PUBLICIDADE
Economia
NOTÍCIA

Governo do Ceará se reúne com empresários de sete multinacionais em busca de investimentos

O encontro, que aconteceu no Palácio da Abolição, é idealizado pela Câmara de Comércio Brasil-Catalunha e pelo Consulado da Espanha

21:39 | 13/06/2019
Camilo Santana se reúne com empresários no Palácio da Abolição.
Camilo Santana se reúne com empresários no Palácio da Abolição. (Foto: Divulgação/Tiago Stille/ Governo do Ceará)

Empresários de sete multinacionais estiveram em reunião na manhã desta quinta-feira, 13, com o governador Camilo Santana (PT), para discutir a promoção comercial e atração de novos negócios entre o Estado e a Catalunha. O encontro, que aconteceu no Palácio da Abolição, é idealizado pela Câmara de Comércio Brasil-Catalunha e pelo Consulado da Espanha.

A tratativa é mais uma etapa do memorando de entendimento assinado ano passado entre o Governo e os investidores. “O Ceará está de portas abertas para a Catalunha”, disse o petista durante o encontro. Como atratividade para aplicação de recursos, o chefe do Executivo cearense destacou a "boa gestão fiscal e a organização administrativa".

Em maio deste ano, maioria dos conselheiros do Tribunal de Contas do Estado do Ceará (TCE-CE) apresentou parecer prévio favorável às contas do governador Camilo Santana (PT), referentes ao exercício de 2018. O relatório técnico emitido pelo órgão veio acompanhado de 57 recomendações, sendo 18 ressalvas e 37 ocorrências.

"Hoje, o Estado que lidera a eficiência em finanças no País. O Ceará é quem mais faz investimentos públicos em termos percentuais, investindo ano passado 15,2% da nossa receita corrente líquida. Somos também o primeiro lugar no ranking nacional do Ministério Público em transparência”, afirmou o petista.

Para além disso, Executivo estadual tem intuito de fortalecer os três centros de conexões implantados recentemente. Camilo Santana destacou que o Ceará tem “acesso fácil a todos os mercados mundiais”. Ele acrescenta que tem trabalhado alguns eixos importantes com uma trinca de hub’s.

“O hub portuário funciona em um porto do Estado, em parceria com o Porto de Roterdã. Temos lá a única zona de processamento de exportação em funcionamento no Brasil. O outro é o hub aéreo. As pessoas antes tinham que ir para São Paulo para poder ir para a Europa. Em menos de um ano nós saímos de oito voos internacionais por semana para 48 e estamos trabalhando para ampliar”, explicou.

Redação O POVO Online