PUBLICIDADE
Economia
NOTÍCIA

Às vésperas de assembleia que deve aprovar acordo de fusão, HapVida celebra resultados de 2020

Grupo cearense ouvirá acionistas no próximo dia 29 sobre operação com a Notre Dame Intermédica, destacando crescimento em receita, número de beneficiários e EBITDA

17:39 | 21/03/2021
Empresa teve crescimento de 51,8% em sua receita operacional líquida no ano passado (Foto: Divulgação)
Empresa teve crescimento de 51,8% em sua receita operacional líquida no ano passado (Foto: Divulgação)

Em oito dias, o HapVida realizará uma assembleia geral para definir a aprovação deles sobre o acordo de associação com o Grupo Notre Dame Intermédica (GNDI), que, se confirmada posteriormente pelo Cade, será a maior operação empresarial do tipo no Brasil desde a fusão entre Itaú e Unibanco em 2008.

Nesse meio tempo, os acionistas da operadora de saúde cearense vão se debruçar sobre números apresentados no balanço financeiro e operacional do 4º trimestre de 2020, com a consolidação também dos resultados do ano passado. A empresa teve crescimento de 51,8% em sua receita operacional líquida na comparação com 2019 e saltou de pouco mais de R$ 5,6 bilhões para cerca de R$ 8,5 bilhões.

Outro dado positivo foi o EBITDA (lucro antes dos juros, impostos, depreciação e amortização) que passou de aproximadamente R$ 1,2 bilhões para pouco mais de R$ 2 bilhões. O lucro líquido, por sua vez, apresentou queda de 7,8% no comparativo entre 2019 e 2020, indo de R$ 851,8 milhões para R$ 785,3 milhões. Já a sinistralidade total avançou 0,5 ponto percentual no período, indo de 60,4% para 60,9%.

De acordo com o diretor-presidente do HapVida, Jorge Pinheiro, foi importante ter a sinistralidade controlada, a despeito da pandemia. Ele destacou ainda o crescimento do número de beneficiários que passou para 6,7 milhões após a adição de 344 mil clientes em 2020 e exaltou políticas de inovação e sustentabilidade adotadas pelo grupo no ano passado.

Pinheiro ressaltou ainda que “em 2020, mantivemos forte ritmo de expansão e qualificação de nossas operações. Os investimentos em estrutura física totalizaram mais de R$233 milhões com 235 mil metros quadrados construídos ou reformados. Finalizamos o ano com um total de 464 unidades assistenciais”.