PUBLICIDADE
Economia
NOTÍCIA

Petrobras aceita oferta de US$ 1,65 bilhões por refinaria na Bahia e continua negociação para o Ceará

A assinatura do contrato, no entanto, está sujeita à aprovação pelos órgãos fiscalizadores

09:33 | 08/02/2021
Edifício sede da Petrobras na Avenida Chile, centro da cidade. (Foto: Arquivo/Agência Brasil)
Edifício sede da Petrobras na Avenida Chile, centro da cidade. (Foto: Arquivo/Agência Brasil)

A Petrobras concluiu as negociações com a Mubadala Capital para vender sua refinaria baiana Landulpho Alves (RLAM). A empresa dos Emirados Árabes Unidos, que atua no Brasil desde 2011, ofereceu US$ 1,65 bilhão (cerca de R$ 8,9 bilhões) pelo parque de refino e seus ativos logísticos. A assinatura do contrato, no entanto, está sujeita à aprovação pelos órgãos fiscalizadores. A negociação da refinaria no Ceará ainda está em andamento.

Já o processo de venda da Refinaria Presidente Getúlio Vargas (Repar), no Paraná, não foi concluído, uma vez que as ofertas apresentadas não foram consideradas suficientes pela Petrobras. Por isso, haverá um novo processo.

A Petrobras ainda espera concluir as vendas das refinarias Alberto Pasqualini (Refap), no Rio Grande do Sul; Isaac Sabbá (Reman), no Amazonas; Abreu e Lima (RNEST), em Pernambuco; Gabriel Passos (Regap), em Minas Gerais; da Lubrificantes e Derivados de Petróleo do Nordeste (Lubnor), no Ceará; e da Unidade de Industrialização do Xisto (SIX), no Paraná.