PUBLICIDADE
Economia
NOTÍCIA

Ceará é o melhor lugar do Nordeste para investir no setor de serviços, aponta pesquisa

De acordo com a pesquisa "Melhores Cidades para Fazer Negócios 2.0", entre os 100 melhores locais do País para se investir no setor de serviços, 20 municípios ficam na Região. Destes, cinco são cearenses

Samuel Pimentel
17:48 | 05/03/2021
A franquia Bubblekill no Shopping Rio Mar é um exemplo do crescimento de franquias de baixo investimento no País. (Foto: JÚLIO CAESAR)
A franquia Bubblekill no Shopping Rio Mar é um exemplo do crescimento de franquias de baixo investimento no País. (Foto: JÚLIO CAESAR)

O Ceará é o estado do Nordeste com mais cidades consideradas as melhores para se investir, segundo o estudo "Melhores Cidades para Fazer Negócios 2.0", elaborado pela Urban Systems. O levantamento analisa os locais que são destaques para se investir no setor de serviços. Entre os 100 melhores locais do País, 20 municípios ficam na Região. Destes, cinco são cearenses. O ranking leva em consideração cidades com mais de 100 mil habitantes.

LEIA MAIS | Mercado de microfranquias ganham espaço durante a pandemia

Serviços que crescem no mercado de microfranquias

Pela ordem, as cidades cearenses citadas são: Sobral (25º no ranking), Fortaleza (31º), Juazeiro do Norte (63º), Itapipoca (64º) e Maracanaú (85º). A cidade nordestina mais bem colocada no ranking foi São Luís (MA), ficando na 11º posição.

De acordo com dados do Ministério da Economia, em 2020 o Brasil teve mais de 20 milhões de empresas em atividade. Esse número sofreu um forte impulso pela quantidade de novas empresas que foram abertas no período, já que no ano passado foram abertas 3.358.750 empresas no País. Isso representou um recorde histórico. O fechamento de negócios (1.044.696 em 2020) sofreu queda de 11,3%. O saldo positivo foi a abertura de mais de 2,31 milhões de empresas.

No Ceará, o ritmo de abertura dos negócios foi ainda mais acelerado. A Junta Comercial do Estado do Ceará (Jucec) aponta que o saldo positivo foi de 4.136 em relação ao ano de 2019, uma alta de 14%. A maioria dos negócios (82% do total de novos registros) foi iniciado como Microempreendedor Individual (MEI).

O setor que mais se destacou foi o de Serviços, totalizando 38.293, seguido pelo Comércio, 29.049, e Indústria, 8.642. A presidente da Jucec, Carolina Monteiro, comentou na divulgação dos dados que a pandemia foi um dos fatores que fez com que o setor terciário crescesse. "A gente compreende que o setor de Serviços cresceu mais em função da situação de emergência de saúde, foram criados novos serviços para atender a uma demanda."

Carolina completa afirmando que é possível realizar a abertura de empresas completamente pela internet, com a obtenção de todos os alvarás, inscrições tributárias, municipais e registros sanitários, o que tem facilitado a vida dos empreendedores.

VEJA MAIS | Pesquisar sobre o negócio e aproveitar tendências de microfranquias é essencial

Na avaliação do economista Alex Araújo, o processo de fortalecimento dos setores de comércio e, principalmente, dos serviços já tem acontecido nos últimos anos. Ele avalia que, na pesquisa sobre os melhores locais para se investir no setor, as cidades cearenses listadas já possuem um comércio forte e oferta crescente de serviços, o que cria uma ambiência forte para novos negócios.

"São cidades de grande porte no Estado, que já mostram concentração setorial de importância regional. E essa expressão de densidade econômica cria um círculo virtuoso na economia local", afirma. Alex ainda acrescenta que o empreendedorismo é um segmento intensivo de demanda por mão de obra que com a oferta de maior quantidade de serviços vem se desenvolvendo em formação e, consequentemente, em rendimento médio.

Quem empreende, busca soluções para sobreviver no mercado que está cada dia mais concorrido e, empresas especializadas em franquias estão atentas ao mercado do Nordeste e buscam negócios na Região. O crescimento é notório e visto nos dados da Associação Brasileira de Franchising (ABF), que apontam que, no terceiro trimestre de 2020, o número de unidades franqueadas abertas no Ceará foi de 9% na comparação com o mesmo período de 2019.

