PUBLICIDADE
Economia
NOTÍCIA

Prévia da inflação em Fortaleza foi a maior do País no segundo trimestre

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15) em Fortaleza foi de 1,79%, apesar de ter desacelerado entre maio e junho

20:43 | 25/06/2019
O reajuste das passagens do transporte alternativo impactaram na prévia da inflação em Fortaleza
O reajuste das passagens do transporte alternativo impactaram na prévia da inflação em Fortaleza(Foto: Mauri Melo/O POVO)

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15) em Fortaleza foi de 1,79% no segundo trimestre, o maior do Brasil no período. A taxa nacional de 0,06% foi a menor para um mês de junho desde 2006 (-0,15%) e desacelerou em relação a maio, 0,35%. O IPCA-15 é considerado uma prévia da inflação acumulada no período.

Apesar da taxa na Cidade acompanhar a tendência nacional de queda entre maio e junho, saindo de 0,51% para 0,28%, alguns itens empurraram o dado para cima. No grupo Transportes, o reajuste do transporte intermunicipal pesou em 7,44% o IPCA-15.

O economista Gilberto Barbosa acredita que o resultado desse segundo trimestre revela uma variação de preços na cesta de produtos do consumidor médio, mas que não chega a preocupar para o restante do ano vide a desaceleração econômica do Estado.

O que também fez elevar a inflação, segundo o IBGE, foram os reajustes da tarifa de energia elétrica, após a vigência da bandeira tarifária amarela em maio. Em Fortaleza, alta de 2,04% no índice inflacionário deste setor.

"O impacto mais óbvio é o aumento dos níveis de preço. Dependendo da característica do cidadão essa inflação pode ser ainda maior, pois os itens que fazem parte da sua cesta de consumo real subiram mais. Em termos gerais, a alta da inflação é ruim", avalia Barbosa.

SAMUEL PIMENTEL