PUBLICIDADE
Economia
NOTÍCIA

IBGE: Ceará apresenta queda de 20,2% nas vendas do comércio varejista em abril

Dados abaixo da média foram ocasionados pelo fechamento do comércio em abril, com o combate ao novo coronavírus no Estado

Victor Hugo Pinheiro
18:51 | 16/06/2020
Movimentação menor no comércio impacta na atividade econômica do setor (Foto: JÚLIO CAESAR)
Movimentação menor no comércio impacta na atividade econômica do setor (Foto: JÚLIO CAESAR)

O fechamento do comércio, por conta da rápida disseminação do novo coronavírus, impactou negativamente no Ceará no mês de abril, como indica os dados da Pesquisa Mensal do Comércio (PMC), divulgada nesta terça-feira, 16, pelo IBGE. O levantamento indicou que as vendas no comércio varejista caíram 20,2% no quarto mês deste ano, na comparação com março. É o pior resultado do Estado na série histórica, iniciada em janeiro de 2000. Além de representar queda pelo segundo mês consecutivo.

Em comparação com os números de abril do ano passado, houve um recuo de 33,8% em igual período deste ano. Além disso, em sete das oito atividades pesquisadas foram registradas quedas, sendo a maior delas em livros, jornais, revistas e papelaria (-94,5%), seguido por tecidos, vestuário e calçados (-87,9%). O único resultado positivo ocorreu em hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (2%).

Confira os resultados do Ceará no PMC de abril:

Livros, jornais, revistas e papelaria caiu 94,5% frente a abril de 2019. No acumulado do ano, ao passar de 3,1% até março para -13,2% até abril. No acumulado nos últimos 12 meses (-13,0%), o indicador permanece negativo desde fevereiro de 2012 (0,1%).

Tecidos, vestuário e calçados, com recuo de 87,9% em relação a abril de 2019. No acumulado no ano registrou -32,8% até abril, ante -14,6% em março. No acumulado nos últimos 12 meses, observou-se queda de 7,9%.

Móveis e eletrodomésticos, com recuo de 82,6% em relação a abril de 2019, o setor foi o terceiro maior impacto negativo, após recuo de 41,7% registrado em março. No acumulado no ano, passou de -15,9 até março para -33,5% até abril. No acumulado nos últimos 12 meses, ao passar de 11,2% até março para 2,4% em abril.

Outros artigos de uso pessoal e doméstico- lojas de departamentos, óticas, joalherias, artigos esportivos, brinquedos etc - recuou de 60,2% em relação a abril de 2019. O acumulado do ano registrou -22,6%, ante -8,7% em março. No acumulado nos últimos 12 meses, variou -7,2%, seguindo redução de ritmo já apresentada no mês anterior (-1,9%).

Equipamentos e material para escritório, informática e comunicação, tiveram recuo de 48,3% em relação a abril de 2019. O acumulado no ano foi de -19%. O acumulado nos últimos 12 meses foi de -11,6%.

Combustíveis e lubrificantes, com recuo de 41,3% em relação a abril de 2019. No acumulado do ano, passou de -6,4% até março para -14,8% até abril.

Artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos e de perfumaria com queda de 19,6% ante abril de 2019. No acumulado no ano registrou queda de -8,9%. No acumulado nos últimos 12 meses, caiu 3,1%.

Hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo, com aumento de 2% frente a abril de 2019, registrou a única taxa positiva. O resultado do acumulado no ano foi de -2,6%. No acumulado nos últimos 12 meses registrou queda de 6,7%.