica; confira lista

Quando analisamos a inflação sobre a cesta básica no acumulado do ano após seis meses, é possível observar alta de 1,24%. Em 12 meses, a alta do valor da cesta ultrapassa os 16,65%. Fortaleza possui a cesta básica com maior variação de preço em um ano no Nordeste. Também tem a décima mais cara do Brasil.

Entre maio e junho, o principal vilão foi o preço do açúcar, que teve alta de 8,51%. O valor do café teve alta de 5,16%, do tomate subiu 5,05%, e da carne apresentou alta de 3,19%. Apenas arroz (-0,86%), farinha (-1,08%) e banana (-4,03%) apresentaram redução de preço no mês passado.

De acordo com o levantamento, o trabalhador cearense precisa de 108 horas e 19 minutos de trabalho todos os meses para ter condições de comprar uma cesta básica de 12 produtos capaz de atender às necessidades básicas de uma família com dois adultos e duas crianças.

O salário mínimo (que, segundo a Constituição, deve atender às necessidades básicas do trabalhador, incluindo o lazer e cultura) necessário para uma família com quatro pessoas seria de R$ 5.421,84, o que corresponde a 4,93 vezes o mínimo atualmente vigente, de R$ 1,1 mil.