PUBLICIDADE
Economia
Noticia

Governo do Ceará lança programa de microcrédito com empréstimos de R$ 500 a R$ 5 mil

Recursos próprios de R$ 100 milhões devem bancar a primeira etapa do programa, que tem planos de ser expandido, segundo revelou o presidente da Adece

22:45 | 31/03/2021
Recurso de R$ 100 milhões é próprio do governo do Estado (Foto: Marcello Casal JrAgência Brasil)
Recurso de R$ 100 milhões é próprio do governo do Estado (Foto: Marcello Casal JrAgência Brasil)

A população mais vulnerável foi foco de mais um programa de apoio do Governo do Estado nesta quarta-feira, 31, quando o governador Camilo Santana lançou um programa de microcrédito orientado, com recursos próprios de R$ 100 milhões, para empréstimos individuais de R$ 500 a R$ 5 mil.

Microempreendedores individuais ou pessoas não formalizadas com renda mensal de até 3 salários mínimos serão o alvo do novo programa, que tem planos de ser expandido em breve, segundo revelou Francisco Rabelo, presidente da Agência de Desenvolvimento do Estado do Ceará (Adece).

Assumindo a possível alta inadimplência do público, Rabelo afirmou que a ideia é cruzar dados com plataformas cujas as informações de beneficiários de programas assistenciais já estejam disponíveis e conferir quais seriam mais aptos a fazer uso dos créditos.

Uma série de orientações seriam dadas antes de o dinheiro ser aprovado, fosse individualmente ou em grupos de empreendedores, com instruções que vão desde educação financeira a empreendedorismo.

"Instituições como o Banco Mundial e o BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento) apoiam isso. Da forma estruturada, como a gente tá fazendo, não vai falta parceiro", falou sobre o futuro do programa, que, apesar de ser lançado na pandemia, deve sobreviver a ela.

De acordo com ele, o Governo do Estado deve lançar uma plataforma para inscrição dos interessados, em um modelo que se assemelha ao já operacionalizado pelo Banco do Nordeste. No entanto, segundo o presidente da Adece, "a ideia é entrar abaixo desta faixa, onde o BNB não entra". Os detalhes, segundo afirmou Francisco Rabelo, devem ser apresentados na próxima semana pelo governador.

"A ideia é que forme uma base inspirada no microcrédito. Afinal, crédito devia ser parte dos direitos humanos. Sem crédito, sem nada, a pessoa perde a dignidade. Mesmo que saiba fazer alguma coisa, não consegue sem o capital", afirmou.