PUBLICIDADE
Economia
Noticia

Produção da indústria cearense recua 33,9% em abril

Impactos da crise fazem setor registrar, no Estado, a maior queda histórica

13:22 | 09/06/2020
FORTALEZA, CE, BRASIL, 22-08-2017: Parque industrial da Vicunha Têxtil S/A no município de Maracanaú. (Foto: Júlio Caesar/O POVO) (Foto: JÚLIO CAESAR)
FORTALEZA, CE, BRASIL, 22-08-2017: Parque industrial da Vicunha Têxtil S/A no município de Maracanaú. (Foto: Júlio Caesar/O POVO) (Foto: JÚLIO CAESAR)

Como já vinha sendo previsto, a crise do novo coronavírus impactou fortemente a atividade industrial no Ceará. No último mês de abril, a produção recuou 33,9% na comparação com março, de acordo com dados divulgados nesta terça-feira, 9, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Trata-se da maior queda da série histórica do indicador, iniciada há 18 anos, em 2002.

Entre os 15 estados brasileiros pesquisados pelo IBGE, o Ceará apresentou a segunda maior retração na atividade industrial de abril, ficando atrás apenas do Amazonas, que registrou queda de 46,5% no setor. Quando comparado a igual mês de 2019, o recuo da indústria cearense é ainda mais preocupante, já que despencou 53% ante abril do ano passado.

A maior queda apresentada foi na fabricação de máquinas, aparelhos e materiais elétricos (-99%), bem como na preparação de couros e fabricação de artefatos de couro, artigos para viagem e calçados (-98,5%) e a confecção de artigos do vestuário e acessórios (-96,8%). 

Em 2019, a indústria cearense já acumula queda de 14,1% em sua produção. Neste quesito, o maior recuou foi registrado na fabricação de produtos têxteis (-33,1%), um segmento bastante afetado pela paralisação da atividade econômica por conta da pandemia.