Participamos do

Em março, produção industrial do Ceará tem a maior queda do Brasil

Com 21,8% de recuo, indústria cearense tem o pior índice de todo o País, sendo seguido por Rio Grande do Sul (20,1%) e Santa Catarina (17,9%)
15:07 | Mai. 14, 2020
Autor Victor Hugo Pinheiro
Foto do autor
Victor Hugo Pinheiro Repórter do Esportes O POVO
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

A produção industrial teve recuo de 21,8% no Ceará na passagem de fevereiro para março. Com isso, a indústria cearense registrou a queda mais intensa do período nos 15 locais pesquisados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O recuo também significou a maior queda do Estado na série histórica, iniciada em janeiro de 2002. 

O resultado negativo interrompe uma série de dois meses em alta do Estado, quando em janeiro registrou aumento de 1,8% e fevereiro de 0,5%. O número ruim é justificado pelos efeitos do isolamento social em combate ao coronavírus, que foi imposto pelo Governo Estadual. As medidas contra a disseminação do vírus afetou o processo de produção em todo o País.

Em comparação com março do ano passado, o Ceará registrou queda de 10%. Já no acumulado do ano, a redução verificada foi de 1,4%. Em contrapartida, houve crescimento de 1,3% no acumulado dos últimos 12 meses. Isso manteve o aumento pelo terceiro mês consecutivo: 1,6% em fevereiro e 2,1% em janeiro.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Pela primeira vez desde 2012, os 15 locais pesquisados registraram queda, onde os maiores recuos - além do Ceará - foram registrados no Rio Grande do Sul (20,1%) e em Santa Catarina (17,9%). Além desses estados, o recuo foi registrado nos seguintes locais: Pará (-12,8%), Amazonas (-11,0%), Região Nordeste (a única região a ser pesquisada -9,3%), Pernambuco (-7,2%), Espírito Santo (-6,2%), São Paulo (-5,4%), Bahia (-5,0%), Paraná (-4,9%), Mato Grosso (-4,1%), Goiás (-2,8%), Rio de Janeiro (-1,3%) e Minas Gerais (-1,2%).

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Os cookies nos ajudam a administrar este site. Ao usar nosso site, você concorda com nosso uso de cookies. Política de privacidade

Aceitar