PUBLICIDADE
Economia
NOTÍCIA

Entenda como funciona a transferência de dinheiro pelo WhatsApp

A modalidade foi disponibilizada pelo WhatsApp na quarta-feira, dia 4. Por enquanto, o serviço, que não tem cobrança de taxas, pode ser usado apenas por pessoas físicas

Irna Cavalcante
15:02 | 05/05/2021
A ferramenta de transferência de recursos pelo WhatsApp, por enquanto, está disponível apenas para pessoas físicas (Foto: Divulgação/whatsApp)
A ferramenta de transferência de recursos pelo WhatsApp, por enquanto, está disponível apenas para pessoas físicas (Foto: Divulgação/whatsApp)

A forma como os brasileiros estão realizando transações financeiras está mudando de forma muito rápida no País. A novidade mais recente é a possibilidade de transferir dinheiro por meio de aplicativo de mensagens, sem a cobrança de taxas, como se estivesse enviando áudios, vídeos ou fotos pelo celular. Lançada pelo WhatsApp no último dia 4, a modalidade, chamada de WhatsApp Pay, por enquanto, está restrita a transações entre pessoas físicas.

Não pode, por exemplo, efetuar o pagamento de uma pessoa física para uma empresa. Também está restrita a clientes com cartões de débito, pré-pago ou combo de apenas duas bandeiras (Visa e Mastercard). Dentre as instituições financeiras que já aderiram à modalidade estão: Banco do Brasil, Banco Inter, Bradesco, Itaú, Mercado Pago, Next, Nubank, Sicredi e Woop Sicredi.

De acordo com o diretor de operações do WhatsApp, Matt Idema, o serviço vai facilitar o envio e o recebimento de dinheiro de maneira segura. O recurso será implementado "gradualmente" nas próximas semanas para todas as pessoas, mas é preciso atualizar o aplicativo em sua loja de apps, seja do iPhone ou de celulares Android.

Para poder usar o serviço, o usuário precisa ter a partir de 18 anos de idade e um número de telefone cadastrado no País para que as transações em moeda local sejam autorizadas. Não há incidência de taxas nas transferências, mas há limites para o envio e o recebimento de dinheiro pelo aplicativo. Uma pessoa só pode, por exemplo, enviar até R$ 1 mil por transação.

É até possível enviar quantias maiores, porém, isso deve ser feito de forma fracionada. Há um limite de 20 transações por dia. E também um teto de transferências de até R$ 5 mil para cada tipo de transação. Ou seja, R$ 5 mil para recebimentos e outros R$ 5 mil para envio. Mas, a depender do banco, pode ser estabelecido um limite menor para transações.

Para Monica Sussia,  gerente da Seven Tech Group, empresa especializada em consultoria e desenvolvimento de software, a nova modalidade tem como principais vantagens a rapidez e praticidade da operação. "Ao mesmo tempo em que você está conversando ou negociando, poder pagar dentro da mesma janela de conversa sem precisar trocar de aplicativo é, de fato, muito fácil, e se iguala à mesma facilidade de enviar uma foto, por exemplo".

Por enquanto, não é possível usar o recurso de pagamentos no WhatsApp Web e WhatsApp para computador. Apenas pelo celular.  O processamento das transações é feito pela Cielo e a ferramenta é habilitada a partir do Facebook Pay, serviço da empresa que é dona do WhatsApp. 

Passo a passo:

1. Como o serviço está sendo disponibilizado de forma gradativa, é preciso checar primeiro se a modalidade já está disponível no seu aplicativo. Pode ser que seja necessário fazer uma atualização.

2. Para poder usar o serviço, o usuário deve clicar na opção “Pagamentos” que está disponível no ícone de "clipe de papel" (Android) ou "+" (iPhone) no campo de mensagens. É o mesmo local onde aparecem também as opções de enviar uma imagem, documento, localização ou contato.

3. Na primeira vez em que for usar o serviço, será preciso também aceitar os termos de uso, criar um PIN (senha) do Facebook Pay, cadastrar um cartão pré-pago ou de débito de uma das instituições parceiras e confirmar o cadastro na plataforma.

4. Feito isso, para fazer a transação, basta inserir o valor e uma mensagem opcional

5. Aperte em "Pagar" e coloque o PIN (senha) do Facebook Pay

6. A transação vai aparecer como se fosse uma mensagem na conversa do WhatsApp, e a pessoa precisa aceitar o pagamento. Depois, o dinheiro cairá na conta dela.

7. Caso o contato que vai receber o dinheiro não tenha habilitado o recurso de pagamentos do WhatsApp, aparecerá uma notificação pedindo que ele cadastre o cartão no sistema para receber a transferência. Esse procedimento precisa ser feito em até dois dias, caso contrário o valor é reembolsado.

 

Segurança

De acordo com o WhatsApp, o procedimento é considerado seguro porque as transferências e pagamentos são protegidos por várias camadas de segurança, como o PIN do Facebook Pay ou a biometria em dispositivos compatíveis.

"Todas as vezes que algum dinheiro é enviado, é preciso autenticar a transação com uma senha ou com segurança biométrica do celular [impressão digital ou reconhecimento facial]", informou Idema.

Em caso de clonagem do aplicativo, quando um golpista instalar o WhatsApp em um celular diferente, será preciso inserir novamente os dados do cartão.

 

Autorização do Banco Central

O Banco Central, autoridade monetária brasileira, autorizou no último dia 30 a empresa Facebook Pagamentos do Brasil, dona do WhatsApp, a operar como “iniciador de transações”. Ou seja, essa modalidade permite que o consumidor dê uma ordem para que a instituição financeira em que é correntista realize o pagamento diretamente a outra pessoa, sem a necessidade de acessar o aplicativo do banco, com débito em sua conta de depósito ou de pagamento.

Já as operadoras Visa e Mastercard receberam autorizações de dois arranjos de pagamentos: transferência/depósito e operações pré-pagas, em que o cliente abastece uma carteira virtual com dinheiro para gastar mais tarde.

As operações, no entanto, só podem ser feitas dentro do Brasil. Transações com o exterior estão vetadas. Os pagamentos de compras por meio da plataforma Facebook Pay, que haviam sido pedidos pelas operadoras, continuam sob análise e não foram incluídos na autorização.