PUBLICIDADE
Economia
NOTÍCIA

Falta de insumos e alta nos preços ameaçam recuperação da Construção

O percentual de empresas da construção que enfrentam o problema da falta ou alto custo da matéria-prima subiu de 39,2% para 50,8% entre o terceiro e o quarto trimestre de 2020, mostra Sondagem da Indústria

Irna Cavalcante
08:18 | 26/01/2021
A falta de insumos e alta nos preços é o principal problema à retomada apontado pelos empresários do setor da Construção Civil (Foto: divulgação)
A falta de insumos e alta nos preços é o principal problema à retomada apontado pelos empresários do setor da Construção Civil (Foto: divulgação)

A falta e o aumento dos preços dos insumos são os principais problemas do setor da Construção Civil. É o que apontam os dados da Sondagem Indústria da Construção divulgados nesta terça-feira, 16, pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), com apoio da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC).

A pesquisa, realizada no período de 4 a 15 de janeiro junto a 445 empresas, mostrou que o percentual de empresas da construção que enfrentam o problema da falta ou alto custo da matéria-prima subiu de 39,2% para 50,8% entre o terceiro e o quarto trimestre, um avanço de 11,6 pontos percentuais.

A economista do banco de dados da CBIC, Ieda Vasconcelos, explica que este é o segundo trimestre consecutivo que a questão lidera o ranking. “Se esse cenário for mantido, o setor terá sérias dificuldades para dar andamento às suas atividades, tão necessárias para a geração de renda e emprego no País”.

A elevada carga tributária aparece em segundo lugar na lista, com 26,8% de assinalações. A demanda interna insuficiente caiu da terceira para a quarta posição entre os principais problemas e a burocracia excessiva tomou a terceira colocação, enfrentada por 24,1% das empresas.

De modo geral, o Índice de Confiança do Empresário Industrial da indústria construção (ICEI-Construção) caiu 3,2 pontos em dezembro, alcançado para 56,9 pontos. Apesar da queda, o índice ainda se situa acima da linha divisória de 50 Confiança da construção cai em janeiro de 2021 pontos, o que indica que os empresários da construção seguem confiantes.

A queda da confiança da construção em janeiro de 2021 teve grande influência da deterioração da percepção da indústria da construção sobre as condições atuais da economia brasileira.