PUBLICIDADE
Economia
NOTÍCIA

Notre Dame Intermédica convoca acionistas para deliberar fusão com Hapvida

A companhia combinada terá rede com 84 hospitais, 257 clínicas e cerca de 11,5 milhões de beneficiários

Beatriz Cavalcante
12:11 | 26/03/2021
Caso a fusão ocorra, será formada a maior empresa de saúde suplementar no País (Foto: Divulgação)
Caso a fusão ocorra, será formada a maior empresa de saúde suplementar no País (Foto: Divulgação)

A Notre Dame Intermédica convocou seus acionistas para Assembleia Extraordinária a fim de deliberar sobre a fusão com a cearense Hapvida Participações. O encontro parcialmente digital será realizado na próxima segunda-feira, 29. 

A companhia combinada terá rede com 84 hospitais, 257 clínicas e cerca de 11,5 milhões de beneficiários (com mercado endereçável de 65 milhões de clientes), entre assistência médica e odontológica. A nova empresa já nascerá atuando, em pelo menos 18 estados, distribuídos pelas 5 regiões brasileiras. O estado de São Paulo lidera no número de hospitais, com 28 unidades, seguido por Minas Gerais, com 12, além de Ceará e Pernambuco com 6 unidades cada.

Contudo, ambas as empresas afirmaram já ter crescimento contratado para o período de avaliação do processo de fusão, incluindo investimentos em emergências, clínicas e ambulatórios e em desenvolvimento comercial e que o porte da companhia combinada deve ser ainda maior ao fim do processo de fusão.

Após esse período, a companhia deve se expandir também dentro dos estados em que já atuam, inclusive para municípios de menor porte e, atualmente, não atendidos pelas duas redes de planos privados. Outro objetivo é fazer a venda cruzada de planos corporativos nas regiões atendidas.

Em resposta a um potencial investidor, foi ressaltado que não devem haver grandes reajustes para os beneficiários e há espaço até para tornar seus respectivos produtos mais acessíveis. O ticket médio dos serviços oferecidos pelas duas empresas, hoje, teria valor até 30% menor que o dos principais concorrentes.

Divisão acionária

Pelo acordo, a cearense Hapvida ficará com 53,6% das ações da nova empresa a ser criada e a GNDI ficará com 46,4%. No detalhamento da divisão acionária, 37,5% das ações ficará com a família Pinheiro, 16,1% com os outros acionistas do Hapvida, 5,2% com a Bain Capital e 41,2% com outros acionistas do GNDI.

A nova companhia também contará com dois co-CEOs: o diretor-presidente do Hapvida, Jorge Pinheiro, e o diretor-presidente do GNDI, Irlau Machado Filho. O conselho administrativo da companhia combinada será composta por 9 membros, sendo 5 do HapVida (incluindo o presidente do conselho), 2 do GNDI e 2 membros independentes (um indicado por cada empresa).