PUBLICIDADE
Economia
NOTÍCIA

Gil, do 'BBB', quer ser presidente do Banco Central

Participante do reality da Globo, um dos mais carismáticos da última edição, fará doutorado em economia nos Estados Unidos e diz que presidir o BC "seria extraordinário"

07:13 | 08/05/2021
Ex-bbb Gil revelou o sonho e também comentou como ficou surpreso ao saber que popularizou alguns assuntos de economia (Foto: Reprodução/Instagram)
Ex-bbb Gil revelou o sonho e também comentou como ficou surpreso ao saber que popularizou alguns assuntos de economia (Foto: Reprodução/Instagram)

O economista pernambucano Gilberto Nogueira, que ficou mais conhecido nacionalmente como "Gil", participante do reality show Big Brother Brasil, da Rede Globo - afirmou nesta sexta-feira, 7, em entrevista para a #RedeBBB, que seu maior sonho após concluir o doutorado nos Estados Unidos é ser presidente do Banco Central.

Em resposta ao participante do BBB, que possui 1,4 milhão de seguidores apenas no Twitter, o Banco Central afirmou no fim da tarde que "ficaremos alegres em contar com o seu vigor em nossa equipe".

Gil foi um dos destaques do reality que terminou nesta semana, após meses de confinamento. Em alguns momentos, ele chegou a tratar de economia e a explicar conceitos a outros participantes, como o de inflação.

Na sexta-feira, ele disse que sonha em ocupar o cargo que pertence atualmente ao economista Roberto Campos Neto, que fez carreira no mercado financeiro e é neto de um dos maiores nomes do liberalismo no Brasil, o economista Roberto Campos.

"Ser presidente do Banco Central. Seria extraordinário", afirmou Gil, ao ser questionado sobre seu maior sonho após o doutorado. "A emissão de moeda, o estudo do mercado financeiro. A moeda influencia vários fatores, como desemprego e inflação. Eu sou apaixonado, não é minha área de pesquisa hoje, mas eu tenho muito prazer de estudar e falar."

Gil afirmou ainda que "nunca foi um objetivo de vida" comandar o BC. "Mas hoje em dia eu penso que trabalhar e presidir o Banco Central seria um sonho, que nunca foi palpável. Tem muitos economistas grandiosos no Brasil, é um trabalho de alta responsabilidade."

As declarações de Gil geraram milhares de manifestações de apoio nas redes sociais ao longo do dia. À tarde, o BC se pronunciou por meio do Twitter. "Ficamos felizes em saber do seu sonho de fazer parte do BC! Ficaremos alegres em contar com o seu vigor em nossa equipe. Seguimos juntos falando de economia aqui do lado de fora?"

O cargo de presidente do Banco Central é de indicação do presidente da República. Campos Neto foi indicado pelo presidente Jair Bolsonaro no início de seu governo, em 2019, e teve seu nome aprovado pelo Senado Federal.

Além do presidente da autarquia, o presidente da República é o responsável pela indicação dos oito diretores do BC. Os nove dirigentes são os responsáveis pela política monetária no Brasil. Entre outras funções, são eles que determinam o nível da Selic (a taxa básica de juros), ferramenta utilizada para o controle da inflação no País.

Sem contar as indicações presidenciais para os cargos de direção, é possível se tornar servidor do BC por meio de concurso público.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.