PUBLICIDADE
Economia
Noticia

PIB: Ceará teve queda de 0,45% no 1º trimestre; previsão para o ano é de recuo de 4,9%

Mesmo fechando o ano com a perspectiva de recessão, o Ipece prevê que a economia cearense caia menos do que a nacional. O Ipece estima que a queda nacional do PIB seja na casa dos 6,5%.

Samuel Pimentel
20:56 | 30/06/2020
Impacto da crise no acumulado do PIB ao fim de 2020 deve fazer com que o Estado feche o ano com índice negativo, prevê Ipece (Foto: Aurelio Alves/O POVO)
Impacto da crise no acumulado do PIB ao fim de 2020 deve fazer com que o Estado feche o ano com índice negativo, prevê Ipece (Foto: Aurelio Alves/O POVO)

O resultado do primeiro trimestre do Produto Interno Bruto (PIB) do Ceará foi de queda de 0,45%, de acordo com levantamento do Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará (Ipece). Para o acumulado do ano, o Ipece reviu as expectativas e prevê retração de 4,92%. Anteriormente, a previsão era de crescimento na casa dos 2,38%. A crise do coronavírus é o principal fator do recuo.

Mesmo fechando o ano com a perspectiva de recessão, o Ipece prevê que a economia cearense caia menos do que a nacional. Estima que a queda nacional do PIB seja na casa dos 6,5%.

No acumulado dos doze meses, o PIB cearense apresentou alta de 1,77%, enquanto a nacional ficou em 0,9%. O analista de Políticas Públicas do Ipece, Nicolino Trompieri Neto, que coordenou a equipe que elaborou o PIB, acredita que a menor queda do Ceará em comparação com a média nacional se deve à trajetória de maior crescimento da economia cearense no período anterior à pandemia.

"Pelo processo de reabertura das atividades econômicas no Estado de forma gradual e responsável e das medidas do Governo Estadual para o processo de reaquecimento da economia", complementa.

Setores

Entre as atividades econômicas principais - agropecuária, indústria e serviços - apenas a primeira apresentou resultado positivo, de 0,66%, no primeiro trimestre. O setor de serviços caiu 0,38% e a indústria regrediu 0,81%. Os resultados foram comparados com o primeiro trimestre do ano passado.