PUBLICIDADE
Economia
NOTÍCIA

Preço médio da gasolina sobe R$ 0,15 no Ceará; máxima chega a R$ 5,97

Segundo a ANP, na semana encerrada no último dia 15, o preço médio da gasolina estava sendo comercializado no Ceará a R$ 5,72, mas podia ser encontrado com valores entre R$ 5,33 e R$ 5,97

Irna Cavalcante
09:44 | 17/05/2021
Aumento do preço da gasolina no Ceará (Foto: Aurelio Alves)
Aumento do preço da gasolina no Ceará (Foto: Aurelio Alves)

Em sete dias, o preço médio da gasolina comercializada no Ceará subiu R$ 0,15 e fechou a semana que encerrou no último dia 15 em R$ 5,72. Antes era R$ 5,57. Levantamento divulgado nesta segunda-feira, 17,  pela Agência Nacional de Petróleo (ANP), em 136 postos do Estado, mostrou que o preço mínimo encontrado para o produto agora é de R$ 5,33 e a máxima chega a R$ 5,97. O litro do diesel e do etanol (álcool) também estão mais caros.

LEIA MAIS | Gasolina atinge maior valor em 4 semanas no Ceará

Já são pelo menos três semanas de alta consecutiva. No caso da gasolina, o preço médio do produto na semana entre 18 e 24 de abril era de R$ 5,47. Na semana seguinte passou para R$ 5,49, depois para R$ 5,57, até chegar em R$ 5,72.

Segundo o levantamento da ANP, o etanol também está mais caro e fechou a última semana com valores entre R$ 4,47 e R$ 5,53. O preço médio é de R$ 4,79. São dez centavos a mais do que a média da semana imediatamente anterior. Em relação aos preços de quatro semanas atrás a variação é de 3,9%.

Já o preço do diesel continua subindo, mas em ritmo mais lento. Se nas últimas duas pesquisas o produto vinha ficando na média R$ 0,10 mais caro, desta vez, subiu dois centavos (R$ 4,54). A mínima é de R$ 4,44 e a máxima de R$ 4,69. Na semana imediatamente anterior, a média era de R$ 4,52, mas poderia ser encontrado com valores entre R$ 4,23 e R$ 4,69.

O último reajuste feito pela Petrobras para as distribuidoras foi no dia 1º de maio. Na ocasião, a estatal reduziu em 1,9% o preço médio da gasolina nas refinarias e de 1,8% no diesel. Porém, a escalada de preços dos combustíveis é grande. Somente em 2021, a alta acumulada da gasolina já chega a 40,7% nas refinarias e a do diesel a 34,1%.