PUBLICIDADE
Economia
NOTÍCIA

Previsão para safra de grãos 2019/2020 no País é de 248 milhões de toneladas

O dado representa crescimento de 2,5% em relação a safra 2018/2019

16:50 | 08/01/2020
FORTALEZA, CE, BRASIL, 15-02-2019: Tereza Cristina, Ministra da Agricultura. Visita de Ministra da Agricultura Tereza Cristina em Tiangua e municipos proximos para Fazendas com plantaçôes de Flores e Rosas. (Foto: Aurelio Alves/O POVO)
FORTALEZA, CE, BRASIL, 15-02-2019: Tereza Cristina, Ministra da Agricultura. Visita de Ministra da Agricultura Tereza Cristina em Tiangua e municipos proximos para Fazendas com plantaçôes de Flores e Rosas. (Foto: Aurelio Alves/O POVO) (Foto: AURELIO ALVES)

A estimativa da safra 2019/2020 de grãos aponta uma produção de 248 milhões de toneladas, com aumento de 2,5% em relação a safra 2018/2019, segundo dados da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). O aumento equivale a 6,1 milhões de toneladas. A produção total do Ceará foi de 526,9 mil toneladas em 2019. Os números registram novo recorde da série histórica e foram divulgados, nesta quarta-feira, 8.

O relatório aponta que as condições climáticas, que apresentaram certa instabilidade no início do plantio de verão na maioria das regiões produtoras, estão em ritmo de normalização. A perspectiva é que os níveis de produtividade apresentem bom desempenho nessa etapa. Além disso, devem ser cultivados 64,2 milhões de hectares, o equivalente a um aumento de 1,5% em comparação à safra anterior.

Estimativas para produtos

A cultura da soja, que vem mantendo a tendência de crescimento na área, nesta temporada também deve crescer a produção em 2,6% em relação ao ciclo passado, chegando a 122,2 milhões de toneladas. Quanto ao milho primeira safra, a previsão é de aumento em 1,1% na área semeada, totalizando 4,15 milhões de hectares e uma produção de 26,6 milhões de toneladas, com ganho de 3,8% sobre a de 2018/2019.

A favor desse desempenho, há fatores como o aumento nas exportações brasileiras do cereal e no mercado interno, derivados da demanda por confinamento e produção de etanol, mesmo a despeito da concorrência com a soja.

O algodão, apesar da tendência de crescimentos significativos de área nas duas últimas safras, apresentou uma variação positiva menor de 2,7%, atingindo 1,6 milhão de hectares. Já a produção do caroço deve chegar a 4,1 milhões de toneladas e a da pluma em 2,8 milhões de toneladas.

Os números do feijão primeira safra mostram redução de 1,9% na área em comparação com a temporada passada. A cultura também perde espaço para a soja e o milho que apresentam melhor rentabilidade. Também o trigo cuja safra está finalizada, deve alcançar 5,15 milhões de toneladas e redução de 5% em relação a 2018. O arroz é outro que sofre esta concorrência, com tendência para uma redução de 0,7% na área e produção de 10,5 milhões de toneladas.