Participamos do

Ceará concentra 21,1% dos empregos na indústria do Nordeste, revela CNI

Ao todo, de acordo com dados da Confederação nacional da Indústria, o Ceará representa 14,9% de todos os bens e serviços prestados pelas indústrias presentes no Nordeste
12:21 | Mai. 24, 2021
Autor Alan Magno
Foto do autor
Alan Magno Estagiário de jornalismo
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Os polos industriais no Ceará empregam 360.553 pessoas e representa 20,3% dos postos de trabalho formal do Estado, conforme levantamento feito pelo Confederação Nacional da Indústria (CNI). Os dados foram divulgados na manhã desta segunda-feira, 24, e expressam uma significativa participação do Estado nos polos industrias da região Nordeste. Ao todo, o Ceará representa 14,9% de todos os bens e serviços prestados pelas indústrias presentes nos nove estados da região, com pouco mais de 14 mil estabelecimentos associados a produção industrial. 

Apesar da participação crescente, a média salarial de uma pessoa que trabalha na indústria no Estado é menor do que a média nacional. Os profissionais empregados na indústria cearense ganham, em média, R$ 1.759, enquanto a faixa salarial nacional é cerca de R$ 1 mil a mais, estando em R$ 2.792, conforme o levantamento da CNI.

O segmento da construção civil é o mais forte no Estado e representa 26,7% da atividade industrial cearense. Na sequência, representando 20,3% da atividade industrial do Estado, aparece o setor de serviços industriais de utilidade pública, como os relacionados ao tratamento de água e esgoto e também distribuição de energia elétrica e limpeza urbana. 

No terceiro lugar com maior representatividade na atividade industrial cearense, o setor relacionado a produção e confecção de artigos de couros e calçados, com 9,5%. Atividade relacionada a produção de artigos alimentícios ocupa 8,8% e por último o segmento metalúrgico, cuja atividade industrial representa 7,3% do Estado.

Ao apresentar a pesquisa, a CNI destaca ainda a rentabilidade do setor industrial no País. "Para cada R$ 1 produzido pelo setor, são gerados R$ 2,43 adicionais na economia". A confederação pondera que caso o mesmo valor fosse investido no em um negócio relacionado a agricultura, o retorno financeiro seria de R$ 1,75 e que caso fosse no setor de serviços, a movimentação econômica de retorno seria de R$ 1,49.

Com tais índices de rendimento, a atividade industrial no Ceará representa cerca de 18,1% das riquezas produzidas no Estado durante o ano. Com base em dados de 2018, a CNI pontua que a indústria gerou R$ 24,7 milhões. O levantamento destaca ainda que somente de arrecadação fiscal sobre o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), o setor repassou aos cofres públicos cerca de R$ 2,6 bilhões em 2019. 

Com relação a participação nacional, o Ceará aparece em 13º lugar do ranking com 1,9% de participação da atividade industrial do Brasil. Os primeiros lugares do ranking nacional são ocupados por estados do Sudeste. Na liderança, São Paulo representa 29,8% da indústria nacional, seguido de Rio de Janeiro com 11,4%, Minas Gerais com 10,9% e Paraná 7,1%.

A tarifa média de energia elétrica doestado para consumidores industriais é de R$609,25 por cada MW consumido por hora, valor até 6,2% mais barata do que a média nacional.



Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine
Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags