PUBLICIDADE
Economia
NOTÍCIA

Governo amplia setores autorizados a trabalhar aos domingos e feriados

A medida abrange, entre outros setores, o comércio, a indústria, os transportes em geral, a educação e a cultura

17:58 | 18/06/2019
AS PROPOSTAS que alteram o Fundeb podem 
ter efeitos sobre o reajuste salarial, que 
acompanha valor pago por cada aluno
AS PROPOSTAS que alteram o Fundeb podem ter efeitos sobre o reajuste salarial, que acompanha valor pago por cada aluno(Foto: Fabio Lima/Fabio Lima)

O governo ampliou a relação de atividades que terão, em caráter permanente, autorização para o trabalho aos domingos e feriados. Agora, 78 setores estão autorizados a funcionar nesses dias. Antes, 72 atividades tinham essa permissão permanente. A medida abrange, entre outros setores, o comércio, a indústria, os transportes em geral, a educação e a cultura.

O secretário especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, Rogério Marinho, assinou uma portaria nesta terça, 18, dando a autorização a novos setores e comemorou no Twitter.

"Muito mais empregos! Assinei hoje portaria que autoriza empresas funcionarem aos domingos e feriados. Com mais dias de trabalho das empresas, mais pessoas serão contratadas. Esses trabalhadores terão suas folgas garantidas em outros dias da semana. Respeito à Constituição e à CLT", escreveu o secretário no Twitter.

De acordo com a minuta da Portaria, passam a ficar autorizados para o trabalho aos domingos e feriados, em caráter permanente, os seguintes segmentos: comércio em geral; estabelecimentos destinados ao turismo em geral; indústria de extração em óleos vegetais e indústria de biodiesel, excluídos os serviços de escritório; indústria do vinho, do mosto de uva, dos vinagres e bebidas derivados da uva e do vinho, excluídos os serviços de escritório; indústria aeroespacial; serviços de manutenção aeroespacial.

Mais cedo, Marinho havia se reunido com o deputado Jerônimo Goergen (PP-RS), relator da Medida Provisória 881, a MP da Liberdade Econômica. Os dois também discutiram a revisão das normas reguladoras de saúde e de segurança no trabalho, que está sendo gradualmente feita pelo governo para flexibilizar as atividades produtivas. Segundo Marinho, as mudanças estão sendo feitas sem descumprir a legislação e de forma a manter a segurança no ambiente de trabalho.

Com Agência Brasil

Agência Estado