PUBLICIDADE
Economia
NOTÍCIA

Crescimento previsto para economia do Ceará é de 3,55% para este ano, projeta Ipece

Em 2020, o Produto Interno Bruto (PIB) do Estado caiu 3,56%, abaixo da retração apresentada na economia do País em igual período, de 4,1%. A alta prevista para este ano também fica acima do índice nacional

Beatriz Cavalcante
15:27 | 23/03/2021
Agronegócio se destacou no Ceará (Foto: Marcelo Camargo/ABr)
Agronegócio se destacou no Ceará (Foto: Marcelo Camargo/ABr)

A economia do Estado tem crescimento previsto pelo Governo do Estado em 3,55% neste ano, acima da média nacional, de 3,23%, projetada no Relatório Focus do Banco Central do Brasil. A projeção de alta para o Estado é do Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará (Ipece), que divulgou nesta terça-feira, 23, o resultado do Produto Interno Bruto (PIB) do Estado para 2020, com queda de 3,56% ante 2019. 

Vale lembrar ainda que, o crescimento previsto para 2021 no Estado caiu em relação à projeção feita em dezembro do ano passado, que era de 3,70%.

a retração do índice no Ceará em 2020 foi inferior à nacional, que, em igual período, caiu 4,1%. A agropecuária auxiliou para amenizar uma queda maior do Estado, com alta de 10,31%, enquanto que o índice nacional ficou em 2%.   

Apesar de também ter retraído, com -3,60%, o setor de serviços teve queda menor que o desempenho brasileiro (-4,5%). Ao contrário da indústria, com impacto negativo de 7,11% no Estado ante 3,5% no País. Vale observar que no terceiro trimestre de 2020 a indústria cearense apresentou resultado de 40,59% em relação ao semestre imediatamente anterior

 o desempenho da economia do Ceará no quarto trimestre de 2020, em relação a igual período de 2019, passou por decréscimo de 0,17%, inferior ao nacional, -1,1%. Enquanto a agropecuária estadual fechou em crescimento de 1,58% (nacional passou por queda de 0,4%), a indústria cresceu 1,60% (já a brasileira avançou 1,2%), enquanto serviços ficou estável, em 0,57%, contra o desempenho negativo de 2,2% nacional.

Por sua vez, o PIB (de 1,37%) do quarto trimestre comparado com o trimestre imediatamente anterior (terceiro trimestre de 2020) obteve os seguintes resultados por setores no Ceará: -2,08% para a agropecuária, 3,47% para a indústria e 1,48% para serviços. 

Alta na pandemia

Na avaliação do Ipece, o resultado cearense do ano passado mostra que as ações do Governo do Estado para enfrentar a Covid-19 refletiram positivamente para evitar que o índice apresentasse uma involução acentuada.

Dentre as ações implementadas para combater o novo coronavírus e que, conforme os analistas do Ipece, "foram decisivas para evitar maiores prejuízos na economia estadual", destacam-se as decisões tomadas para inibir maior contágio; a elaboração de um plano fundamentado na ciência de reabertura gradual das atividades econômicas e os investimentos realizados.

Entenda o índice

O PIB é um indicador que mostra a tendência do desempenho da economia cearense no curto prazo. Além do Ceará, mais sete estados brasileiros realizam o cálculo de sua economia trimestralmente: Bahia, Espírito Santo, Goiás, Minas Gerais, Pernambuco, Rio Grande do Sul e São Paulo, que utilizam a mesma ponderação das Contas Regionais.  Ele é calculado com base nos resultados dos três setores, agropecuária, indústria e serviços, e desagregados por suas atividades econômicas.

Como indica somente uma tendência de crescimento ou arrefecimento da economia, suas informações e resultados são preliminares e sujeitos a retificações, quando forem calculadas as Contas Regionais definitivas, em conjunto com o IBGE e as 27 Unidades da Federação. Fazem parte da equipe responsável pelo PIB do Ceará os analistas Nicolino Trompieri Neto (coordenador), Witalo Paiva e Alexsandre Lira e os assessores técnicos Cristina Lima e José Freire Júnior, todos da Diretoria e Estudos Econômicos (Diec) do Ipece, que tem como titular Adriano Sarquis.

Com informações do repórter Adriano Queiroz