PUBLICIDADE
Economia
Noticia

Cearense passa mais horas sem fornecimento de energia em 2020

Desempenho Global de Continuidade classificou a Enel Ceará como a penúltima de uma lista de 29 empresas

11:13 | 16/03/2021
Condições climáticas e manutenção da rede elétrica foram impactaram sobre os indicadores, segundo a Enel (Foto: JÚLIO CAESAR)
Condições climáticas e manutenção da rede elétrica foram impactaram sobre os indicadores, segundo a Enel (Foto: JÚLIO CAESAR)

Os cearenses tiveram mais interrupções no fornecimento de energia e passaram mais tempo sem luz entre 2019 e 2020, segundo aponta levantamento da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). O desempenho da qualidade dos serviços de distribuição no Estado fez com que a Enel Ceará fosse classificada como penúltima de uma lista de 29 empresas pesquisadas.

Parte do grupo de companhias de grande porte, com mais de 400 mil usuários, a Enel Ceará só ficou à frente da Companhia Estadual de Energia Elétrica (CEEE), do Rio Grande do Sul, no Desempenho Global de Continuidade (DGC) divulgado pela Aneel.

Em 2020, os cearenses atendidos pela Enel tiveram, em média, 6,3 interrupções de energia. A média é maior que as 5,77 interrupções sofridas em 2019, mas demonstra um avanço de 9,18% nas interrupções. Mesmo assim está dentro do limite estabelecido pela Aneel, de 7,33 interrupções.

o tempo sem o fornecimento de energia no Ceará em 2020 chegou a 16,5 horas, de acordo com a Agência. Também é maior que o registrado no ano anterior (14,09 horas), apresentando um avanço de 17,10% no tempo sem energia. O indicador ainda está acima do limite de 10,18 horas estabelecido pelo órgão regulador.

O ranking é elaborado com base no chamado Desempenho Global de Continuidade (DGC), que usa justamente estes dois indicadores para ser calculado: o de Duração Equivalente de Interrupção por Unidade Consumidora (DEC), o qual mede o tempo médio sem energia, e o de Frequência Equivalente de Interrupção (FEC), que mede o número de interrupções.

"As distribuidoras que mais evoluíram em 2020 foram a CPFL-Piratininga, com um avanço de 9 posições e a CELESC com o avanço de 7 posições em comparação ao ano de 2019. As últimas colocadas foram: ENEL GO (27º), ENEL CE (28º) e CEEE (29º). As concessionárias que mais regrediram no ranking foram a ENEL SP, que registrou queda de 9 posições e as empresas CELPE e CPFL Paulista com recuo de 6 posições em comparação a 2019", informou a Aneel.

No País, o movimento foi inverso ao observado no Ceará, segundo a Aneel. "Os consumidores ficaram 11,50 horas em média sem energia (DEC) no ano, o que representa uma redução de 10,51% em relação a 2019, quando registrou-se 12,85 horas em média. A frequência (FEC) das interrupções se manteve em trajetória decrescente, reduzindo de 6,69 interrupções em 2019 para 6,03 interrupções em média por consumidor em 2020, o que significa uma melhora de 9,87% no período", detalhou a Agência.

Confira o ranking das concessionárias de grande porte a partir do DCG:

 

  1. CPFL Santa Cruz - 0,56
  2. Equatorial PA - 0,61
  3. Cosern - 0,62
  4. ESS - 0,62
  5. EMT - 0,63
  6. ETO - 0,63
  7. EMG - 0,69
  8. Equatorial MA - 0,70
  9. EMS - 0,70
  10. EDP ES - 0,71
  11. EPB - 0,73
  12. ESE - 0,75
  13. Copel - 0,78
  14. CPFL-Piratininga - 0,78
  15. Coelba - 0,79
  16. Celesc - 0,81
  17. Elektro - 0,81
  18. Celpe - 0,82
  19. Cemig - 0,82
  20. RGE Sul - 0,82
  21. CPFL-Paulista - 0,83
  22. EDP SP - 0,85
  23. Light - 0,85
  24. Enel SP - 0,88
  25. CEB - 1,00
  26. Enel RJ - 1,00
  27. Enel GO - 1,14
  28. Enel CE - 1,24
  29. CEEE - 1,70

Quanto maior o DCG, pior a avaliação da empresa.

Chuvas e investimentos

 

Em nota, a Enel Ceará afirma que "que segue comprometida com a melhoria da qualidade do serviço e que reforçou os investimentos em sua área de concessão, com foco na modernização da rede elétrica".

"Em 2020, a empresa investiu cerca de R$ 910 milhões, aumento de 24,3% em relação a 2019", acrescentou.

A concessionária de energia ainda ressaltou que "parte dos indicadores de qualidade apurados em 2020 e considerados no ranking da Aneel foram impactados pelo alto volume de chuvas registrado no primeiro trimestre de 2020 e pelo maior volume de obras executadas na rede elétrica para manutenção e melhorias".

"A distribuidora reforça que possui um plano de qualidade em andamento e que está investindo na instalação de equipamentos de automação da rede, comandados remotamente e que auxiliam a empresa a reduzir a duração das interrupções do fornecimento e o número de clientes afetados em eventuais ocorrências. A empresa também está instalando redes compactas, mais resistentes à interferência de fatores externos, como galhos, e incrementando as ações de manutenção preventiva, como podas de árvores e instalação de para-raios. Além disso, a empresa aumentou o número de equipes de atendimento de emergência em 80% no final de 2020", promete a companhia.