Participamos do

Com alta de preços, revisão da inflação sobe de 4,6% para 5,3%, aponta Ipea

O que mais pesou para a revisão foi o grande aumento dos preços monitorados - que são os regulados em contratos -, com a expectativa de alta passando de 6,4% para 8,4%. Em 2020, a aceleração de preços esteve ligada diretamente aos fortes aumentos de valores dos alimentos
11:00 | Mai. 24, 2021
Autor Samuel Pimentel
Foto do autor
Samuel Pimentel Jornalista no OPOVO
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Um levantamento realizado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) revisou o índice de inflação esperado para o Brasil em 2021, de 4,6% para 5,3%. O que motivou o aumento da previsão foram os recentes aumentos de preços que pressionaram a inflação no País.

LEIA MAIS | IPCA para 2021 passa de 5,15% para 5,24%, projeta Focus

+ Inflação em Fortaleza é a segunda maior do País

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

O que mais pesou para a revisão foi o grande aumento dos preços monitorados - que são os regulados em contratos -, com a expectativa de alta passando de 6,4% para 8,4%. Em 2020, a aceleração de preços esteve ligada diretamente aos fortes aumentos dos preços dos alimentos.

Neste ano, outro segmento que foi analisado pelo Ipea e que apresentou inflação elevada foi o relacionado aos bens industriais e dos serviços livres exceto educação, que avançaram de 3,8% e 3,6% para 4,3% e 4,0%, respectivamente.

No caso dos alimentos no domicílio, em 2021, o Grupo de Conjuntura do Ipea manteve a previsão de inflação para este segmento de 5,0%.

"Os riscos para essa previsão de inflação em 2021 estão relacionados às oscilações da taxa de câmbio e dos preços internacionais das commodities, que podem surpreender positiva ou negativamente", avaliou o diretor de Estudos e Políticas Macroeconômicas do Ipea, José Ronaldo Souza Júnior.

Commodities

O Ipea projeta que em 2021 os preços das commodities devem permanecer num patamar de preços elevados, mesmo diante de um contexto de aumento de oferta, que deve pressionar os mercados produtores tradicionais pela grande quantidade de produtos no mercado.

De acordo com o levantamento, o cenário global de controle da pandemia e a retomada mais forte da economia mundial devem contribuir para a manutenção do atual cenário, marcado por um descasamento entre oferta e demanda, impedindo uma queda dos preços internacionais.

INPC

Os pesquisadores revisaram também a previsão do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), de 4,3% para 4,7% neste ano, sendo que, em 2020, o índice chegou a 5,5%. Apesar da alta de 6,8% para 8,0% nos preços monitorados, o índice que mede a inflação das famílias residentes nas áreas urbanas que ganham de um a cinco salários mínimos deve ter alívio inflacionário proveniente da pressão menor dos alimentos, com alta prevista de 5,2% ante 18,9% registrada em 2020, diz o relatório do Ipea.

Porém, a revisão para cima dos reajustes para os bens industriais e os serviços livres exceto educação também contribuíram para a elevação da projeção do INPC este ano.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags