PUBLICIDADE
Economia
NOTÍCIA

Réveillon de Fortaleza deve ser de festas particulares em hotéis; setor de eventos debate protocolos

Setor de eventos promoveu nesta terça-feira, 1º, encontro chamado "Recriando Eventos em Novos Momentos", no Centro de Eventos do Ceará, para capacitação de protocolos

Samuel Pimentel
21:51 | 01/12/2020
Prefeitura de Fortaleza já decidiu que não realizará o tradicional Réveillon da Praia de Iracema neste ano por causa da pandemia. Festa online é o mais provável. (Foto: Julio Caesar)
Prefeitura de Fortaleza já decidiu que não realizará o tradicional Réveillon da Praia de Iracema neste ano por causa da pandemia. Festa online é o mais provável. (Foto: Julio Caesar)

Ainda não há confirmação de Réveillon com festa pública em Fortaleza. Isso é o que informa o secretário do Turismo do Município, Alexandre Pereira. Ele explica que a ideia de Salvador-BA, de realizar festa online agrada, mas que reunião com o prefeito Roberto Cláudio (PDT) ainda será realizada para definir como serão os festejos de passagem de ano.

LEIA MAIS | Prefeitura avalia possibilidade de realizar live para celebrar Réveillon 2021

Enquanto não há definição sobre a festa pública e com a certeza de que nada será realizado como em anos anteriores, o setor de hotéis e eventos se prepara. O primeiro aposta em festas particulares, com ceias de Natal e Réveillon entre os hóspedes. O segundo, promoveu nesta terça-feira, 1º, encontro chamado "Recriando Eventos em Novos Momentos", no Centro de Eventos do Ceará, para capacitação dos protocolos.

O evento foi promovido pelo Visite Ceará, que é uma entidade responsável por captar e apoiar eventos para o Estado, em colaboração com a Associação Brasileira de Empresas e Eventos do Ceará (Abeoc-CE), Câmara Setorial de Turismo e Eventos e Sindieventos. "Nosso objetivo com a realização deste evento treinamento é que que os próximos que sejam autorizados, aconteçam de forma segura", diz Ivana Bezerra.

"Queremos que nosso destino seja conhecido como seguro sob todos os aspectos, tanto de lazer quanto de negócios. Temos de seguir os protocolos, não podemos deixar de lado para trabalhar errado porque sabemos que é pior, pois primeiramente queima nossa imagem como destino em todo o País", complementa.

Pressa pelo retorno

O presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis do Ceará (ABIH-CE), Régis Medeiros, destaca que o processo de retomada do setor de turismo vem sendo diferente na Capital e no Interior. Segundo ele, a demanda, majoritariamente regional, tem dado maior importância para os destinos no litoral e nas serras.

"Tenho dividido essa retomada da demanda no setor de turismo no Ceará em dois blocos: em balneários turísticos do litoral e serras no Interior e em Fortaleza. Temos sentido uma demanda bem mais aquecida para atrações fora da Capital porque o próprio turista regional e cearense está indo para destinos, como Jericoacoara". Ele ainda acrescenta que "o turismo de Fortaleza sempre foi muito baseado em turistas que vêm de outras regiões e, para que isso aconteça, precisamos de voos e eventos nos hotéis".

Por isso, Régis destaca a importância do evento promovido pelas empresas da cadeia de eventos, já que as reuniões realizadas nos salões dos hotéis também representa receita importante. "Esse evento é muito importante para que a gente possa mostrar os protocolos, tanto para quem realiza, quanto para quem participa e para o poder público. Mostrar que podemos, sim, realizar eventos presenciais seguindo os protocolos". "Não podemos esperar demais, pois a cadeia produtiva precisa continuar e não ficar travada, como está o setor de turismo e eventos", frisa.