PUBLICIDADE
Economia
NOTÍCIA

Segunda onda de Covid-19 impacta em queda da venda de veículos no Ceará

Há ainda desafios para o setor da distribuição de veículos como a falta de produtos e o aumento das restrições de circulação, por conta da pandemia

Beatriz Cavalcante
15:06 | 06/04/2021
Pandemia impacta vendas de veículos novos (Foto: JÚLIO CAESAR)
Pandemia impacta vendas de veículos novos (Foto: JÚLIO CAESAR)

As vendas de veículos novos no Ceará, considerando todas as categorias, apresentaram queda generalizada nos dados de março deste ano da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave). O presidente da entidade, Alarico Assumpção Júnior, cita a piora da pandemia no Brasil como um dos fatores para a retração na comercialização.

VEJA TAMBÉM | Veja os 20 veículos mais vendidos no Ceará no mês passado

Foram 2.912 unidades comercializadas no mês, contra 5.873 em fevereiro e 6.768 em março do ano passado no Estado. No acumulado do ano (janeiro a março), o número de emplacamentos chegou a 17.956 ante 25.454 observados nos primeiros três meses de 2020.

O maior recuo estadual, de 56,97%, foi na comparação entre março de 2021 e igual período do ano passado. Mas houve queda também na passagem de fevereiro para março deste ano (-50,42%), e no acumulado do ano (-29,46%).

Para o setor da distribuição de veículos, conforme a Fenabrave, há desafios ainda como a falta de produtos e o aumento das restrições de circulação, por conta da pandemia.

“Os concessionários de veículos estão passando por um período muito difícil. Em 2020, quando ocorreu a primeira onda da pandemia de Covid-19, tínhamos estoques e a indústria trabalhava sem problemas de abastecimento. Hoje, os estoques, praticamente, não existem, tanto nas concessionárias como nos pátios das montadoras. A falta generalizada, de peças e componentes, vem provocando a paralisação das linhas de montagem de várias montadoras, prejudicando a oferta de veículos”, analisa o presidente da Fenabrave.

Autos e comerciais leves

Na categoria de comerciais leves, que engloba desde pick-ups pequenas, derivadas dos utilitários de passeio, até os furgões, vans, e utilitários esportivos, foi observada a única alta dos emplacamentos no Ceará, com +2,71% no acumulado deste ano de janeiro a março ante igual período de 2020. Foram 1.363 unidades vendidas em 2021 contra 1.327 de janeiro a março do ano passado.

Mas ainda retraíram as comercializações na passagem entre os meses de fevereiro para março (-47,45%) e entre iguais períodos (-27,14%).

Automóveis caíram 30,72% em vendas para março ante fevereiro, 33,99% diante de igual mês do ano passado e 23,79% no acumulado do ano. Resultados negativos se repetiram quando são considerados os segmentos juntos também. Com maior queda na passagem de fevereiro para março (-33,60%).

Caminhão e ônibus

Ao todo, foram vendidos apenas 80 caminhões e ônibus no mês passado, no Estado. Recuos de 37,01% para março, 45,95% ante igual período de 2020 e de 35,53% no acumulado de 2021.

Motos

Já as motos, segmento mais vendido no Ceará, com destaque para a Honda C 160, as quedas nas comercializações de veículos novos na comparação com outras datas foram mais intensas. Destaqe para março de 2021 frente ao de 2020, com recuo de 75,27%.

Porém, ainda se observa alta retração na passagem dos meses de fevereiro para março, com queda de 66,89%. No acumulado do ano, o recuo foi de 36,96%.