PUBLICIDADE
Economia
NOTÍCIA

Sob ameaça de greve dos caminhoneiros, Bolsonaro diz que vai zerar tarifa de importação de pneus

A última paralisação da categoria, que apoiou o governo Bolsonaro, foi em 2018 e parou o País

07:50 | 15/01/2021
Foto no Ceará, na BR-116, da greve dos caminhoneiros que aconteceu em 2018 (Foto: Fábio Lima)
Foto no Ceará, na BR-116, da greve dos caminhoneiros que aconteceu em 2018 (Foto: Fábio Lima)

Em meio a uma ameaça de ressurgimento de uma greve dos caminhoneiros que pode parar o Brasil durante a pandemia do novo coronavírus, o presidente Jair Bolsonaro afirmou, em transmissão ao vivo em suas redes sociais na noite da quinta-feira, 14, que o governo deve zerar a tarifa de importação de pneus. A medida deve ser divulgada na próxima semana, segundo informou o chefe do Executivo. O presidente comentou sobre o assunto ao citar uma decisão anterior da Câmara de Comércio Exterior (Camex) que zerou a alíquota de importação de armas.

Acesse a cobertura completa do Coronavírus >

A definição, contudo, foi derrubada pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Edson Fachin. "Agora o que eu fiz, espero que esse ministro agora não queira dar uma canetada né. Porque pela Camex são tarifas, não é imposto. A tarifa de importação de pneus, que interessa os caminhoneiros, está em torno de 16%, que interessa os caminhoneiros. Conversei com o Paulo Guedes, vamos zerar", declarou.

"Na semana que vem deve estar zerado a tarifa de importação de pneus para os caminhoneiros, que passam dificuldades", declarou. Na transmissão ao vivo, Bolsonaro também citou ter conversado com representantes dos ministérios da Economia, Minas e Energia e Infraestrutura sobre os preços dos combustíveis e do gás de cozinha.