Ainda de acordo com a ABF, o cenário para 2021 é de projeção de aumento de 8% no faturamento. Também há expectativa de 5% no crescimento das unidades franqueadas no País e na mesma proporção na geração de empregos diretos gerados pelo setor neste ano. "Permanecendo as bases para a retomada segura das atividades econômicas a partir deste ano, acreditamos que o setor de franquias levará cerca de dois e meio para retomar os patamares pré-Covid-19", diz o presidente da entidade, André Friedheim.

Mercado em expansão para o Ceará

Para o presidente da CredFácil, franquia especializada em oferta de crédito consignado, afirma que acredita no potencial de crescimento da franquia no Ceará. Para ele, o setor de franquias se manteve estável e se adaptou rapidamente na Pandemia, projetamos um negócio cada vez mais dinâmico e com facilidade de se adaptar ao novo.

"Acreditamos no potencial econômico e a escolha do mercado cearense é estratégica para a atuação do nosso negócio, é uma grande oportunidade para quem pretende investir no setor de franquias", ressalta.

Já o CEO da DinDin Pag, acredita que o Ceará é um mercado aberto e promissor para a expansão da empresa nos próximos meses. "As franquias renasceram e se adaptaram, rapidamente, na pandemia. A exemplo disso, a própria Dindin Pag foi criada nesse período e já está presente em 20 cidades nordestinas, dentre elas a cidade de Fortaleza. Estar atento as mudanças e transformações digitais será a base para o futuro desse formato de negócio, principalmente durante a pandemia", diz. 

 

VEJA OPÇÕES DE FRANQUIAS PARA INVESTIR NO CEARÁ

  • DinDin Pag
    Presente em 20 cidades nordestinas, inclusive em São Luís (MA), Fortaleza (CE), Maceió (AL) e João Pessoa (PB) a rede oferece um modelo de negócio com uma proposta 100% digital e investimento inicial a partir de R$ 9.997,00, que pode ser parcelado em 12 vezes. A microfranquia é ideal para empreendedores que desejam começar um negócio de fácil gestão, sem a necessidade de um ponto comercial, com todo o suporte/know-how da franqueadora.

 

  • CredFácil
    Maceió (AL), Itabuna (BA), Fortaleza (CE), Sobral (CE), Juazeiro do Norte (CE), São Luís (MA), Recife (PE), Teresina (PI) e Natal (RN) são algumas das cidades que abrigam a CredFácil, a marca conta com aproximadamente 50 unidades no Nordeste. Os franqueados da rede atuam como correspondente bancário ofertando microcréditos à população, o foco é o crédito consignado. Para empresários interessados no modelo de negócio a marca oferece investimento inicial a partir de R$ R$ 14.900,00, que pode ser parcelado em 12 vezes.

 

  • Doutor Sofá
    Atualmente a rede especializada em limpeza e impermeabilização de estofados conta com unidades na Bahia, Alagoas, Pernambuco, Rio Grande do Norte, Paraíba, Maranhão, Ceará e Piauí. Na próxima semana vai inaugurar uma operação em Camaçari (BA). A meta para o Nordeste é inaugurar franquias nas cidades de Aracajú, Arapiraca, Campina Grande, Juazeiro do Norte, Sobral, Feira de Santana, Vitória da Conquista, Petrolina, Caruaru, Mossoró e Parnaíba. Com investimento inicial de R$32 mil e formato home office, a rede oferece para os franqueados todo o suporte, treinamento, uniformes, estoque inicial de produtos, assessoria na análise de mercado e estratégias de marketing, além do acesso ao sistema de gestão exclusivo para gerenciamento do negócio.

 

  • Solarprime
    Para os empreendedores que pensam em trabalhar em um dos segmentos mais promissores do mundo, o de energia solar, a Solarprime oferece modelos com investimento a partir de R$ 32.900. Atualmente a rede conta com 57 unidades no Nordeste, o que representa 17% da rede toda instalada na região. No ano passado foram inauguradas 23 operações e para 2021 a meta é expandir em 50 franquias em todos os estados nordestinos.