Participamos do

Mesmo com anúncio de apoio do Estado, restaurantes alegam ameaça de corte no fornecimento de energia elétrica

De acordo com o núcleo cearense da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes, diversos estabelecimentos do Estado que solicitaram auxílio do governo com relação ao pagamento das contas de luz estão recebendo cobranças da Enel. Mas, segundo a empresa de energia, Governo ainda não repassou a lista de clientes beneficiados para análise
11:22 | Mai. 20, 2021
Autor Alan Magno
Foto do autor
Alan Magno Estagiário de jornalismo
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Atualização às 15h26min para acrescentar posicionamento da Enel Distribuição Ceará

Atualização às 18 horas para acrescentar posicionamento do Governo do Ceará

A reabertura da inscrição para auxílio do Governo do Estado que prevê o pagamento dos débitos, junto à distribuidora de energia elétrica, a Enel, de restaurantes, bares e afins do segmento de alimentação fora do lar, levantou questionamentos dos empresários sobre a data para a implementação do socorro, que, segundo a companhia elétrica, ainda não foi implementado pelo Governo, que aguarda a finalização das inscrições no próximo dia 26. "Se demorar mais, já será tarde demais para várias empresas", afirma o presidente do núcleo cearense da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel).

No aguardo de uma definição de quando o benefício será pago, estabelecimentos do Estado que solicitaram o apoio do governo na pandemia estão recebendo cobranças da Enel e ameaças de corte no fornecimento de energia, conforme relata a entidade. "Parte deles tem solicitado prazo de 24 horas para tentativa de renegociação da dívida, enquanto outros já não tem essa opção", informa o comunicado da Abrasel. 

A Associação destaca ainda que diversos empreendedores do segmento estão tentando conseguir empréstimos com amigos e familiares como alternativa para o auxílio estadual e, assim, conseguir iniciar o pagamento da dívida com a Enel e evitar a interrupção no fornecimento de energia elétrica que levaria ao fechamento total de tais estabelecimentos. 

Abrasel destaca ainda o caso do Floresta Bar, que chegou a realizar campanha nas redes sociais para tentar arrecadar doações para quitar parte da dívida da empresa e conseguir um fôlego para seguir em funcionamento. O dono da empreendimento, Pedro Machado, afirmou, diz nota da entidade, que somente com a Enel, acumula cerca de R$ 20 mil em débito e que sem a oportunidade de pagar a dívida não terá como trabalhar para tentar recuperar o prejuízo. 

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Em nota, a Enel Distribuição Ceará informa que está aguardando a conclusão do cadastro dos estabelecimentos para alimentação fora do lar, realizado pelo Governo do Estado, para analisar a consistência dos dados com a base de clientes da distribuidora e, posteriormente, definir, junto com o poder executivo, a melhor forma de quitação dos débitos entre os meses de março do ano passado até 20 de abril deste ano. Por isso, a preço de agora, o corte se justifica, pois a implementação do plano governamental para o setor ainda não foi concluída. E, a implementação do governo estadual não é sobre cortes, mas sim sobre pagamento de contas, pois, segundo o que já há de regramento, apenas os clientes de baixa renda não podem ter o fornecimento cortado.


Ao O POVO o Governo do Ceará respondeu que prorrogou, até o dia 26 deste mês, o prazo para que as empresas do setor de alimentação fora do lar possam realizar o cadastro para o benefício. Após esta data, será regulamentado decreto estadual em que serão estabelecidas as condições de pagamento.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags